Dicas e artigos

Top 10 destinos que cabem no seu bolso

Nepal | Best Value Destinations 2017

NEPAL

 

O Nepal está se recuperando de terremotos e de uma greve de combustíveis que dificultou a circulação pelo país. Continua sendo uma opção fabulosa para viajantes que se preocupam com o orçamento, que podem ter acesso ao melhor de suas mundialmente famosas rotas de trilhas e à subestimada fauna por bem menos de $50 por dia. O número de visitantes volta a crescer lentamente, e esse é um bom momento para voltar às poderosas montanhas do Nepal; aonde você for, terá uma acolhida calorosa, porque sua visita leva rendimentos muito necessários para as comunidades que tentam se levantar.

NAMÍBIA

 

O deserto de Namib tem algumas das dunas de areia mais altas do mundo | © Westend61 / Getty Images

O dólar da Namíbia, atrelado ao rand sul-africano, vem desvalorizando em relação a muitas moedas há muitos anos, tornando esse momento oportuno para conhecer esse incrível país. E essas são as experiências oferecidas: ver a vida selvagem do deserto no Parque Nacional Etosha, a incrível trilha pela natureza no Fish River Canyon e surf na areia nas imponentes Dunas Sossusvlei. Evite as férias escolares da África do Sul e da Europa, principalmente o fim de dezembro e janeiro, para conseguir os voos com melhores preços, que geralmente pousam em Joanesburgo, ou procure os voos comerciais sazonais que saem de Frankfurt (Alemanha) operados pela Condor. O grande céu azul, que contrasta com as noites claras e estreladas que permanecem por muito tempo na lembrança de muitos visitantes da Namíbia, não vai custar nem um centavo.

PORTO, PORTUGAL

 

Casas com fachadas de azulejos tradicionais do Porto | © Matt Munro / Lonely Planet

Esta é uma cidade europeia que ainda consegue passar meio despercebida. É quase inacreditável, considerando o incrível cenário de Porto no Rio Douro e a comida e as acomodações, que são excelentes e acessíveis – sem mencionar a variedade de linhas aéreas econômicas que opera de todas as partes da Europa e os voos diretos de Nova York, que tornam o transporte até aqui o de melhor custo-benefício. A segunda cidade de Portugal tem vários museus que não são caros, bondes antigos e baratos que encantam o nerd do transporte do seu grupo e uma praia de cascalho a uma hora de caminhada pela margem do rio. Caves de vinho oferecem visitas baratas e degustações, e é fácil organizar visitas de um dia a vinhedos. O sanduíche que é marca registrada da cidade, o apaixonante Francesinha, vai encher seu estômago de carne, presunto, linguiça, queijo derretido e um vibrante molho de tomate, e pode ser a única refeição que você vai precisar comer o dia todo. Como se não bastasse, um costuma ser suficiente para duas pessoas.

VENEZA, ITÁLIA

 

Uma gôndola no Grande Canal de Veneza vai em direção a Basilica di Santa Maria della Salute | © Iakov Kalinin / Shutterstock

Economia e Veneza: duas coisas que nem sempre andam juntas, mas a Cidade Lagoa é imperdível. E muitos turistas chegam todos os dias esperando vê-la sem falir. Tradicionalmente, o conselho era ficar em Mestre, ou até Treviso, e pegar o trem para passar o dia lá, mas isso impede passeios à noite ou visitas noturnas às osterie (bares) da cidade. Agora, com os moradores alugando quartos e apartamentos no Airbnb e sites do tipo, você pode ficar na própria Veneza e economizar dinheiro. Acomodado em uma área da cidade longe da multidão de turistas e com uma cozinha à sua disposição, você pode preparar algumas refeições, evitar o custo do transporte para chegar e sair da cidade, e garantir o primeiro lugar na fila dos apaixonados por Veneza.

