São Paulo

Todas em São Paulo

‹ Anterior

de 2

  1. Bairro da Liberdade

    O bairro da Liberdade – a uma curta caminhada da Praça da Sé –  é há tempos o tradicional centro da comunidade japonesa em São Paulo. Embora os imigrantes atualmente venham da China e da Coreia, o bairro ainda está cheio de lojas e restaurantes japoneses, e possui diversas pérolas da cultura asiática escondidas em suas ruas estreitas e agitadas.

    A Praça da Liberdade é a praça principal do bairro, e também onde fica a entrada do metrô Liberdade. Aos domingos, há uma feira ao ar livre. Você poderá visitar várias lojas e comer em restaurantes asiáticos, assim como passear por alguns jardins japoneses (um pouco abandonados), dando uma rápida caminhada na direção sul do bairro pela Rua Galvão Bueno, um dos acessos principais. 

  2. Bar Veloso

    Chegue cedo a este pequeno e fantástico boteco, a uma rápida caminhada da estação de metrô Vila Mariana. O público briga pelas poucas mesas e por uma das melhores caipirinhas da cidade, com sabores exóticos (jabuticaba, carambola com manjericão, tangerina com dedo-de-moça; R$15-19), além das coxinhas, chocantes de tão boas (R$20). O molho de pimenta caseiro é o melhor que provamos. Coloque seu nome na lista de espera por uma mesa, mas você vai provavelmente ficar bêbado e empanturrado antes de conseguir uma.

  3. Beco 203

    (couvert R$15-30) O simples transplante da casa noturna de Porto Alegre é cheio de anarquistas adolescentes e fãs de música pop nas terças, quando seus organizadores honram a trilha sub-30. Nas outras noites, indie rock.

  4. Choperia Liberdade

    (consumação dom e ter-qua R$10, qui-sáb R$10) Para o bom e tradicional karaokê, vá a esse clássico kitsch, que é decorado com luzes de Natal, lembrancinhas, quadros luminosos e aquários brilhantes. O público é variado: gente do teatro, fanáticos cantores de música japonesa do bairro da Liberdade, coroas e jovens de 20 e poucos anos na farra.

  5. D.O.M.

    O restaurante do célebre chef Alex Atala é pequeno e ilusoriamente casual, servindo uma das comidas mais finas de Sampa, o que diz muito do lugar. De fato, está em 6º lugar na lista S. Pellegrino World’s 50 Best Restaurants, de 2013, onde os gourmets o bajulam incansavelmente. Para uma refeição tipicamente brasileira, alguns dizem que esse é o lugar ideal, apesar de, pessoalmente, não termos ficado impressionados. É necessário fazer reserva.  

  6. Estadão

    Essa clássica lanchonete do centro serve refeições aos trabalhadores a qualquer hora, mas sua especialidade é o sanduíche de pernil, acompanhado de algum queijo de sua preferência (provolone!) e cebolas salteadas. É um das tradições gastronômicas imperdíveis de Sampa.

  7. Galeria do Rock

    Essa galeria possui sete andares e é o ponto de encontro de tribos que curtem rock e hip hop. Nos andares acima, você cruza com punks, góticos e metaleiros, no térreo e subsolo, os rappers. Centenas de lojas vendem de tudo para quem curte o gênero:
    CDs de bandas underground, camisetas, pôsters, instrumentos musicais etc. Há, ainda, cabelereiros especializados principalmente em cabelos afro e estúdios de piercing e tatuagem. A galeria abarca três conceitos: arte, música e atitude.

  8. Guest 607

    Esta colorida pousada gastronômica de seis quartos foi ideia de Cássia Saldanha, que morou na Itália e no Reino Unido antes de voltar para São Paulo e transformar uma residência de dois andares em um local com foco na alimentação e no design acolhedor e ousado, tendo como objetivo relaxar seus exaustos hóspedes. Os quartos são um pouco pequenos, mas todo o lugar está repleto de personalidade e ainda há um sofisticado bistrô que serve três refeições por dia.

    Se você curte admirar a singela beleza de papeis de parede, este é o seu lugar! São apenas 800m de caminhada até o início da Oscar Freire, do lado Jardins.

  9. Hotel Emiliano

    Elegante, iluminado e minimalista, o Emiliano é o melhor hotel da cidade, levando todos os itens em consideração. Extremamente luxuoso, com lençóis de alto número de fios, serviços impecáveis e uma piscina na cobertura com bastante sol, atende aos mais sofisticados requisitos, e é discreto. Fica entre o descolado (sem ser antipático) e o luxuoso (sem ser conservador). E ainda oferece um brunch aos finais de semana por R$125. Divino!

  10. Livraria Cultura

    Caminhe de lá para cá nessas três lojas no térreo do Conjunto Nacional que são, sem dúvida, as melhores livrarias da cidade. É possível encontrar livros com o idioma oficial, assim como muitos guias de viagem e um agradável café.

  11. Maní

    O Maní vai deixá-lo assombrado. Ao mesmo tempo rústico e chique, é tocado por um casal brasileiro/espanhol, e frequentemente tido como o melhor restaurante de comida brasileira de Sampa, e com razão. O inventivo ovo slow-cooked (1½ horas a 63°C) é o mais famoso prato, mas a desconstruída salada Waldorf e a batata frita caseira acompanhada de filé mignon são verdadeiros golpes culinários. Os pratos brasileiros contemporâneos podem ser saboreados melhor quando o seu paladar pode bancar o cardápio da estação com cinco pratos (R$160) ou a degustação (com/sem vinho R$450/310).

  12. Mercado Municipal

    Esse mercado fechado é uma criação da belle époque, decorado com vitrais coloridos e grandes abóbodas. É um ótimo lugar para provar algumas das iguarias clássicas paulistanas: sanduíches de mortadela e pastéis. Em vários domingos há música ao vivo, mas lembre-se de que aproximadamente um domingo por mês o mercado fecha para manutenção. Infelizmente, não há uma agenda regular para tal evento.

  13. Mocotó

    Vale a pena ir à Zona Norte para comer em uma variedade de restaurantes regionais. Rodrigo Oliveira, um impressionante e jovem chef, transformou o tradicional empório do pai em um recanto de especialidades do norte/nordeste. Os almoços de fim de semana são um festival gastronômico, com a procura pela comfort food de preços amigáveis, seguida por centenas de cachaças artesanais. Pegue a linha azul do metrô até o fim, chegando na estação Tucuruvi; de lá, uma corrida de táxi sai entre R$16 e R$20.

  14. Pinacoteca do Estado

    Esse museu neoclássico possui um excelente acervo de arte brasileira – especialmente paulista – do século 19 em diante, e inclui obras de grande nomes como Portinari e Di Cavalcanti. As restaurações o tornaram um lugar agradável para passar uma tarde, e o museu possui um charmoso café voltado ao adjacente Parque da Luz.

  15. Shopping JK Iguatemi

    Aberto em 2012, esse shopping na Vila Olímpia é o mais luxuoso da América do Sul, e vale passear um pouco por ali para se deliciar com sofisticação e bom gosto.