Dicas e artigos

Savannah para iniciantes

Adam Karlin

Há poucas cidades nos Estados Unidos tão bonitas quanto Savannah. Quando a maior parte das pessoas pensa no Sul, elas pensam em luar e magnólias – mas nessa cidade lindamente preservada, o clichê chega perto da verdade. É difícil caminhar pelos elegantes sobrados, avenidas espaçosas e praças verdes de Savannah sem sentir algo profundo te tocar.

Antes de chegar, é uma boa ideia se familiarizar com o layout icônico da Savannah histórica, desenhado pela primeira vez em 1733 e conhecido como o Plano Oglethorp. De fato, Savannah foi construída em volta de praças públicas, cada uma cercada por quatro blocos residenciais – para casas - e quatro blocos de “confiança” para igrejas, escolas e outras instituições cívicas. Juntos, as praças e blocos formam as seções originais da cidade.

A linha entre “confiança” e residências tem sido porosa há séculos e algumas das casas mais icônicas da cidade ocupam o espaço dos prédios públicos. Bairros foram acrescentados à Savannah ao longo dos anos e as partes mais novas da cidade dispensaram totalmente o Plano Oglethorpe, mas as partes mais frequentadas pelos turistas aderem ao layout.


Icônicos carvalhos no Forsyth Park © Jena Ardell / Getty

O resultado é uma cidade que parece ao mesmo tempo caminhável e aconchegante e aberta e arejada. Você não precisa andar muito para encontrar um espaço verde, todos eles transformados em parques para as casas adjacentes. À noite, muitas das praças de Savannah parecem ter se tornado atualmente cenário para fotos de modelos das redes sociais que buscam aumentar sua influência por meio do adorável cenário e linda herança arquitetônica da cidade. O Forysth Park, um parque de 12 hectares ancorado por uma enorme fonte é um grande retângulo que, embora não seja tecnicamente parte do sistema de seções, ainda vale o passeio.

Para além das icônicas praças de Savannah, você vai querer ter tempo de explorar a River St, onde antigos armazéns e anexos foram transformados em elegantes hotéis boutiques com vista para o fluxo preguiçoso e lânguido do Rio Savannah.


Uma escultura no Cemitério de Bonaventure © Daniela Duncan / Getty

Cemitério de Bonaventure

Apesar de todos os encantos estéticos do centro de Savannah, considere começar a explorar essa animada cidade pela necrópole construída para seus mortos. Construído às margens do rio Wilmington, o Bonaventure foi um cenário importante no filme e livro Meia Noite no Jardim do Bem e do Mal. O espaço de 40 hectares é cheio de gerações de nativos da cidade, suas lápides sombreadas pelos grandes carvalhos cobertos de barba de velho. Em certas noites úmidas, o Bonaventure parece a apoteose do Gótico Sulista, um espaço pacífico, nostálgico e, na luz certa, um pouco assustador.

Wormsloe Historic Site

As grandes fazendas se tornaram atrações turísticas controversas no Sul, por bons motivos, mas Wormsloe ainda vale a visita. Em parte porque a “casa grande”, que é com frequência o foco nessas fazendas, não é a atração principal. Em vez disso, ela fica em segundo lugar para as ruínas coloniais, exposições interativas de história e uma série de trilhas por bosques escuros e densos. Além de tudo isso, a entrada desse lugar histórico é uma das mais grandiosas “fachadas” do país: a Avenida dos Carvalhos com 2,4km de comprimento emoldurada por 400 árvores imponentes e nuvens de barba de velho. A Avenida é um dos lugares mais fotografados da cidade, mas as fotos não fazem justiça.


Telfair Academy Museum © Stephen Barnes / Getty

Overdose de Arte

Não faltam museus em Savannah. O tema do dia é arte: essa é uma cidade que sempre alimentou uma forte veia criativa, exemplificada pela gigantesca Savannah College of Art & Design (SCAD), uma das escolas de arte mais importantes do país. A SCAD  possui seu próprio museu de arte, um impressionante conjunto de aço, vidro e concreto. Dentro são exibidos os trabalhos dos estudantes e egressos da SCAD.

Ali perto, o Jepson Center for the Arts aponta que a SCAD não possui o monopólio de arte moderna ou arquitetura icônica na cidade (e, sendo justos, nós temos certeza que há uma interseção de pessoal entre o SCAD e o Jepson). O exterior do Jepson foi desenhado pelo brilhante Moshe Safdi e dentro você encontra uma maravilhosa coleção de arte dos séculos 20 e 21. 

Quer algo mais antigo? Vá à Telfair Academy, instalada em uma mansão cor de mel na Savannah histórica. Passeie por aí e admire uma adorável coleção de arte do século 19, vinda principalmente da Europa e América do Norte.

Fazendo História

Savannah inteira se parece com um museu vivo de história, mas também há bons museus de história de fato aqui. O pequeno Ralph Mark Gilbert Civil Rights Museum detalha a luta dos afro-americanos pelos direitos civis em Savannah, uma cidade onde não faltaram políticos cruéis e reacionários durante os piores dias de Jim Crow. Se você adora o mar, não perca o excelente Ships of the Sea Museum, cheio de memorabilia da época do vapor e da vela, além de algumas maravilhosas maquetes. Finalmente, o peculiar American Prohibition Museum é a única instituição do tipo dedicada apenas a contar a história do experimento nacional com a sobriedade. 

Este artigo foi publicado em Outubro de 2018 e foi atualizado em Outubro de 2018.