Dicas e artigos

As melhores regiões para 2020

 

1. Rota da Seda, Ásia Central

A Rota da Seda, região que um dia se enriqueceu com comércio e viajantes, chama mais uma vez a atenção de todos. As cidades antigas, os mercados agitados e as paisagens selvagens da Ásia Central atraem um número cada vez maior de visitantes em busca de aventura em uma das rotas mais cheias de história do mundo. Quirguistão, Tajiquistão e Uzbequistão agora permitem a entrada de estrangeiros sem visto ou com vistos eletrônicos para a maioria dos cidadãos do mundo – inclusive está em discussão a adoção de um visto único que abranja toda a Rota da Seda. Enquanto isso, um enorme investimento em transporte e infraestrutura – boa parte sob a iniciativa chinesa para construir ferrovias e estradas – promete tornar as viagens nessa rota mais acessíveis.

A praça Registan, no Uzbequistão, é um impressionante complexo de joias arquitetônicas © efesenko/Getty Images

 

2. Le Marche, Itália

Parece que a aprendiz finalmente está pronta para compartilhar o palco com uma protagonista. Embora o papel principal, em geral, seja da sua famosa vizinha Toscana, a região de Le Marche, na Itália, possui um repertório de atrações igualmente amplo. O lugar oferece aos seus visitantes cidadezinhas tradicionais no topo de montanhas, gloriosos festivais gastronômicos, resplandecentes palácios renascentistas, exuberantes campos verdejantes e praias convidativas; tudo isso com o bônus da tranquilidade, pois são atrações muito menos conhecidas. Em 2020, os holofotes estarão apontados para essa região, já que Urbino, a cidade mais pitoresca de Le Marche, lidera as comemorações do aniversário de 500 anos da morte do grande pintor renascentista – e menino local que se deu bem na vida – Rafael.

A maravilhosa cidade do século 15: Urbino © Stefano_Valeri / Shutterstock

 

3. Tohoku, Japão

O Japão vai ferver em 2020 com pessoas de todo o mundo desembarcando em Tóquio para os Jogos Olímpicos de Verão, e talvez nenhuma região do país esteja tão ansiosa para entrar na festa quanto Tohoku. Ainda se recuperando do devastador terremoto e tsunami que a assolou em 2011, a região trabalhou duro para reabrir o sistema de transporte, desenvolver novas rotas para trajetos de longa distância, além de reconstruir e melhorar seus pontos turísticos. Já conhecida dentro do Japão por suas dramáticas paisagens naturais, sua herança cultural, seus festivais históricos, sua boa comida e acolhida calorosa, Tohoku surge como um sopro de ar fresco para o viajante aventureiro, mas cansado das multidões, ficando a apenas algumas horas de trem-bala à nordeste da capital.

O grande lago Towada surgiu de uma erupção vulcânica © Photos from Japan, Asia and othe of the world / Getty

 

4. Maine, EUA

O maior estado da Nova Inglaterra sempre foi cheio de orgulho, mas este ano o amor pela “Fériaslândia” chegará ao auge com a celebração do seu bicentenário. Por toda a região, cidades e vilas terão exposições especiais, concertos e festivais para comemorar os 200 anos do estado. Claro, mesmo se não fosse aniversário de Maine, ainda seria um ótimo momento para visitá-lo. Como a sua cena gastronômica explodiu nos últimos anos, você encontrará restaurantes com pratos vindos direto da fazenda, cafés, padarias artesanais e cervejarias independentes por todo o estado. E, apesar da crescente popularidade do lugar, é fácil evitar a aglomeração de pessoas, ao se refugiar nas vastas florestas do Maine e em sua dramática costa salpicada de faróis.

Um farol guarda Bass Harbor no Parque Nacional de Acadia © AppalachianViews / Getty Images

 

5. Ilha de Lord Howe, Austrália

Localizada no meio do nada, a 600km da costa australiana, essa impressionante ilha, considerada patrimônio da humanidade, chama a atenção por sua beleza de cair o queixo. Duas montanhas verdejantes emolduram uma magnífica lagoa e um belíssimo recife de corais; praias perfeitas e trilhas esplêndidas cortando florestas exuberantes também são opções para curtir o local ao ar livre. O antigo vulcão inativo torna a região um refúgio para muitas espécies endêmicas, além de atrair uma abundante variedade de aves. A ilha é um ótimo exemplo de turismo sustentável: apenas 400 visitantes podem entrar nela por vez, e todos são encorajados a participar de uma série de projetos ecológicos. A distância a que está Lord Howe e o seu tamanho fazem desse lugar uma escapada idílica.

