Nova York

Passeios em Nova York

‹ Anterior

de 1

Próxima ›
  1. Bike the Big Apple

    Sobre duas rodas é possível se deslocar por uma distância bem maior que a pé – sem falar na oportunidade de se exercitar. A Bike the Big Apple, recomendada pela NYC & Company (organização oficial de turismo da cidade e operadoras da www.nycgo.com), oferece dez roteiros. A opção mais apreciada é o Ethnic Apple Tour, trajeto de 25km que inclui uma parte do Queens, o norte do Brooklyn e Lower East Side, em Manhattan. Há opções que percorrem a Little Italy do Bronx, os parques da cidade, lojas de chocolates do Brooklyn e vários itinerários noturnos.

  2. Brooklyn Bridge

    Ela é um dos símbolos de Nova York e, sob o céu azul, fica linda. Vale a pena atravessá-la (a pé e de bicicleta) e tirar fotos da Estátua da Liberdade, ao longe. 

  3. Children’s Museum of the Arts

    Essa atração pequena, mas valiosa, exibe pinturas, desenhos e fotografias feitos por crianças de escolas locais. As exposições têm nomes adoráveis como “Além da porta da geladeira”. Para mais atividades práticas, confira a ampla programação pública do museu para crianças de todas as idades, incluindo workshops sobre formas de arte que variam de escultura a pintura colaborativa de murais, bem como noites de cinema e outras atividades especiais.

  4. Columbia University

    Essa bela universidade próxima ao Harlem merece um passeio. Trata-se de um dos principais centros de pesquisa do mundo, abrigado em belos prédios e com um bonito jardim. Uma estátua de Alma Mater fica nos degraus da biblioteca, e foi no College Walk que os alunos tomaram o poder em 1968.

  5. De galeria em galeria em Chelsea

    Chelsea concentra o maior número de galerias de arte na cidade, que ficam nas ruas 20, nos quarteirões entre a Tenth e a Eleventh Aves. Aberturas de novas exposições geralmente ocorrem às quintas ‑feiras à noite. Procure pelo guia de informações das galerias (com mapas) disponível de graça na maioria delas. Note que quase todas fecham às segundas.

  6. Downtown Boathouse

    Ancoradouro público mais ativo de Nova York, oferece passeios gratuitos de caiaque com 20 minutos de duração (inclui equipamentos) em uma enseada protegida no rio Hudson (finais de semana e algumas noites durante a semana). Trajetos mais longos (sáb e dom) partem de Midtown, em Clinton Cove (Pier 96 com a W 56th St); outro ponto de embarque é o Riverside Park (W 72nd St), em Upper West Side; ou (apenas no verão) na Governor’s Island.

  7. Estátua da Liberdade

    Lady Liberty fita o outro lado das águas, em direção à “Europa ignara”, desde 1886. Fazendo as vezes de “mãe dos migrantes”, a estátua é uma forma de censura às rígidas estruturas sociais do velho mundo. “Deem ‑me os cansados, os pobres, as massas amontoadas que anseiam por respirar em liberdade. A recusa desventurada de seu porto abundante
    envia a mim esses desabrigados assolados pela tempestade. Ergo meu tocheiro ao lado do Portão Dourado!” ela declara no famoso poema “O novo colosso”, de Emma Lazarus, de 1883. Essas palavras foram adicionadas à base da estátua só em 1903, mais de quinze anos depois da morte da poeta.

  8. Fleet Week

    Para visitantes que não são marujos, essa é uma chance de fazer passeios grátis em barcos que chegam de vários cantos
    do mundo. Encontre-os atracados em Manhattan (perto de Midtown) e no Brooklyn (ao sul do píer 6, no Brooklyn Bridge Park).

