Síria

Todas em Síria

‹ Anterior

de 2

  1. Al-Faradis Hotel

    Esse hotel confortável quatro estrelas, de perfil empresarial e excelente localização, é perfeito para fazer compras nos souqs. Estranhamente, o Al-Faradis também é um local de peregrinação: recebe muitos grupos de turistas iranianos que querem visitar as mesquitas de Damasco.

    O hotel está situado na movimentada praça Al-Shouhada, possui um estilo retrô dos anos 70 com painéis de madeira nas paredes, piso de mármore e relógios de parede alinhados na ordem clássica, que passa pelos fuso-horários de Tóquio, Sidney e Teerã. Considerando a clientela, o horário do Teerã é o mais popular por essas bandas. De tempos em tempos, grupos de turistas com suas respectivas malas podem ser vistos invadindo o lobby espaçoso do hotel (decorado com imagens do aiatolá). Se encontrar uma fila longa na recepção coma alguns docinhos oferecidos no balcão até que um funcionário que fale inglês esteja disponível. Depois de feito o check-in, você verá que os quartos são espaçosos, confortáveis e bem equipados (apesar de um tanto quanto desatualizados) com vista espetacular da cidade, visto que esse é o prédio mais alto da praça Al-Shouhada.

    Nossos autores independentes visitaram o Hotel Al-Faradis e selecionaram-no como um dos nossos hotéis recomendados em Damasco.

  2. Al-Nawfara Coffee Shop

    Não satisfeito em ser um charmoso café e uma verdadeira entidade para beber chá e fumar narguilé, esse local também conta com o último hakawati profissional (contador de histórias). Todas as noites depois da oração de fim da tarde, Abu Shady sobre ao palco para contar uma história épica dos tempos gloriosos do passado. Dependendo do público, pode haver um ambiente de empolgaçãoou  tranquilo, com pessoas indo e vindo, e muitas vezes falando ao mesmo tempo que ele. De qualquer forma, esse é um evento imperdível da cidade, visto que é uma forma de arte que está prestes a desaparecer. É pedida uma contribuição voluntária no fim da história.

  3. Al-Rabie Hotel

    Essa é uma das melhores escolhas para mochileiros em todo o Oriente Médio. O Al-Rabie é uma casa de 600 anos com um belíssimo jardim interno com videiras, uma laranjeira e uma fonte. Possui comodidades como TV satélite e cadeiras confortáveis. Alguns quartos possuem vista para o jardim interno e outros, pé-direito alto e teto ornamentado, janelas grandes e parede em pedra. Todos os quartos são limpos e possuem aquecimento e ventiladores. Os funcionários são simpáticos e sabem atender bem as necessidades dos viajantes.

    Nossos autores independentes visitaram o Hotel Al-Rabie Hotel e selecionaram-no como um dos nossos  hotéis recomendados em Damasco.

  4. Bab al-Hara

    A oeste da mesquita Omíada, o Bab al-Hara é um dos nossos restaurantes preferidos da Cidade Antiga. Os grelhados têm o sabor único de comida feita na brasa, o kibbeh é um dos mais gostosos que já provamos, e o fatta é delicioso e muito bem servido. O serviço é casual e prestável. Não deixe de conferir.

  5. Bakdash

    Procure uma fila perto do Souq al-Hamidiyya e encontrará essa instituição local. Oferece deliciosos sorvetes feitos com sahlab (um tipo de bebida feito de tapioca) e cobertos com pedaços de pistache, uma delícia. Pague no caixa antes de fazer o pedido.

  6. Dahdah Palace

    Um excelente local para antiguidades, com uma vasta gama de artefatos recuperados das casas demolidas em estilo damasceno.

  7. Ghraoui

    Esse negócio vende os melhores doces de frutas cristalizadas e chocolates da cidade. O damasco semicoberto com chocolate é um clássico, assim como as trufas de cacau. Há uma filial da Ghraoiu no lounge de partidas do Aeroporto Internacional de Damasco.

  8. Hammam Bakri

    Um banho local situado no bairro cristão, perto de Bab Touma.

     

  9. Hammam Nureddin

    Um dos hammams mais antigos da cidade. Não é permitida a entrada de mulheres.

  10. Handicrafts Lane

    Localizada na parte nova da cidade, essa rua estreita e pouco iluminada é imperdível se você aprecia artesanato local. Está situada perto da mesquita Takiyya as-Süleimaniyya, um pouco a sul da Sharia Shoukri al-Quwatli. Os comerciantes chegam a ocupar algumas das celas dos estudantes da madrasa adjacente.

  11. Marmar

    Esse bar/restaurante em Bab Touma se transforma na casa noturna mais badalada da cidade às quintas e sextas. Ocasionalmente, há shows ao vivo aos domingos.

  12. Mausoléu de Saladino

    No pequeno jardim arqueológico situado ao longo do muro norte da Mesquita Omíade estão colunas que datam do Templo de Júpiter romano, e também um pequeno edifício branco com uma cúpula de cor terracota, que é o mausoléu de Saladino. O famoso cavaleiro que combateu os cruzados morreu em Damasco em 1193, e um mausoléu original foi erguido em sua homenagem, nesse mesmo ano.

    Ele foi restaurado com o financiamento do Kaiser Wilhelm II da Alemanha durante a sua visita a Damasco em 1898.

    Para um homem conhecido pela sua austeridade, o mausoléu é fidedigno à sua personalidade e é bastante modesto. No interior, é possível ver dois cenotáfios – o de madeira de nogueira à direita, com motivos elaborados do período Aiúbida é o de Saladino. O túmulo moderno de mármore à esquerda foi doado pelo Kaiser Wilhelm.

    No ticket de entrada está incluída a Mesquita Omíade.

  13. Naranj

    Perto do arco romano, na Straight St, você irá encontrar esse excelente restaurante da Cidade Antiga,um dos melhores do país. O enorme salão é separado da cozinha por uma divisória de vidro. A comida é deliciosa com opções como kebab com molho de cereja ou mezze tradicional. O pão não podia ser mais fresco, e tudo é servido com estilo. O terraço é perfeito para jantar em uma noite de calor. Reserve com antecedência. 

  14. Narcissus Palace

    O Narcissus Palace é muito concorrido e está sempre cheio de gente que gosta de uma boa conversa acompanhada de chá e narguilé. Na casa há um pot-pourri de sons: a música nas alturas da TV, o som das peças de gamão e o barulho suave da água que corre da fonte local. Além disso, os funcionários são muito simpáticos e garantem que todos estejam satisfeitos. Muito bom.

  15. Santuário de São João Batista

    O santuário de São João Batista (profeta Yahia para os muçulmanos), com sua cúpula verde de mármore, está um tanto quanto fora de contexto na sala de orações da mesquita Omíada. A história é que durante a construção da mesquita, no século 8, um caixão foi descoberto sob o piso da basílica que continha a cabeça de São João Batista ainda com pele e cabelos intactos. No entanto, esse é um dos muitos locais que alega ser o repouso final do apóstolo e, a não ser que ele tenha sido multicéfalo, as alegações não podem ser levadas ao pé da letra.