Dicas e artigos

Sete atrações surpreendentes do leste europeu

Anita Isalska

 

Esqueça as belas vistas das cidades e a agitada vida noturna: além de ver as atrações clássicas do leste europeu, você pode conhecer bruxas, ouvir a música do oceano e até voltar no tempo. Prepare-se para sorrir – ou tremer – diante de alguns dos pontos mais surpreendentes da Europa do leste.

 

Panorama de Racławice em Wroclaw, Polônia

Nada combate o cansaço de museus como uma pintura incrivelmente grande, e esta obra-prima deve ser, talvez, a mais imersiva (e maior) de seu tipo. O Panorama de Racławice leva você para tão perto do campo de batalha, que dá quase para sentir o cheiro de pólvora. Ele retrata a famosa Batalha de Racławice, de 1794 – uma bela vitória dos polacos, embora tenham perdido, ao final, sua luta pela independência. O painel se estende por emocionantes 114 m, cobrindo as paredes de uma rotunda. Detalhes como areia e moitas dentro do edifício transportam o visitante diretamente para a ação. Esse monumento em homenagem à triste história de guerra da Polônia dá um nó na garganta dos habitantes locais, enquanto você, estrangeiro, fica boquiaberto.

 

Colina das Bruxas, Lituânia

Se der um passeio na floresta hoje em dia, vai ter uma grande surpresa: esta duna de areia reflorestada, no Istmo da Curlândia, na Lituânia, está repleta de esculturas feitas na madeira, que vão do engraçadinho ao macabro. A alguns passos da cidade à litorânea de Juodkrantė (siga placas indicando “Raganų Kalnas”), as crianças podem escorregar por uma enorme língua de bruxa, enquanto os pais se contorcem diante de sinistros rostos satânicos que observam por entre as árvores. Pose ao lado do demônio com verruga no nariz ou do gnomo com cabeça de cogumelo antes que o medo impere e você tenha de fugir do lado sombrio da Lituânia com uma longa caminhada tranquila a beira-mar.

 

Órgão do Mar em Zadar, Croácia

Ouça a música do oceano nesta fantástica criação que fica na orla de Zadar. Conforme a maré desce e sobe, empurrando água pelos tubos do órgão, este gera melodias que vão de baladas sonoras a cacofonias cheias de angústia, dependendo do clima. Vá durante uma tempestade para presenciar um ataque aural e passeie por ali à noite para desfrutar do espetáculo de luzes Saudação ao Sol, quando quadrados de neon e ziguezagues iluminam o píer. Saiba mais sobre o órgão aqui.

 

Cidade-fantasma de Prypiat, Ucrânia

A palavra Chernobyl desperta um terrível sentimento da memória mundial, mas a Ucrânia – como muitos outros países da Europa – ainda vive com o legado do acidente nuclear de 1986. Grandes partes da zona rural ucraniana ainda contêm radioatividade demais para que sejam cultivadas ou habitadas de maneira segura, e as cidades mais próximas do reator foram abandonadas. Mas tours organizados podem levar você para dentro dessa zona numa visita a Prypiat, uma cidade-fantasma. Caminhe com cuidado pelo vidro quebrado, olhe para cima para ver a roda-gigante enferrujada que nunca teve a chance de dar uma volta e observe os grafites que povoam a cidade com figuras sombrias. Não pise no musgo; a maioria dos guias lembram os turistas do poder que ele tem de absorver altos níveis de radiação. Muitos albergues da capital, Kiev (como o Hostel Kiev Backpackers, de preços acessíveis) ajudam você a encontrar uma agência.

 

Hotel Viru em Tallinn, Estonia

Já teve aquela sensação de estar sendo observado? Pois os hóspedes do Hotel Viru não poderiam ser acusados de paranoia: durante a Guerra Fria, todos os seus passos eram gravados por uma vigilância secreta da KGB mantida no 23o andar do prédio. O museu criado ali, recentemente aberto, tem engenhocas e histórias de espionagem para despertar o agente secreto que existe em você. Reserve com antecedência, pois há vagas limitadas nos tours (veja mais aqui).

 

Cripta dos Capuchinhos em Brno, República Tcheca

A República Tcheca é rica em atrações incríveis, do majestoso panorama de Praga até o funsto ossuário de Kutna Horá. Um dos pontos mais alternativos é a Cripta dos Capuchinhos em Brno, com seu exterior rosa, muito diferente do que se encontra lá dentro. A circulação de ar dentro do mosteiro capuchinho de Brno garantiu a perfeita preservação dos corpos dos monges quando estes foram colocados ali. Caminhando entre seus resquícios, como se fossem folhas secas ainda envoltas nas túnicas que vestiam em vida, é sinistramente fascinante, ainda mais nesse lindo cenário da segunda cidade da República Tcheca.

De volta à luz do sol, você pode esquecer sua frágil mortalidade e beber uma cerveja na Namesti Svobody (a Praça Principal). Ou investir ainda mais no tema macabro de caçar múmias no leste europeu visitando também os restos de Lênin em Moscou, ou contando corpos em Pecherska Lavra, em Kiev.

O interior sinistro da Cripta dos Capuchinhos de Brno. Foto de Anita Isalska

 

Kunstkamera em São Petersburgo, Rússia

Cérebros em potes, esqueletos escrupulosamente arrumados... às vezes fica difícil não questionar a sanidade de historiadores naturais. Mas, embora o Museu de Antropologia e Etnologia de São Petersburgo possa impressionar o visitante, com Pedro, o Grande, tendo sido seu principal colecionador, ele está longe de ser um show de horrores. A intenção do czar era combater crenças supersticiosas sobre o corpo humano, mas esse nobre objetivo parece ter evaporado quando ele começou a insistir que pais de luto doassem os corpos de seus filhos – desde que fossem deformados o suficiente para obedecer ao seu critério, claro. Uma visita ao Iluminismo de dar, no mínimo, frio na espinha.

Este artigo foi publicado em Novembro de 2012 e foi atualizado em Novembro de 2014.