Dicas e artigos

Fuja para a ilha da Gotalândia agora!

Visby é um refúgio muito adorado pelos suecos

Ela fica no Mar Báltico, perto da costa sudeste da Suécia, e logo você vai descobrir porque ela é um refúgio muito adorado pelos suecos.

Pisar na ilha e na sua capital medieval, Visby, lhe dá instantaneamente a sensação de ter sido transportado para a Idade Média, isso por conta das ruas de pedras, dos prédios antigos e das fortalezas desgastadas pelo tempo, tudo protegido por um muro de calcário que antes protegia a cidade de exércitos saqueadores.

Mergulhada em história medieval do começo do século 13, a cidade protegida pela Unesco é um exemplo de boa preservação de uma cidade de comércio da Liga Hanseática europeia, com mais de 200 armazéns e casas de comerciantes contidas dentro de suas muralhas.

Uma volta no tempo

Ruínas de igrejas medievais podem ser encontradas quase em toda esquina © Lola Akinmade Åkerström / Lonely Planet​

O status de Visby como principal ponto de comércio do Mar Báltico durante a Idade Média fez com que a ilha da Gotalândia recebesse uma boa cota de ataques e invasões. A mais notável foi a bem-sucedida invasão de 1361, feita pelo rei dinamarquês Valdemar Atterdag, que transformou a Gotalândia em colônia da Dinamarca, antes de ser reanexada pela Suécia em 1645.

Apesar do seu tamanho reduzido, Visby tem o maior número de ruínas preservadas de todo o norte da Europa, com 10 ruínas de igrejas e 27 fortalezas medievais dos 29 postos de defesa militar construídos originalmente para protegê-la. Também tem mais igrejas dentro dos seus muros do que qualquer outra cidade da Suécia. A construção de alguns desses lugares de adoração começou durante o século 12, e eles foram feitos por famílias ricas que tinham conquistado sua fortuna por meio do comércio, quando Visby se tornou membro da Liga Hanseática. Estruturas religiosas icônicas, inclusive a catedral gótica St Karins kyrka, que foi fundada pelos franciscanos em 1233, e a St Nicolai kyrka, construída por monges dominicanos em 1230, ficam todas a uma caminhada de cinco a dez minutos uma da outra.

Ao caminhar pelas ruas compactas da cidade, ruínas de igrejas medievais podem ser encontradas quase em toda esquina e, hoje, muitas delas são usadas para receber concertos, devido ao clima único que proporcionam aos eventos.

Quando se tratam de artefatos vikings e mitologia escandinava, Visby com certeza é destaque. Com mais de 31.000 objetos recuperados de toda a ilha, essas relíquias arqueológicas indicam que pessoas podem ter vivido na Gotalândia há 8 mil anos. Esqueletos humanos e ferramentas da Idade da Pedra (por volta de 1800 AC) foram escavados no entorno de Stenkyrka, Lummelunda e Stora Karlsö, fazendo deles os vestígios mais antigos da Gotalândia e alguns dos túmulos mais antigos da Suécia. O impressionante Museu Histórico da Gotalândia abriga muitos desses artefatos. Lá, você pode ver monólitos entalhados, machados, adagas, foices, espadas, lanças, prata e obeliscos que cobrem vários períodos da história, das idades da Pedra e do Bronze até a era viking e a época medieval.

História viva pela cidade

A estrutura mais icônica de Visby é a Casa Burmeister © Lola Akinmade Åkerström / Lonely Planet​

A história coexiste perfeitamente com a vida moderna em Visby. A cidade fica dentro de um muro medieval de 3,5km de extensão chamado Ringmuren (O Muro em Círculo), que foi construído no século 13 para proteger a cidade de invasores. O muro foi moldado usando calcário, argila e argamassa, e há três entradas principais para a cidade, assim como mais de 50 torres. Há sinalização ao longo do caminho que dão aos visitantes informações sobre as principais fortalezas, prédios de pedras e ruínas de igrejas de Visby.

Dentro do muro, há cerca de 200 construções de pedra bem preservadas, algumas com fachadas góticas, outras com arestas pontudas em degraus. Salpicados pela cidade também estão chalés clássicos de madeira do século 18 com suas características portas pintadas de verde, todos ligados por ruelas estreitas e arcos de pedra.

Porém, a estrutura mais icônica de Visby é a Casa Burmeister de vigas de madeira vermelhas escuras, localizada no coração da praça Donners plats, que foi construída pelo mercador alemão Hans Burmeister em meados do século 17. Durante o verão, ela também é um museu onde você pode se maravilhar com a decoração de inspiração barroca, as lareiras históricas feitas de arenito e as pinturas do artista sueco Johan Bartsch.

Explorando Visby hoje

"Strandpromenaden" é um caminho de 5km para pedestres e ciclistas © Lola Akinmade Åkerström / Lonely Planet​

Os suecos vivem e trabalham nos prédios históricos de Visby, e muitas lojas, empresas e restaurantes homenageiam a história da cidade ao incorporarem detalhes medievais e toques náuticos à decoração interior.

O parque principal de Visby, Almedalen (o Vale do Olmo) recebeu o nome das árvores de olmo que foram plantas ali nos anos 1870 e, hoje, é fortemente associado à política sueca. Almedalen serve como local aonde os principais políticos da Suécia vão para fazer discursos e realizar debates todos os anos na primeira semana de julho, no que é conhecido como Almedalsveckan (Semana do Almedal).

Strandpromenaden (o Calçadão da Praia), que foi reformado recentemente, é um caminho de 5km para pedestres e ciclistas que percorre a extensão da costa norte de Visby. Um passeio tranquilo pelo calçadão passa por marcos como fortalezas, torres, ruínas e praias. A costa de 800km da Gotalândia oferece belas vistas do Báltico, e andar pelo caminho da praia ao pôr do sol revela paisagens estonteantes.

Todo mês de agosto, as ruas de Visby ficam cheias de bobos da corte, camponeses e contadores de histórias, conforme os moradores locais vestem roupas medievais e voltam à Idade Média para sua famosa Medeltidsveckan (Semana Medieval). As praças e vielas estreitas da cidade são transformadas em mercados vibrantes, com cavaleiros e mágicos que cativam o público. A Semana Medieval acaba com uma programação de entretenimento musical, aulas de história e peças de teatro em comemoração da rica história de Visby.

Faça acontecer

A Gotalândia fica a 90km da parte continental da Suécia e tem acesso por balsa ou por avião. O aeroporto fica a 4km da cidade, e companhias aéreas como SAS voam de Estocolmo e Gotemburgo; o voo leva cerca de 30 a 40 minutos. Travessias de balsa de três horas de Nynashamn, ao sul de Estocolmo, e Oskarshamn, na Esmolândia, são um modo conhecido de transporte para a Gotalândia. Se estiver procurando acomodações históricas, o Clarion Hotel Wisby fica em um antigo armazém do século 17 na cidade velha e mistura a ambientação medieval com o modernismo nórdico.

Este artigo foi publicado em Julho de 2017 e foi atualizado em Julho de 2017.