Rio de JaneiroDicas e artigos

Petrópolis e Teresópolis: refúgios nas montanhas do Rio

Tom Le Mesurier

As temperaturas no verão do Rio com frequência passam de 40º, o que leva os locais e turistas a lotarem as praias e cachoeiras próximas para escapar do calor. Nos fins de semana, pode parecer que a cidade inteira está disputando um lugar nas águas refrescantes – para evitar as multidões, suba as colinas ao norte da cidade, onde as temperaturas são frescas e o cenário melhor ainda.


A impressionante cadeia de montanhas do Parque Nacional Serra dos Órgãos © Rafael Fernando / 500px

Essa região, chamada de Serrana, ainda exibe influências dos colonos alemães que vieram em hordas durante o século 19 e tem diversos atrativos para os visitantes, incluindo as cidades históricas de Petrópolis e Teresópolis, além de um impressionante parque nacional.

Localizado 70km ao norte do Rio de Janeiro, Petrópolis fica aninhada entre frescas montanhas arborizadas, com uma elevação de 838m. O Brasil foi um império entre 1822 e 1889 e foi o Imperador Dom Pedro II que construiu Petrópolis e lhe deu seu nome (Petrópolis é a junção das palavras Petrus e Polis, latim e grego, respectivamente, para Pedro e cidade.) A construção começou em 1845 e foi terminada dois anos mais tarde. A cidade foi desenhada por Júlio Frederico Koeler, um engenheiro alemão, e foi amplamente povoada por imigrantes alemães encorajados a se instalarem ali depois da construção. A influência alemã pode ser vista até hoje, da arquitetura e nome de ruas até os cardápios dos restaurantes.

Um pouco mais de 20km a nordeste de Petrópolis, cruzando o espetacular Parque Nacional da Serra dos Órgãos, fica sua cidade irmã, Teresópolis (nomeada em homenagem a esposa de Dom Pedro, Teresa Cristina). Teresópolis é bem menor que Petrópolis, mas possui um clima confortável similar e uma atmosfera ainda mais relaxada.  

Embora existam muitas atrações e atividades na região, muitos brasileiros que a visitam regularmente dirão que a melhor forma de aproveitar a Região Serrana é simplesmente relaxando com boa comida, em boa companhia e admirando o cenário. Com incontáveis pousadas e aluguéis de temporada disponíveis, muitos em lugares bucólicos com vistas impressionantes, isso é fácil de fazer. Há ônibus regulares entre a rodoviária do Rio de Janeiro e as cidades da região Serrana, embora a melhor forma de explorar a região seja alugando um carro.


O parque nacional possui muitas opções de trilhas e escaladas com vários graus de dificuldade © orleijunior.com / Getty Images

Parque Nacional da Serra dos Órgãos

O Parque Nacional da Serra dos Órgãos (também chamado pelo acrônimo PARNASO) cobre 105km² e fica entre Petrópolis e Teresópolis. O parque é coberto por florestas verdejantes e dominado por montanhas dramaticamente pontiagudas, incluindo o icônico Dedo de Deus e a Agulha do Diabo.

O parque possui mais de 200km de trilhas, que vão de caminhadas super fáceis que passam por cachoeiras e piscinas naturais, como a Trilha Suspensa de 1,3km até a Travessia Petrópolis-Teresópolis, que leva três dias e cruza o parque todo. Escaladores experientes podem encontrar grandes desafios, como a subida de dia inteiro do Dedo de Deus. Os que não estão a fim de escalar esse enorme pico não devem perder a vista de tirar o fôlego do Mirante do Soberbo, nos arredores de Teresópolis.

O parque é excepcionalmente bem-organizado, com um excelente centro de visitantes, trilhas claramente marcadas e bem mantidas e bilhetes de entrada que incluem acomodação oficial para as trilhas de muitos dias. A entrada no parque custa R$52 e as acomodações vão de R$10 pelo camping até R$39 por uma beliche em um dormitório.


