Islândia

Todas em Islândia

‹ Anterior

de 2

  1. As Placas Tectônicas

    A planície de Þingvellir está situada no limite de uma placa tectônica, onde a América do Norte e a Europa estão se afastando em uma média de 1 a 18mm por ano. Como resultado, a planície é marcada por fissuras dramáticas, lagoas e rios, incluindo a grande fissura Almannagjá. Um caminho segue através da falha entre o centro de visitantes que fica no topo do penhasco e o Alþingi.

  2. Bíó Paradís

    Esse cinema descolado, decorado com pôsteres de filmes e material de escritório vintage, exibe apenas filmes islandeses com legendas em inglês. É uma chance para ver filmes que você provavelmente não encontrará em outros lugares. Além disso, acontece um happy hour das 17h às 19h30.

  3. Café Flóra

    Mesas ao sol preenchem uma estufa no Jardim Botânico e transbordam em um terraço repleto de flores, onde fica esse adorável café especializado em ingredientes locais saudáveis – alguns plantados lá no jardim! As sopas vêm acompanhadas de um fantástico pão fermentado e os petiscos variam de pratos de queijo com nozes e mel a sanduíches de carne de porco. Café e bolos caseiros finalizam.

  4. Centro da Ocupação

    Localizado em um depósito reformado no porto, o Centro da Ocupação oferece informações fascinantes sobre a história dos assentamentos islandeses e a era Saga. O museu é dividido em duas exibições, a visita a cada uma leva cerca de meia hora. A Exposição da Ocupação cobre a descoberta e ocupação da Islândia. A exposição A Saga de Egil reconta as incríveis aventuras de Egil Skallagrímsson e sua família. Um áudio-guia em várias línguas está incluso.

  5. Círculo de Valahnúkur

    Uma volta de duas horas e meia te leva até o brilhante mirante em Valahnúkur, que inclui desfiladeiros, glaciares e vistas ininterruptas do oceano. Partindo de Húsadalur, siga a trilha até o ponto de observação e então desça até Langidalur. De lá, passe por uma serrania entre os vales e retorne ao ponto inicial. Ou faça o contrário.

    Você pode caminhar por uma parte e fazer conexão com ônibus nos dois lados também.

  6. Dynjandi

    Equilibrada em uma ampla curva de uma escarpa rochosa de 100m no topo da baía de Dynjandivogur, Dynjandi (Fjallfoss) é a cachoeira mais dramática de região de Vestfirðir. O percurso na estrada esburacada, nos dois sentidos, é famoso na Islândia por suas vistas incríveis; você verá que as quedas d’água ficam no centro de picos e vales ao redor.

  7. Gamla Laugin

    Vá antes que as multidões cheguem! Inaugurada em 2014, essa adorável fonte termal é uma versão reformada da fonte que a cidade utilizou por anos. É uma piscina geotermal ampla e calma, com vapor subindo, cercada por rochas naturais e com um fundo coberto de cascalho. A trilha ao longo da borda passa pelo rio local e uma série de ventos crepitantes e gêiseres. Os prados ao redor ficam repletos de flores no verão. Nas horas mais tranquilas, é possível tê-lo só para você.

    Encontre o caminho sinalizado (também há uma placa para Hvammar) ao fim de uma trilha na estrada na margem norte do rio Litla-Laxá, em Flúðir.

  8. Hallgrímskirkja

    A imensa igreja de concreto (1945–86) de Reykjavík, que é a estrela de milhares de cartões postais, domina o horizonte e é visível a até 20km de distância. Ganhe uma vista imperdível da cidade apenas pegando um elevador que sobe a torre de 74.5m. Fazendo contraste com o elevado drama do exterior, o interior da igreja luterana é bastante simples. A característica que mais chama atenção é a série de 5275 flautas do órgão instalado em 1992. O tamanho e design radical da igreja causaram controvérsia e seu arquiteto, Guðjón Samúelsson (1887–1950), não chegou a presenciar sua conclusão.

    De meados de junho a meados de agosto, ouça concertos de cordas ao meio-dia de quarta-feira e recitais de órgãos ao meio-dia de sábado e em algumas quintas, além de domingo às 17h. Missas são celebradas aos domingos, 11h, e uma pequena missa às quartas, 8h. Há uma missa celebrada em inglês no último domingo do mês, às 14h.

  9. Hótel Laxá

    Esse hotel arquitetonicamente impressionante, com design sustentável, aberto em meados de 2014, fica a cerca de 2 km a leste de Skútustaðir e trouxe renovação a Mývatn. Possui 80 quartos modernos e simples – um pouco caro, mas confortável, com um esquema de cores que complementa o lugar. As grandes janelas e sofás verdes do bar-lounge convidam à contemplação; há também um restaurante estiloso no próprio hotel.

  10. Kaffibarinn

    Essa casa antiga com o símbolo do metrô de Londres na porta contém um dos bares mais legais de Reykjavík; ele até mesmo teve um papel importante no filme cult 101 Reykjavík (2000). Nos fins de semana, você sentirá como se precisasse de um rosto famoso ou um esporão para entrar. Em outros momentos, é um local onde tipos artísticos relaxam com seus Macs.

  11. KEX Hostel

    Uma sede não-oficial do reino mochileiro e lugar famoso para reuniões e encontros, o KEX é um mega hostel com vários estilos (imagine que o Vaudeville retrô encontra o country) e bem sociável. No geral, não é tão arrumado quanto outros hostels – e os banheiros são compartilhados por muitos – mas o KEX é um favorito perene por seu ambiente amigável e seu ressonante bar-restaurante com vista para a água e o pátio interno.

  12. KronKron

    É aqui que Reykjavík encontra a alta costura, com Marc Jacobs e Vivienne Westwood. Mas também é possível aproveitar as marcas escandinavas (entre elas Kron by KronKron) que oferecem vestidos de seda, capas de tricô, cachecóis e até mesmo lingerie de lã. Os sapatos feitos à mão são impressionantes (também são vendidos na rua onde o Kron está localizado).

  13. Láki Tours

    A Láki Tours oferece ótimas viagens de pescaria, observação de pássaros e de baleias, partindo de Grundarfjörður ou de Ólafsvík. A Puffin Tour sai de Grundarfjörður e vai até a incrível ilha de basalto, Melrakkaey, que possui colônias de papagaios-do-mar, rissas e outros pássaros do mar, além de super vistas de Kirkjufell. Os passeios de observação de baleias dependem da estação, mas cobrem o melhor terreno de baleias da região: orcas, baleias-fin, cachalotes, baleias-azuis, baleias-de-minke e baleias-jubarte são possibilidades. Verifique no site os passeios e pontos de partida.

  14. Lindin

    Propriedade de Baldur, um afável e celebrado chefe, o Lindin é o melhor restaurante em quilômetros. Localizado em uma charmosa casinha prateada, o restaurante está de frente para o lago e é completamente gourmet, com comida islandesa altamente conceitual feita com ingredientes locais ou selvagens. O bistrô moderno e casual serve um cardápio que varia de sopas a um incrível sanduíche de rena. Reserve com antecedência para jantares em alta temporada.

  15. Loftið

    O Loftið é para coquetéis sofisticados e vida boa. Se arrume bem para juntar-se à multidão nesse lounge aberto no segundo andar, com um bar de zinco, decoração inspirada em lojas de alfaiataria retro, azulejos vintage e frequentadores pomposos. A bebida comum aqui é o que os outros lugares têm de melhor. Bandas de jazz tocam nas quintas à noite.