Japão

Todas em Japão

‹ Anterior

de 2

  1. Buri

    O nome significa “super” no dialeto de Hiroshima e a multidão é animada. Quantidades generosas de saquê (mais de 50 variedades; ¥750) são servidas semicongeladas em jarras coloridas. Apesar de haver alguns bancos ao redor do balcão em forma de ferradura, Buri tem a alma de um tachinomiya (bar sem cadeiras).

  2. Clanska

    O Claska é o hotel mais estiloso de Tóquio; seus quartos foram decorados por designers locais. Alguns têm tatame e almofadas; outros têm terraços e banheiros com paredes de vidro. O hotel está no meio do distrito de design da cidade, ao longo da Meguro-dōri. Fica a 2km ou a 10 minutos de táxi (em torno de ¥1.000) da estação Meguro. Faça as reservas com bastante antecedência.

  3. Fuji Sengen-jinja

    Uma preliminar obrigatória para a subida ao Monte Fuji é a visita a esse templo arborizado, construído em 1615, mas que, acredita-se, ocupa o local de um santuário que data de 788. Vale a pena visitar esse cedro de mil anos, seu portão principal, que é reconstruído a cada 60 anos (um pouco maior a cada vez); e seus dois mikoshi (santuários portáteis) de 1t, utilizados no festival anual Yoshida no Himatsuri (Festival do Fogo de Yoshida). Fica a 15 minutos de caminhada da estação Fujisan, ou então, é possível ir de ônibus até Sengen-jinja-mae (¥150, 5 minutos).

  4. Hantei

    Situado num prédio tradicional com quase 100 anos, o Hantei é uma atração local. São servidos deliciosos espetos de kushiage (carne, peixe e legumes fritos), com pequenos acompanhamentos. O almoço inclui oito espetos e o jantar começa com seis, depois dos quais você pode continuar a receber rodadas adicionais (¥210 por espeto).

  5. Isetan

    A maioria das lojas de departamento atende o gosto mais conservador, este não é o caso. O 3º andar tem algumas roupas femininas de vanguarda, incluindo coleções de designers japoneses famosos e não tão famosos. Há um prédio inteiro para os homens (ligado por uma passarela). A praça de alimentação no piso inferior é o máximo também.

  6. Itōya

    Nove andares de papelarias aguardam os visitantes que vão a esse provedor secular de canetas-tinteiro e luxos em papel. O 6º andar oferece produtos japoneses mais tradicionais, incluindo washi (papel fino japonês feito à mão) e furoshiki (embrulhos de pano).

  7. Japan Sword

    Japan Sword vende espadas antigas, capacetes de samurai do período Edo e criações modernas de artesões que são “verdadeiros tesouros”. A galeria no 2º andar é um dos poucos lugares onde dá para ver espadas de verdade que não estejam atrás de vidros. Os funcionários falam inglês e arrumam os documentos para exportação. Também vendem réplicas.

  8. Kimi Ryokan

    Essa pousada sociável é, de longe, o melhor ryokan de Tóquio, com quartos pequenos, mas não apertados, quartos com tatame e um lounge confortável com chão de madeira, onde dá para encontrar companheiros de viagem e tomar um chá-verde. Os chuveiros e banheiros compartilhados são limpos e há também um encantador banho japonês de cipreste. Faça sua reserva com antecedência.

  9. Kiyosumi-teien

    O início de Kiyosumi-teien foi em 1721, quando era a propriedade de um daimyō. Depois que foi destruída pelo terremoto de 1923, Iwasaki Yatarō, fundador da Corporação Mitsubishi, comprou a propriedade. Ele utilizou navios da empresa para transportar enormes rochas de vários lugares do Japão, que foram colocadas ao redor de um lago repleto de pinheiros negros, hortênsias e cerejeiras de Taiwan.

  10. Mado Lounge

    No 52º andar da Torre Mori, a vista é magnífica do exuberante lounge, com iluminação fraca e janelas que vão do chão ao teto. É preciso pagar para entrar no Museu de Arte de Mori e/ou no Tokyo City View para subir até esse andar; portanto, faz mais sentido visitá-lo depois do museu.

  11. Marukaku

    O sakana teishoku (prato feito com peixe) tem uma clientela fiel; é fresco, substancioso e uma pechincha – considerando estar em cima da Chanel. As opções variam diariamente, dependendo da época. O cardápio do jantar é maior e inclui sashimi, pequenos pratos e espetos de carne grelhada e legumes. Procure pela noren (cortina) branca.

  12. Monte Omuro

    Ande na cadeira do teleférico por 4 minutos até o cume do Monte Omuro, cratera em forma de tigela de arroz e coberta de pastagens de um vulcão dormente, onde dá para admirar a vista costeira do Monte Fuji. Há uma caminhada de 1km ao redor do cume e, o mais bizarro, com um centro de arco e flecha no meio. Pegue o ônibus para Shaboten Kōen e Omuroyama na estação Itō (¥690, 40 minutos).

  13. Museu de Arte Mori

    Quando esse museu, situado nos andares 52º e 53º da Torre Mori no complexo Roppongi Hills, foi inaugurado em 2003, foi um divisor de águas para o panorama da arte de Tóquio. Antes dispersa, a arte contemporânea possui, agora, um lar central, com visibilidade e espaço para realizar exposições em grande escala.

    As exposições abrangem tanto movimentos globais quanto locais. A cada três anos, a exposição chamada Roppongi Crossing (próxima será no outono de 2014) enfoca artistas japoneses em ascensão e emergiu como um barômetro de tendências atuais.

  14. Museu Metropolitano de Arte de Tóquio

    Reaberto recentemente após uma longa reforma, esse museu, estabelecido em 1926, está de volta, com exposições temporárias de obras extremamente populares dos principais museus internacionais (como o Museu Metropolitano de Arte de Nova York).

  15. Museu Shitamachi

    Esse museu recria a vida nos quarteirões plebeus de Tóquio durante os períodos Meiji e Taishō (1868-1926) por meio de uma exposição de prédios em madeira típicos dessa época. Tire os sapatos e olhe dentro de um antigo cortiço ou dentro de uma loja de doces, repleta da atmosfera de Shitamachi. Peça um folheto em inglês. Há guias que falam inglês também.