Dicas e artigos

O que levar na mala para fazer uma trilha na Patagônia

Parque Nacional Torres del Paine i

O importante em trilhas na Patagônia é se preparar para o clima. “Achei que seria verão aqui” é uma frase que ecoa naqueles majestosos picos de granito da Torres del Paine há décadas.

Embora os meses de dezembro a fevereiro sejam considerados verão no hemisfério sul, levar esse fato muito a sério é bobagem. Você está no fim do mundo; ventos acelerados e granizo vindo na horizontal podem acontecer em qualquer época do ano. Para aproveitar ao máximo o seu tempo entre essas paisagens únicas, é melhor fazer as malas direito.

Quente e confortável

Tenha um par de calçados adequado. Botas impermeáveis podem ser uma boa ideia  © MaSovaida Morgan​

O clima da Patagônia é influenciado tanto pela Antártica quanto pelo Campo de gelo do sul da Patagônia, aquela enorme massa glacial maior do que o Vale da Morte da Califórnia. Lidar com essa influência requer atenção aos detalhes. A questão são as pequenas coisas. O melhor investimento são meias de lã sem costura como as da Darn Tough (darntough.com) para mantê-lo quente e confortável. Pés felizes possibilitam caminhadas sem intervalos: a diferença serão quilômetros de esplendor nos quais você não pode colocar um preço. Alguns pares extras podem ser um presente divino quando se está andando sem parar e não há tempo para lavar roupa.

Evite shorts; há muitos arbustos espinhosos que podem espetar suas pernas mesmo quando lufadas frias de vento não estão soprando. Leve roupas térmicas para todo o corpo, luvas leves e um gorro, camadas de isolamento térmico como fleece, equipamento para chuva e um casaco com enchimento de penas para as noites frias.

E lembre-se: climas frios ainda assim podem causar problemas em seus olhos e sua pele. Óculos de sol com correia, protetor solar de fator alto e à prova d’água, e chapéu com abas vão protegê-lo da exposição excessiva; um buraco na camada de ozônio que se move sobre a Patagônia e a Antártica o deixa ainda mais vulnerável.

Mantenha os pés no chão

Cabana na Patagônia perto de Ushuaia © Dan Brickley (CC BY 2.0​

É claro que talvez você consiga fazer as caminhadas de tênis em alguns dias, mas botas à prova d’água resistentes e com amortecedor vão lhe fazer um favor nas travessias de riachos rasos, nas passagens com neve e nas poças pelas cidades. Por falar em riachos, se você levar sandálias, certifique-se de que as solas sejam rígidas o bastante para atravessarem pedras em rios. As perneiras de Gore-Tex são úteis para isso também, elas não apenas mantêm seus pés secos, mas deixam as calças sem lama e evitam que você precise ficar amarrando os cadarços ao longo do percurso. Lave-as em um riacho no final do dia na trilha e elas podem secar durante a noite.

Um último equipamento necessário para as caminhadas: bastões para trilha. Daqueles que podem ser dobrados e cabe com facilidade na bagagem. Eles salvam seus joelhos do impacto nas descidas e oferecem estabilidade durante a travessia de rios, mantendo-o firme quando o famoso vento da Patagônia sopra.

Equipando-se para caminhadas de cabana em cabana

Estar preparado para tudo é a chave © MaSovaida Morgan​

Embora a maior parte do terreno irregular da Patagônia seja simplesmente de campo aberto, há algumas rotas de caminhada de cabana em cabana. O Parque Nacional de Torres del Paine, no Chile, e o Parque Nacional Nahuel Huapi, na Argentina, têm trilhas clássica pontuadas por acomodações aconchegantes. Isso significa livrar algum peso das costas. Não são necessárias barracas e, em Torres del Paine, também não é necessário saco de dormir, já que tanto as cabanas da Fantastico Sur (fantasticosur.com) quanto as da Vertices (verticepatagonia.com) em Torres del Paine oferecem a opção de lençóis e cobertas. Faça reservas com bastante antecedência.

