Pantanal

A Amazônia recebe toda a atenção da imprensa, mas o Pantanal é melhor para ver a vida selvagem. A densa vegetação da Amazônia dificulta a observação de animais, mas nos charcos abertos do Pantanal, é muito mais fácil flagrar um. Se você gosta de ver animais em seu ambiente natural, o Pantanal não deveria ser ignorado.

Localizado no coração da América do Sul, a maior área pantanosa do mundo é 20 vezes maior que os famosos Everglades na Flórida – com aproximadamente 210.000km2. Um pouco menos de 10.000km2 está na Bolívia e no Paraguai; o resto fica no Brasil, divididos entre os estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

O Pantanal possui poucos habitantes e nenhuma cidade. As distâncias são tão grandes e o transporte por terra tão pobre que as pessoas procuram pequeno aviões e barcos a motor; só se pode dirigir um 4X4 durante algumas estações. A estrada principal de acesso que atravessa o Pantanal é a Transpantaneira. Essa estrada de terra dividida por pequenas pontes de madeira termina 145km a sul de Poconé, em Porto Jofre. A tão discutida conexão pela estrada de Porto Jofre a Corumbá (na fronteira com a Bolívia), há muito tempo engavetada graças às preocupações ecológicas e falta de investimentos, agora aparece estar de volta na mesa de negociação.

O Parque Nacional do Pantanal Matogrossense ocupa 1350km2 no sudoeste da região, mas grande parte do Pantanal é terra privada. A cooperação entre o ecoturismo e os donos de terra da região (geralmente criadores de gado) contribui para a conservação sustentável do meio-ambiente. Ao fornecer aos fazendeiros uma entrada de capital que encoraja a coexistência com a vida selvagem, o déficit criado pelas inundações sazonais na área é coberto. Caso contrário, a terra poderia ser coberta por produção mais intensiva (e portanto mais destrutiva). O parque nacional e três menores reservas naturais vizinhas entraram na lista da UNESCO como Patrimônio Mundial em 2000.

Última atualização: 10 de Abril de 2014