Aprenda a história do Brasil Império no Museu Imperial © dabldy / Getty Images

Veja um pouco de história no Museu Imperial (Petrópolis)

O Museu Imperial é a maior e mais completa coleção de relíquias e artefatos relacionados à história imperial do Brasil. O museu fica no palácio de verão do Imperador Dom Pedro II, localizado bem no centro de Petrópolis. Terminado em 1862, o impressionante edifício neoclássico é cercado por jardins tranquilos repletos de árvores e plantas exóticas.

O museu em si, fundado em 1949, abriga mais de 300.000 itens que incluem mobília original e pinturas que pertenceram à família imperial. Destaques incluem as joias da coroa imperial e a pena dourada que foi usada para assinar a ordem que abolia a escravidão em 1888. Todos os visitantes devem usar protetores nos sapatos para evitar danificar o piso original – para a alegria óbvia dos jovens visitantes, que deslizam e patinam pelas grandes salas e corredores do museu. Nem todas as informações estão traduzidas para o inglês, mas há um app do museu que está disponível em inglês e português.


A Cervejaria Bohemia é o bar mais histórico de Petrópolis © Leonardo Shinigawa

Prove as cervejas locais

Com uma influência alemã tão forte na região, não chega a ser uma surpresa que Petrópolis e Teresópolis sejam potências cervejeiras – ambas as cidades possuem grandes cervejarias que oferecem tours.

Em Petrópolis, um colono alemão começou a fazer cerveja onde hoje é a Cervejaria Bohemia em 1853. A cervejaria tem um excelente museu da cerveja, com exposições interativas e uma abundância de informações que dizem respeito à história da Cervejaria Bohemia. Os tours guiados, com guias que falam inglês, incluem ampla oportunidade de experimentar diferentes cervejas e terminam com a opção de seguir bebendo no bar e restaurante do local.

A Vila St Gallen em Teresópolis é lar da elogiada linha de cervejas Therezópolis. Embora partes dessa atração pareçam mais com um parque temático alemão, a parte do tour que passa pela cervejaria em si é interessante e culmina com uma degustação em que cada estilo de cerveja é combinado com um queijo. Embora não tão sofisticado quanto o tour da Bohemia, ainda há o suficiente para manter os amantes da cerveja interessados. Os tours são apenas em português, então os estrangeiros devem trazer alguém para traduzir, ou se prepararem para sorrir e acenar.


Os campos fotogênicos nos arredores de Teresópolis © Phillippe Cohat / Getty Images

Participe do festival

A Bauernfest acontece todo ano em Petrópolis para celebrar os colonos alemães que vieram para a cidade no século 19. Centenas de milhares de visitantes enchem o festival que dura dez dias no fim de junho. O festival ocorre no impressionante Palácio de Cristal e possui tudo que você esperaria de uma festa alemã – bandas tradicionais vestidas de lederhosen (traje tradicional da Bavária), enormes canecas de cerveja, glühwein e uma vasta quantidade de salsichas. Em outras épocas do ano, os visitantes podem provar os clássicos alemães (salsicha, salada de batata e strudel) na Casa do Alemão.

Criada em 1973 por um grupo de artesãos locais, a Feirinha de Teresópolis (Feirarte) é um enorme mercado de artesanato no centro de Teresópolis que possui mais de 600 barracas vendendo uma enorme variedade de itens produzidos localmente e atrai por volta de 5.000 pessoas por fim de semana. A feira acontece todo sábado e domingo, das 10h às 18h.

Onde Ficar

A Pousada Tankamana fica nas belas colinas arborizadas de Itaipava, 12km a noroeste de Teresópolis. Os dezesseis chalés privados, equipados com jacuzzis perfeitas para noites frias, ficam espalhados pelos espaçosos jardins. A Locanda Della Mimosa oferece o luxo de um grande hotel e boa comida na ponta norte de Petrópolis, enquanto a Pousada Terê Parque tem preço razoável e fica bem na borda do Parque da Serra dos Órgãos e é um ponto de partida perfeito para os que desejam explorar o parque.

Tenha mais inspiração, dicas e ofertas exclusivas para suas viagens enviadas direto para sua caixa de entrada com nossa newsletter semanal. 

Este artigo foi publicado em Setembro de 2018 e foi atualizado em Setembro de 2018.

Rio de Janeiro