As montanhas de Lord Howe se erguem acima da lagoa © Southern Lightscapes-Australia / Getty Images

 

6. Província de Guizhou, China

Guizhou é uma província localizada na fronteira da China. Sua capital, Guiyang, tem mais de 4 milhões de habitantes (população maior do que a de Los Angeles, Roma e Berlim, por exemplo). Ao entardecer, suas ruas fervilham com barraquinhas de comida e uma tigela de macarrão de arroz apimentado custa centavos; seguindo por vielas, verá estabelecimentos locais, como cafés e cervejarias, começando o expediente. No interior, antigas vilas de madeira ainda perduram por séculos quase intocadas pelo tempo e oferecem amenidades aos viajantes. Tudo isso é conectado pelas novas linhas de trem de alta velocidade, o que significa que você pode ir para Chongqing ou Kunming saindo Guiyang em apenas algumas horas. Além disso, as contínuas melhorias em infraestrutura resultaram reluzentes novas estradas e pontes que trazem para o século 21 o esforço de se embrenhar nas místicas montanhas de Guizhou.

A antiga cidade de Zhenyuan nas margens do rio Wuyang © 4045 / SHUTTERSTOCK

 

7. Província de Cádiz, Espanha

Com uma série de êxitos gastronômicos, a província de Cádiz está chamando a atenção do mundo. Rainha do Triângulo de Xerez, Jerez de la Frontera ganhou sua primeira estrela Michelin em 2018 – cortesia do restaurante LÚ, Cocina y Alma, de Juan Luis Fernández – e os tabancos da região, datados do século 20, foram salvos da extinção por novos empreendedores. Até o xerez entrou na moda de novo! Em El Puerto de Santa María, Ángel León’s Aponiente é um dos dois restaurantes com três estrelas Michelin na Andaluzia. Logo após ele vem o Léon, com uma estrela no restaurante Alevante, em Sancti Petri. Vejer de la Frontera se reinventou como polo gastronômico de hotéis butiques, além de cafés da moda, restaurantes e acomodações que renovam a energia da fenícia Cádiz. Acrescente a isso novos voos para Jerez, e essa região está pronta para ser descoberta.

A Catedral de Cádiz se ergue por cima dos telhados da cidade © KAVALENKAVA / SHUTTERSTOCK

 

8. Nordeste da Argentina

Com as cataratas mais impressionantes da América do Sul, uma rica história regional e uma excepcional biodiversidade, o nordeste da Argentina deveria entrar na lista de lugares a serem visitados de todos os viajantes. É aqui que encontramos as famosas Cataratas do Iguaçu, uma das sete maravilhas do mundo natural, mas também há outras áreas a serem exploradas nessa região acidentada e de clima temperado. Inaugurado em 2018, o Parque Nacional Iberá se tornou uma das melhores atrações da Argentina. Ele carrega uma inspiradora história de sucesso em que a natureza restaurada causou grande impacto positivo nas comunidades adjacentes. O reflorestamento está trazendo de volta a fauna nativa, com araras-vermelhas, veados campeiros e onças. Além disso, viajar para a Argentina continua tendo um ótimo custo-benefício.

O estrondoso espetáculo das Cataratas do Iguaçu, o maior conjunto de quedas d’água do planeta © ALEX BERGER / VIRTUALWAYFARER.COM / GETTY IMAGES

 

9. Golfo de Kvarner, Croácia

Espremido entre os centros turísticos de Dalmácia e Ístria, essa parte menos conhecida da costa croata tem construído sua reputação sem fazer alarde durante a última década – tanto na cena gastronômica quanto em questões ambientais. Agora o Golfo de Kvarner está pronto para brilhar, com sua principal cidade, o antes decadente porto de Rijeka, assumindo o papel de Capital Europeia da Cultura em 2020. As novidades na região incluem espaços reformados para abrigar museus e centros culturais. Desempenhando um papel coadjuvante – mas prontas para roubar a cena –, estão as ilhas do golfo, com sua beleza atemporal, históricas cidades muradas repletas de arquitetura da era veneziana, numerosas praias e considerável charme.

As casas de pedra de Volosko se erguem a partir do porto em um conjunto de ruazinhas © PANTHER MEDIA GMBH / ALAMY STOCK PHOTO

 

10. Amazônia brasileira

A Amazônia brasileira é o mundo natural em sua forma mais pura – um lugar ancestral, onde a colorida e caótica biodiversidade junto à flora labiríntica fazem da região algo semelhante a um devaneio. A selva úmida é o lar de diversas plantas e alguns dos animais mais raros do planeta, além de ser a residência de comunidades que são guardiãs dessa grande área verde há séculos. Com a mudança no clima do planeta, a conservação da Amazônia brasileira se tornou algo prioritário. Em 2020, uma viagem cuidadosa e bem-planejada à floresta mais importante da Terra incentivará os esforços de turismo sustentável e beneficiará as comunidades locais e a economia nacional, além de destacar o valor cultural e monetário da preservação da floresta.

Neblina da manhã sob o rio Amazonas © BRASIL2 / GETTY IMAGES

Este artigo foi publicado em Outubro de 2019 e foi atualizado em Outubro de 2019.