Dicas e artigos

Portugal fora do comum: Serra da Estrela

31 de Janeiro de 2018 às 11:50  Portugal fora do comum: Serra da Estrela

Apesar de suas florestas densas, lagos escondidos e um pico bem elevado, a cordilheira da Serra da Estrela, em Portugal, quase sempre é menosprezada. É belíssima, sem dúvida, e oferece grandes oportunidades para quem deseja curtir a natureza. Porém, olhe mais de perto e você descobrirá raridades ainda mais especiais, inclusive o queijo de fabricação própria da região, raças de cães e um centro de design.

Localizado na região central de Portugal, o Parque Natural da Serra da Estrela possui fácil acesso. Pode-se chegar até uma das principais vilas da região, Manteigas, por meio de várias rotas; a mais bela e pitoresca é a que sai de Covilhã, na qual a estrada sobe vertiginosamente por entre pinheiros antes de chegar ao platô rochoso.

 

Tire uma selfie em Torre, pico mais alto de Portugal

Visitar Torre, o pico mais alto (1993 m) da parte continental de Portugal, é um rito de passagem para muitos viajantes portugueses. Multidões de esquiadores vão até lá no inverno, enquanto em outras épocas do ano os visitantes preferem tirar uma selfie ao lado de uma das estações de radar: “bolas de golfe” gigantes, que de tão antiquadas poderiam teletransportar você direto para os anos 1950.

 

Perambule pelo Vale do Zêzere

A verdadeira beleza está a alguns quilômetros de Torre, e oferece uma jornada pelo Vale do Zêzere com direito a vista e tudo. É uma das melhores excursões de Portugal, mas é melhor ir na primavera e no verão, quando as estradas estão livres de neve. A leste de Torre, a estrada segue em espiral por vários quilômetros antes de endireitar rumo ao norte, ao longo do vale, no sentido da pequena e linda Manteigas.

O impressionante vale glacial em forma de “U” foi formado há mais de 20.000 anos. Sua paisagem é repleta de afloramentos de granito e, aqui e ali, as linhas onduladas de socalcos feitos pelo homem atravessam a colina. Logo abaixo fica o rio Zêzere (a Serra da Estrela é a nascente de dois outros rios, Mondego e Alva), onde há pequenas cabanas de pastores espalhadas pela orla.

A área possui flora e fauna ricas, com mais de 150 tipos de aves, além de várias espécies de veados e lagartos, lontras e lobos das montanhas.

 

Vá à cadeia de trilhas em Trilhos Verdes

Não há melhor maneira de conhecer os lagos, picos e vales da região senão por essa esplêndida cadeia de 200 km de trilhas verdes. Os passeios por lá, que contam com nomes sugestivos como “Poço do Inferno” (uma linda cachoeira), duram de uma a oito horas. Enquanto muitos preferem visitar florestas de cortiças ou platôs cobertos de granitos, outros preferem conhecer pontos turísticos culturais, como igrejas e poços históricos. No caminho, você pode mergulhar nas várias lagoas e cachoeiras.

Nossa trilha favorita, a Faias, passa sob um dossel de imensas faias antes de desembocar numa minúscula capela de São Lourenço. Depois segue por um bosque de plátanos americanos e abetos de Douglas.

Para quem prefere uma pedalada, conheça as trilhas de bicicletas; ou se quiser malhar a parte superior do corpo, vá remar alugando um caiaque no quiosque da Represa de Vale Rossim, o lago um pouco além da vila de Penhas Douradas.

 

Surpreenda-se com o cão de guarda da Serra

O cão da Serra da Estrela, a raça de cães pastores da região, é considerada uma das raças mais antigas da Península Ibérica. Hoje em dia pastores ainda os usam para proteger seus rebanhos (as coleiras com espinhos colocadas nos cães afugentam os lobos, caso eles ataquem). Se tiver sorte, você pode chegar a ver um pastor cuidando do rebanho com seu cão enquanto estiver passeando por uma das belas trilhas; as ovelhas locais produzem o leite usado para fazer o típico queijo da Serra da Estrela, um queijo artesanal rico e cremoso que é feito a partir da flor do cardo no lugar do coalho.

 

Viva o contemporâneo na Fábrica Burel

Quando estiver na vila de Manteigas, não perca a excursão pela Fábrica Burel. Afinal de contas, há séculos a lã tem feito parte da cultura artesanal e industrial dos portugueses; ao longo dos séculos 18 e 19 grandes empresários se estabeleceram por lá. Recentemente, um casal criativo reabilitou uma das fábricas, usando técnicas e maquinário originais para fazer da Burel uma fábrica de lã. Esse material sensível ao toque, com tonalidades verde-limão, magenta e laranja, foi então incorporado a um conjunto de mobílias e itens de decoração residencial. Outros produtos, como os cobertores de pura lã, contam com os padrões originais da fábrica há meio século. (Dica: se perder uma excursão para lá, as lojas Originais da Montanha Burel estão localizadas tanto em Lisboa quanto em Porto.)

 

Dormir e jantar rodeado de estrelas

A incrível Casa das Penhas Douradas é a outra estrela do parque. Essa pequena e luxuosa pousada, localizada em Penhas Douradas, logo ao norte de Manteigas, evoca os elementos naturais da região através da simplicidade da construção, toda com materiais ecológicos, como a cortiça. Se você acha que a decoração da metade do século parece familiar, você está certo: essa pousada é comandada pelo mesmo pessoal da Fábrica Burel. O local conta com uma piscina coberta e descoberta, e, depois de um dia de caminhadas, você pode relaxar com uma massagem ou um tratamento de spa. Mesmo que não esteja hospedado na pousada, não deixe de fazer uma visita para se deliciar com uma refeição de primeira, ou solicite um almoço de piquenique — ótimo para comer no caminho ou para levar até as margens do lago.

 

Passeie por vilarejos históricos

Tanto dentro do parque quanto ao redor da base existem 12 vilarejos fascinantes, todos classificados como “aldeias históricas”. Dessas, amamos Monsanto, onde pequenos chalés de pedra encontram-se ao lado de formações rochosas de granito, como se um gigante tivesse espalhado uma cidade de brinquedo em meio à coleção de mármore.

Uma das rotas mais belas de Portugal liga Manteigas a Piódão, outra aldeia histórica. Embora tenha apenas 70 km, reserve mais de duas horas para admirar as estradas sinuosas e absorver a paisagem de pinheiros, rios e terraceamentos em montanhas íngremes. Piódão em si comporta chalés exóticos feitos inteiramente de xisto; a igreja azul e branca de Nossa Senhora da Conceição destaca-se no meio das pedras cinzentas. É fácil entender por que muitos compararam o vilarejo com um cenário de filme de Natal.

 

Quer saber mais?

Para conhecer mais sobre o parque, visite o Centro de Interpretação da Serra da Estrela; existem duas localidades, uma em Seia e a outra em Manteigas. Modelos em 3D trazem informações sobre a Serra da Estrela, como geologia, habitats, flora e fauna, além de um filme que mostra o vale como se você estivesse voando baixo sobre a aldeia.

Este artigo foi publicado em Janeiro de 2018 e foi atualizado em Janeiro de 2018.