Machu Picchu, CuzcoDicas e artigos

Como chegar a Machu Picchu sem a trilha inca

Laura Lindsay

Uma das maiores maravilhas do mundo, Machu Picchu é o santo graal de qualquer viajante na América do Sul. Um erro comum é pensar que é preciso completar uma trilha de quatro dias para chegar a esse lugar incrível e, para muitos, sobreviver à Trilha Inca é uma parte da experiência de Machu Picchu.

Mas para qualquer um com pouco tempo, preocupado com o desafio físico, ou simplesmente pouco atraído pela falta de conforto da trilha, Machu Picchu não está fora de alcance. É possível visitar a ruína Inca com uma combinação de meios de transporte e sem nem suar.


Machu Picchu é mais acessível do que você pensa © Uwe Bergitz / shutterstock

Machu Picchu fica bem no coração do Vale Sagrado, no sudeste do Peru, e é a estrela do país. A Trilha Inca é uma das caminhadas mais famosas do mundo – na verdade, a cada ano mais de 75.000 pessoas cruzam seus 40km para chegar a Machu Picchu. No entanto, a trilha não é para os fracos: a altitude, subidas íngremes, clima extremo e acomodação mínima podem ser um empecilho para muitos.

Na verdade, aqueles que optam por fazer a Trilha Inca formam apenas um Quinto dos turistas recebidos pela ruína. Enquanto alguns visitam como parte de um tour organizado, é possível comprar licenças para entrar no sítio de forma independente e chegar usando trens e ônibus que partem de Aguas Calientes, a cidade mais próxima de Machu Picchu.


Um trilheiro caminha parte da Trilha Inca © Pintai Suchachaisri / Getty Images

Entrando

É importante, especialmente durante a alta temporada de maio a setembro, reservar sua passagem com antecedência. Licenças para visitar o sítio arqueológico de Machu Picchu estão disponíveis na Dirección Desconcentrada de Cultura Cusco, no site ou no escritório de Cuzco. Há um limite de 2500 licenças por dia e elas podem esgotar com dias de antecedência, então reserve cedo para evitar acabar desapontado. Os ingressos custam S/152 (por volta de US$46). Durante a alta temporada, os ingressos podem se esgotar com semanas de antecedência, então se planeje.

Só há algumas centenas de licenças adicionais disponíveis para se visitar Wayna Picchu, a montanha íngreme no final da ruína inca. Esses ingressos acabam ainda mais rápido,  precisam ser reservados cedo e só são alocados para dois horários no dia (7h a 8h e 10h a 11h). A subida é particularmente íngreme, então só escolha essa opção se você acha que consegue.


Aguas Calientes é a cidade mais próxima de Machu Picchu © Canela Rodal / EyeEm / Getty Images

Chegando lá

Trens vão da estação de Poroy, próxima de Cuzco, direto até Aguas Calientes, a cidade mais próxima de Machu Pichu. É prudente reservar o trem com antecedência com alguma das operadoras que oferecem o trajeto de 3h30. De Cuzco, os trens operados pela Peru Rail e Inca Rail oferecem diversas opções que variam em preço e luxo. Bilhetes estão disponíveis online ou no escritório da Peru Rail na praça principal de Cuzco, a Plaza de Armas. Também na Plaza de Armas de Cuzco fica um escritório da secretaria de turismo do Peru, que pode te ajudar se você estiver tendo dificuldades com os arranjos.

É recomendável chegar em Aguas Calientes um dia antes da sua visita a Machu Picchu, para que você possa dormir lá, entrar no sítio de manhã cedo e ter o dia todo para explorar as ruínas. Se possível, chegar para o nascer do sol é uma experiência mágica e a jornada na luz do início da manhã aumenta o encanto. Ônibus saem de Aguas Calientes desde  5h30 e levam os passageiros 25 minutos acima pela montanha. Alternativamente, você pode andar 8km por uma íngreme trilha. Se você decidir andar, esteja preparado para uma experiência fisicamente desafiadora, particularmente por causa da altitude. As vistas são fenomenais, mas conte com tempo extra pra Descanso se você pretende chegar no cume para o pôr-do-sol. 


Visite os terraços de Ollantaytambo antes de seguir para o pico de Machu Picchu © Anna Gorin / Getty Images

Subindo

Lembre-se, quer você decida andar ou não, não é possível correr nessa parte do Peru, já que a altitude força os viajantes a desacelerarem para se aclimatar. O que é ótimo, já que Cuzco não merece ser ignorada. Com frequência considerada só um ponto de partida para a Trilha Inca, Cuzco é uma joia em si mesma. A 3,350 metros acima do nível do mar, a cidade quase exige um ritmo de vida mais lento. Você verá viajantes e locais socializando para se aclimatar com a altitude, trocar histórias da estrada, descansar para a próxima viagem, ou simplesmente para aproveitar a cidade histórica e sua combinação de arquitetura colonial, vibe descontraída e incrível vistas do vale. Espere passar pelo menos alguns dias em Cuzco, já que a altitude pode causar dificuldades sérias para os viajantes e deve ser respeitada.

Dicas extras para sua visita a Machu Picchu

• Leve protetor solar – o sol é mais forte nas grandes altitudes.

• Traga comida e água com você – embora as placas digam que é proibido, você ficará grato por ter uma garrafa de água (só não jogue lixo no chão).

• Quando chegar ao topo, tire a icônica foto de cima, então passeie e aproveite o lugar.

• Se você subir a pé de Aguas Calientes até lá, considere pegar o ônibus pra descer; é quase tão difícil descer os degraus quanto subi-los.

• Não esqueça seu passaporte ao comprar os ingressos, ele é necessário para a reserva.

• Se você optar por caminhar a Trilha Inca, lembre-se de que ela fecha todo ano em fevereiro para manutenção.

Este artigo foi publicado em Setembro de 2018 e foi atualizado em Setembro de 2018.

Machu Picchu, Cuzco