Dicas e artigos

Um guia para sua primeira viagem ao Parque Nacional das Montanhas Great Smoky

Regis St. Louis

Picos acidentados, florestas verdejantes e cachoeiras caudalosas são o cenário de uma grande aventura nas Montanhas Great Smoky, um dos parques nacionais mais queridos dos Estados Unidos. Ao longo de 202 hectares no sul dos Apalaches, o parque é um país das maravilhas em qualquer estação, famoso tanto pelas coloridas flores de primavera, quanto pelos tons flamejantes do outono. As Smokies também são o lar de uma variedade impressionante de vida animal e vegetal – de ursos negros desconfiados a exibições impressionantes de vagalumes sincronizados.


O glorioso amanhecer das Smokies faz seu dia começar no caminho certo © KenCanning / Getty Images

Visão geral

Há muitas formas de acessar o parque nacional mais visitado dos Estados Unidos, que se espalha pelos estados do Tennessee e Carolina do Norte, no sul do país. As principais entradas para esse parque nacional em forma de batata são o Sugarlands Visitor Center, perto de Gatlinburg, Tennessee, e o Oconaluftee Visitor Center perto de Cherokee, Carolina do Norte. Entre os dois fica a bonita Newfound Gap Road, que serpenteia por 46km, dividindo perfeitamente o parque (é o único asfalto a cruzar as Smokies). O ponto de partida para algumas das trilhas mais populares e alguns dos principais pontos históricos do parque podem ser encontrados ao longo dessa via. Outros pontos de acesso populares são o Cataloochee Valley no lado leste do parque e o Cades Cove a oeste.


Com mais de 1200km de trilhas, as Smokies oferecem opções para todos os níveis © Jumping Rocks/UIG / Getty Imagesbbeauti

O que ver e fazer nas Montanhas Great Smoky

Uma das grandes atrações das Smokies é o amplo sistema de trilhas que cruza vales arborizados e montanhas cobertas de neblina. Há mais de 1200km de caminhos, que vão de passeios confortáveis ao longo de bonitos riachos a trilhas desafiadoras de muitos dias – como os de 16km para subir e descer a ventosa Thunderhead Mountain, em que se ganha mais de 1km de altitude. Mais de 112km do grande Caminho dos Apalaches cortam o parquet nacional e com mais de 100 lugares para acampar e abrigos, o parque oferece estrutura excepcional para trilhas de muitos dias. 

Além de trilhas, há muitas formas de experimentar as Montanhas Great Smoky. Quando você precisar de um descanso da caminhada, você pode deixar o trabalho para uma montaria confiável. Estábulos para cavalgadas ficam em Cades Cove, Sugarlands e Smokemont. O parque também possui cenários inigualáveis para se passar de carro, incluindo algumas estradas pelas montanhas de onde você pode ver a extensão aparentemente infinita de picos. Você pode visitar as bem preservadas cabanas de madeira, moinhos e escolhas construídas pelos primeiros habitantes da área. E a vida selvagem a ser observada é excepcional – o Cataloochee Valley é um lugar ideal para ver cervos, reintroduzidos nas Smokies em 2001.


O Cataloochee Valley está cheio de oportunidades para se observar a vida selvage, incluindo cervos © Bill Swindaman / Getty Images

Quanto custa uma viagem para as Smokies?

Se você busca férias baratas, é difícil vencer as Smokies. Além do aluguel do carro, as despesas são mínimas. Acampar, uma das melhores formas de experienciar o parque nacional, sai por menos de $30 a noite (só $17,50 em alguns lugares) e todas as atrações dentro do parque são gratuitas, incluindo o Mountain Farm Museum, os prédios históricos de Cades Cove e a vista panorâmica em Clingmans Dome), sem falar em todas as trilhas. E, diferente do Grand Canyon e outros parques nacionais, esse não te cobra um centavo para entrar: as Smokies têm entrada totalmente gratuita. Acrescente ainda vários programas gratuitos guiados pelos guardas do parque – caminhadas noturnas, histórias ao pé da fogueira, palestras nas varandas de manhã (com café de graça), feiras de cultura apalache – e você tem uma das viagens mais notáveis e econômicas dos Estados Unidos.


Não custa nada caminhar até a vista panorâmica de Clingmans Dome © Ali Majdfar / Getty Images

Onde dormir nas Smokies

O apelo das Montanhas Great Smoky certamente não é nenhum segredo e o parque fica bem cheio durante os movimentados meses do verão (jun-ago) e no outono, quando as folhas mudam de cor (set-out). É bom planejar com antecedência, para poder ter boas escolhas de acomodação. Todos, exceto um, dos campings na frente do parque podem ser reservados online. Para campings no fundo do parque (acessíveis em passeios de mais de um dia) você pode fazer reservas no escritório de licenças do parque, pessoalmente ou online. Se você preferir não dormir numa tenda, a única opção dentro dos limites do parque é o LeConte Lodge, uma coleção adoravelmente à moda antiga de chalés de madeira, perto do topo do Mount LeConte (altitude 2000m). A hospedaria não é acessada pela estrada, então para chegar lá, você vai precisar subir por uma trilha que vai de 8km a 14,4 km dependendo de qual trilha você decidir usar. (Note que o abastecimento da pousada é trazido por lhamas; você pode cruzar com elas se pegar a Trillium Gap Trail.)

Há bastante acomodações fora do parque. Gatlinburg, uma espécie de balneário, é cheia de hotéis e hospedarias e há chalés para alugar pela cidade e nas redondezas – especialmente perto de Cherokee, Bryson City e Pigeon Forge.


​O trillium amarelo está entre as muitas flores silvestres raras e lindas que crescem nas Montanhas Great Smoky © Bill Swindaman / Getty Images

Preparos (e segurança) nas Smokies

As trilhas são bem marcadas no parque nacional, embora seja bom pegar um mapa (disponível nos centros de visitantes) antes de sair. Tenha certeza que seus sapatos de caminhar são fortes (de preferência botas à prova d’água), bastante água e lanches, roupas quentes (fica gelado nas altitudes mais altas, mesmo no verão) e equipamento para chuva (é uma possibilidade o ano todo). Um bastão de caminhada também pode ser útil. Avise um parceiro que não está na trilha para onde você vai e quando planeja retornar. Fique atento a pedras escorregadias e não nade ou caminhe pelas águas do parque (quedas e afogamento são as causas principais de ferimentos).

Como há ursos aqui, você precisa guardar todas as comidas dentro do seu veículo. Falando em ursos, eles em geral são bastante tímidos e evitam o contato humano, embora se você der de cara com um, mantenha a distância e não o perturbe (ou alimente!). No caso improvável do urso se aproximar de você, fique parado, tente parecer o mais alto possível e faça bastante barulho – o que em geral detém o urso.

Chegando lá

Se você quiser voar, o aeroporto mais próximo do parquet é o I McGhee Tyson Airport em Knoxville (uns 70 minutos de carro até a entrada principal do parque perto de Gatlinburg). Outros aeroportos próximos incluem Asheville, NC (80 minutos de carro) e o Charlotte-Douglas International Airport (3 horas de carro). Não importa de onde você estiver vindo, é melhor ter um carro, já que não há serviços de ônibus para o parque ou qualquer transporte público uma vez que você chega lá.

Este artigo foi publicado em Novembro de 2018 e foi atualizado em Novembro de 2018.