Além do equipamento de trilha, é aconselhável que você invista em uma mochila pequena, como a Osprey Talon (ospreypacks.com). Não se esqueça de ter espaço suficiente para um cantil, roupas quentes extras, um kit de curativos e comida. Cobertura para a mochila? Deixe para lá. Provavelmente, o vento vai levá-la embora. Em vez disso, mantenha tudo em sacolas plásticas para o caso de chuva. Você também pode se virar com uma mochila pequena em caminhadas na cadeia de montanhas de Fitzroy, na Argentina, já que a maioria das trilhas se ligam à cidade de El Chalten. Carregadores a energia solar e carregadores de carga única podem manter seu telefone e câmera em funcionamento, embora levar uma bateria extra seja mais seguro. Lanternas de cabeça são úteis na natureza, em ônibus noturnos e em hotéis sem abajur ao lado da cama.

Acampamento ao ar livre

Companhia é sempre bom! © MaSovaida Morgan​

Ser mochileiro exige encontrar o delicado equilíbrio: leve o bastante para ficar confortável, mas não o suficiente para pesar. Há uma forma de fazer isso: não saia da lista de equipamentos essenciais. Priorize uma mochila confortável com bom ajuste. Experimente-a com todo o conteúdo e descubra o que você pode dispensar. Geralmente, é uma troca extra de roupa. No geral, é útil ter apenas um conjunto de roupas para acampar e um de roupas para trilha; é bom colocar algo seco e relativamente limpo no final do dia. Além disso, tente fazer a mala uma semana antes. Leve sua mochila cheia para uma caminhada como teste. A essa altura, a maioria das pessoas reduz ainda mais sua seleção. Invista em uma bolsa externa barata e leve para manter sua mochila limpa em viagens de ônibus e evitar que cintos para bagagem danifiquem as alças.

Restrições a verificar antes do seu voo

No Chile, tanto Punta Arenas quanto Puerto Natales baniram sacolas plásticas. Leve algumas pequenas sacolas de compras de tecido para idas ao mercado, elas também podem servir para separar o equipamento. O mesmo para garrafas d’água e garrafas térmicas de café: leve de casa para evitar culpa.

Lâminas não são permitidas em cabines de avião. Um canivete com ferramentas multiuso é sua melhor defesa contra uma peça de queijo ou fatias de comida, mas deve ficar na bagagem despachada. Algumas companhias aéreas não vão deixar que você viaje com fogões portáteis, assim, faça uma pesquisa antes de comprar sua passagem. Tanto combustível para fogão portátil quanto isqueiros são totalmente proibidos; você pode comprá-los quando chegar a bases regionais como Punta Arenas, El Chalten ou Bariloche.

Por conta da alfândega, lanches também podem ser um problema quando você voa. O Chile tem fortes restrições sobre a importação de comida para proteger sua indústria agrícola. Eles proíbem frutas, laticínios e carne de fora, o que significa nada de nozes, carne seca e frutas secas. A maioria desses itens pode ser comprada no país em mercados de grandes cidades. Cidades pequenas oferecem uma seleção mais limitada. As tostadurias costumam oferecer grandes porções de frutas secas e nozes. Barras energéticas, pastilhas ou géis de reidratação podem ser mais difíceis de encontrar, por isso, se você trouxer os seus, não deixe de declarar em todos os seus formulários de alfândega.

Mapas e ferramentas de navegação

A esta altura, você deve se sentir confiante para seguir caminho. Se estiver usando um aplicativo de GPS, certifique-se de que ele vai baixar e guardar os mapas. Não espere contar com seu telefone em uma emergência. O serviço de celular não funciona na maior parte da Patagônia rural. Nunca é demais comprar mapas topográficos de alta qualidade em grandes cidades perto do seu destino.

Um último item: silver tape

Mesmo os melhores equipamentos não superam a preparação e a disposição. Isso e silver tape. Coloque-as em volta do seu bastão de caminhada e seus problemas estarão resolvidos (ou uma boa parte deles).

Este artigo foi publicado em Julho de 2017 e foi atualizado em Julho de 2017.