  9. Hudson River Park

    Hoje o High Line está em moda, mas um quarteirão à frente dele fica uma faixa verde de oito quilômetros que mudou radicalmente a cidade nos últimos dez anos. Cobrindo 222 hectares a partir do Battery Park, na extremidade sul de Manhattan, até a 59th St, em Midtown, o Hudson River Park é o incrível quintal de Manhattan. A longa trilha à beira do rio é ótima para ciclismo (www.bikeshopny.com; 391 West St entre W 10th e Christopher Sts; aluguel 1 hora/4 horas $10/20; 10 ‑19h), corrida e caminhada; e o ancoradouro oferece caiaques para passeios curtos. Também tem vôlei de praia, quadras de basquete e de tênis e uma pista de skate. Famílias com crianças têm muitas opções, como os quatro novíssimos playgrounds, um carrossel (fora, na W 22nd St) e minigolfe (no píer 25 fora da West St, perto da N Moore St). Quem apenas precisa de uma pausa da cidade aproveita o parque para deitar na grama, observar as pessoas e olhar para o rio; quem busca algo menos sereno, pode se juntar à multidão de amantes do sol – e de sangria – na doca do navio
    Frying Pan. O parque também é ótimo para ver o pôr do sol.

  10. Luna Park

    Luna Park é um dos parques de diversão mais populares de Coney Island e abriga uma de suas mais lendárias atrações: o
    Cyclone (US$ 8), uma montanha-russa de madeira que atinge quase cem quilômetros por hora e tem quedas quase verticais (bem mais apavorante do que qualquer coisa da Universal Studios).

  11. Passeio a pé pelo Lower East Side

    Uma ótima maneira de entender a experiência dos imigrantes é por meio de um passeio a pé. Os roteiros, que podem durar de 1h e 15min a 2 horas, exploram vários aspectos. O “Foods of the Lower East Side” aborda a maneira como os alimentos foram incorporados à culinária norte-americana; o “Then & Now” desvenda as mudanças ocorridas no bairro ao longo das décadas; o “Outside the Home” investiga a vida dos imigrantes, como os lugares onde guardavam (ou perdiam) economias, as igrejas e as sinagogas que congregavam as comunidades e os locais de reuniões nos quais os trabalhadores se encontravam para lutar por melhores condições de serviço.

  12. Passeio guiado pela Grand Central

    A Municipal Art Society faz todos os dias passeios a pé pela Grand Central, às 12h30. As visitas partem do balcão de informações do salão principal. Às sextas-feiras no mesmo horário, a Grand Central Partnership organiza passeios gratuitos pelo terminal e região próxima (o ponto de partida é a área de esculturas no 120 da Park Avenue). Os dois roteiros duram cerca de 1h e 30min.

  13. Prospect Park

    O parque montanhoso de 236 hectares no Brooklyn tem diversão a valer para crianças, com zoológico, jogos de tabuleiro na Lefferts Historic House e o novo ringue de patinação no gelo, que vira parque aquático no verão.

    Os criadores dos 234,7 hectares do Prospect Park – Frederick Law Olmsted e Calvert Vaux – consideraram ‑no melhor que o Central Park de Nova York. Criado em 1866, o Prospect Park tem características parecidas. É lindo, com um longo prado correndo pela metade a oeste, cheio de pessoas jogando futebol, futebol americano, críquete e beisebol e outras preparando churrascos. Boa parte do restante do parque é pontilhado por florestas em colinas e há uma linda casa de barcos (acima), a leste. Muitos visitantes vão para andar de bicicleta, skate ou só para relaxar. Há também concertos grátis no Prospect Park Bandshell (perto da entrada da 9th St e do Prospect Park West).

  14. South Street Seaport

    Esse enclave de onze quadras de ruas de paralelepípedos, armazéns marítimos e lojas combina o melhor e o pior da preservação histórica. Não interessa à maioria dos nova-iorquinos, mas os turistas são atraídos pela atmosfera náutica, pelos artistas de rua e pelos restaurantes concorridos.
    O Pioneer (+1 212‑742‑1969; www.nywatertaxi.com; Píer 16, South Street Seaport), no Píer 16, é um navio do século 19 que oferece incríveis passeios de duas horas nos meses mais quentes. A diversão também o aguarda no Píer 15, ao lado, um surpreendente píer de dois andares com gramado agradável e vistas espetaculares da água.

  15. Strawberry Fields

    Em frente ao famoso edifício Dakota, no Central Park West (onde se passa a história de O Bebê de Rosemary, e onde John Lennon foi assassinado em 1980), esse jardim comovente tem forma de lágrima – trata-se de um memorial ao ex-Beatle.