Dicas e artigos

Paisagens do Big Sur: as melhores vistas em sua road trip pela Highway 1

Sarah Stocking

Uma road trip épica é um dos passatempos favoritos dos Estados Unidos, e poucas estradas são mais icônicas que a Highway 1 passando pelo Big Sur. Curvas fechadas abraçam a costa acidentada e quilômetros de vistas incríveis inspiram encanto até no mais experiente viajante.


A melhor temporada para flores silvestres é a primavera, mas toda hora é boa para dirigir pela Highway 1 © Allard Schager / Getty Images

Nós gostamos de começar a norte do Big Sur e dirigir para o sul, o que mantém as vistas à direita, mas não se esqueça de revezar a direção. Embora babar pela janela seja ótimo, a chance de dirigir nessa estrada épica também é espetacular. Dirigir todos os 122 quilômetros que vão da Ponte Bixby até o Castelo Hearst sem parar leva umas duas horas. Mas você deve fazer paradas. Aqui vão algumas para começar.


É impossível tirar uma foto ruim da Ponte Bixby © Jay Chen / Getty Images

Ponte Bixby

Um dos pontos mais reconhecíveis do Big Sur, a Ponte Bixby é uma das pontes suspensas mais altas do mundo. Para conseguir as melhores fotos da ponte, pare no lado sul em vez do norte. Você precisa encontrar uma pequena estrada de terra à direita e dirigir um pouco para cima, mas vale totalmente a pena.

Point Sur Historic Park

Uns 10 km ao sul da Ponte Bixby fica o Point Sur State Historic Park. Parece uma ilha, mas ele está conectado a terra por um banco de areia. Um farol de 1889 fica no topo da rocha vulcânica. Visitantes podem reservar um tour com antecedência.

Andrew Molera State Park

Algumas das melhores trilhas no Big Sur ficam no Andrew Molera State Park, que possui algumas trilhas cênicas de tamanhos variados para todos os tipos de trilheiros. Pare no Big Sur Discovery Center para informações sobre os ameaçados condores da Califórnia, que têm voltado à região.


Pfeiffer Beach é uma das muitas paradas ao longo da Highway 1, que resume perfeitamente o poder e a beleza da costa do Big Sur © Kennan Harvey / Getty Images

Pfeiffer Beach

Molhe os pés no Pacífico nessa praia em forma de lua crescente. As ondas são fortes demais para banho ou surfe, mas a praia é um lugar impressionante para admirar o poder do oceano. Seu companheiro de quatro patas também é bem-vindo na areia arroxeada e formações rochosas fotogênicas.

Partington Cove

Saia do carro para esticar as pernas na Partington Cove. A íngreme caminhada de 800m pelo túnel emerge em uma praia pedregosa e vale a pena o esforço. As ondas batem contra as formações rochosas e espirram a espuma de forma dramática.


Depois de ter fotografado a cachoeira desaguando no oceano, explore um pouco e faça um lanche e aproveite a linda vista © Kevin Schafer / Getty Images

Julia Pfeiffer Burns State Park

Para a icônica foto da cachoeira desaguando no oceano, cercada pelas exuberantes palmeiras, faça uma parada em McWay Falls. A trilha para o mirante fica em frente ao estacionamento do Julia Pfeiffer Burns State Park. Essa pequena caminhada te dá uma vista incrível e fotos de cartão postal. Do lado sul da McWay falls fica um camping sazonal e algumas mesas de piquenique. No lado do interior da Highway 1, dentro do parque, você encontrará mais trilhas.  

Jade Cove

As marés na Jade Cove são conhecidas por trazerem pedaços de pedras verde escuro ou pretas para a praia. O melhor momento para encontrar seu próprio souvenir é na maré baixa depois de uma grande tempestade, mas é melhor não ficar muito esperançoso. Embora as pessoas ainda busquem tesouros na praia, esse pode ser um bom momento para se lembrar de tirar apenas fotos e deixar apenas pegadas. Há uma maravilhosa trilha que começa perto da ponta sul, diretamente em frente à placa escrito Jade Cove.


Ache um ponto no penhasco e observe o mar – é provável que você veja um ou dois esguichos de baleia © Doug Steakley / Getty Images

Observando baleias

Baleias migram pela costa do Pacífico, seja para o sul, na direção das águas quentes do México, ou norte para o Alasca e águas mais geladas. É possível ver os esguichos da estrada e, às vezes, se você achar um bom ponto e ficar sentado por um tempo, você pode até pegá-las fazendo suas acrobacias de baleia. Também há golfinhos, lontras e focas por ali.


Se você cruzar os penhascos do Big Sur até San Simeon, dê uma olhada no Hearst Castle, ou tome uma taça de vinho no Sebastian's © Liangwei / Getty Images

Cruzando a linha de chegada

Se você conseguiu chegar até San Simeon, veja os elefantes marinhos em Piedras Blancas antes de passar no Hearst Castle. Faça um tour do prédio desenhado por Julia Morgan, ou experimente uma taça de vinho na sala de degustação da Hearst Ranch Winery, o Sebastian's. Essa loja de conveniência remodelada também oferece algumas opções de comida.

Abastecendo

Você vai ficar com fome no meio do caminho. Nesse caso, é melhor já parar em algum dos lugares fantásticos do Big Sur para se reabastecer. A Big Sur Road House serve café da manhã e almoço próximo ao rio aninhado entre as sequoias. Pare aqui se você está atrás de combustível para sua manhã. A Big Sur Deli & General Store serve sanduíches e lanches para levar. Se você quer sei hamburguer e vinho acompanhados de uma bela vista, escolha o Nepenthe.


Com a opção de um aconchegante chalé na floresta ou um estiloso quarto de hotel, o Glen Oaks Big Sur é um ótimo ponto de chegada para sua travessia da Highway 1 © Sarah Stocking / Lonely Planet

Onde dormir

Dê uma olhada no Glen Oaks Big Sur para um aconchegante chalé na floresta. Banheiras externas nos pátios dos chalés privativos são o lugar perfeito para relaxar depois de um longo dia na estrada e os estilosos quartos são tão confortáveis que você pode não querer sair nunca mais. Você também pode acampar em diversos campings ao longo da Highway 1, mas reserve com antecedência em www.reservecalifornia.com.

Faça ou evite no Big Sur

Essa é uma região frágil e selvagem. Há muitas pessoas que visitam, vivem e amam esse lugar. Por favor, seja gentil na estrada. Leve embora tudo que você trouxer e planeje as pausas para banheiro na estrada. Para evitar multidões, pense em épocas alternativas para visitar. No inverno, as baleias são mais ativas. No início da primavera é quando as lontras têm filhotes e no final dela, as flores selvagens estão floridas. A vista é sempre espetacular, então não há motivos para não tentar a baixa temporada.


Sarah Stocking viajou pelo Big Sur com o apoio do Visit California. Os autores do Lonely Planet não aceitam brindes em troca de boa cobertura.

Este artigo foi publicado em Março de 2019 e foi atualizado em Março de 2019.