DEBRECEN, HUNGRIA

 

Debrecen é cercada de arte moderna e tem uma lista tentadora de festivais | @ Andrey Gatash / Getty Images

Além de Budapeste, escondida à vista de todos, está Debrecen, a segunda maior cidade do país e o centro da Hungria de baixo custo. Conectada atualmente a sete países pela rede de linhas aéreas econômicas da Europa, a cidade se abre para visitantes internacionais. Debrecen é rica em história, mas influências mais modernas promoveram uma crescente cena de arte moderna e ruas que ganham vida com os festivais de verão. O que realmente destaca Debrecen é sua localização no limite das puszta (planícies orientais) da Hungria. Ponto dos caubóis húngaros e endereço do Parque Nacional Hortobágy, a região ainda domina as visões românticas da Hungria tradicional. Esta é uma parte da Europa onde você consegue encontrar um bom negócio e se sentir um pioneiro internacional – uma combinação incomum cada vez mais rara nessa parte do mundo.

BELIZE

 

Tobacco Caye é um dos principais prazeres de uma visita a Belize | © Mark Read / Lonely Planet

Belize é considerada uma das opções mais caras da América Central – mas vamos dar mais uma olhada nisso. Aqui você pode mergulhar com tanque ou snorkel como se estivesse no Caribe e passear por ruínas Maya como Caracol, que fica no fundo de uma selva tão cheia de vida selvagem que só poderia estar na América Central. E você não vai enfrentar longas viagens: Belize tem o tamanho de Gales ou Massachusetts. A proximidade com o México e o Caribe garantiu uma cena de comida de rua animada e com excelente custo-benefício, o que facilita a economia na hora de se alimentar. Sim, tem os resorts caros em Ambergris Caye, mas vá em direção ao sul para Placencia e Hopkins e encontre uma relaxada cultura de praia que ainda está tentando entrar no mapa.

MARROCOS

 

Praça principal Marrakech, Djemaa el-Fna | © inigo FOTOGRAFIA / Getty Images

O estável, acessível e ainda exótico Marrocos oferece um intenso e barato clima do oriente. Não tem outro lugar tão perto (e de fácil acesso) da Europa Ocidental e que ainda destoe de maneira tão excitante daquele continente. Marrakech, ainda imperdível, tem mais opções de hospedagem do que jamais teve, e preserva sua atemporal mistura do frenético e do simpático, apesar das multidões. Essaouira, que já foi um apêndice de uma viagem a Marrakech, agora é acessível por voos diretos que saem de Londres e Paris. A cidade portuária de Tangier também vive um renascimento, com novos hotéis e renovações por toda a cidade antes dilapidada.

RÚSSIA

 

O esplendor de canais e igrejas de St Petersburg atesta o seu passado como sede do império | © Rickson Liebano / Getty Images

Com o rublo beirando valores de câmbio tentadores em relação a outras moedas importantes na época em que escrevemos este guia, não é surpreendente que o número de visitantes na Rússia esteja aumentando. Este é o momento perfeito para uma visita? O truque é como visitar. Pesquisar os melhores hotéis de Moscou não vai convencer ninguém de que é hora de economizar, mas pense assim: com o país mais acessível quando você chegar lá, este é um bom momento para percorrer um trecho da ferrovia Transiberiana, tirando proveito das rotas aéreas baratas para chegar e sair de cada terminal. Também é um ótimo momento para visitar os atemporais destaques de São Petersburgo. Atenção à flutuação nas tarifas de câmbio, mas, mesmo que elas mudem e desfavoreçam o visitante internacional, em 2018 o país terá um aumento ainda mais intenso no número de visitantes e nos preços por causa da Copa do Mundo da FIFA, o que é mais um motivo para você ir agora.

PENÍNSULA BELLARINE, AUSTRÁLIA

 

Farol Point Lonsdale, um marco no sudeste da Península Bellarine | © Bostock / Getty Images

A Península Bellarine tem sido a opção dos habitantes de Melbourn em busca de um refúgio pacato (leia-se sonolento) da cidade há gerações. Mas agora essa parte de Victoria tem algumas atrações que parecem interessantes para acompanhar suas praias e cidades históricas, como Queenscliff e Portarlington. Jack Rabbit Winery e Flying Brick Cider Co são dois desses novos destinos que chamam atenção, junto com um caminho de trilhos para ciclismo, piscinas nas pedras, mergulho com snorkel e surf. A Bellarine fica a uma viagem de balsa da mais conhecida Península Mornington e é um lugar conveniente para servir de base por umas duas noites, antes de continuar pela Great Ocean Road.

PENÍNSULA SUPERIOR DO MICHIGAN, USA

 

Mais de 40 faróis ficam na margem do lago da península superior de Michigan | © ehrlif / Getty Images

Se você não é dos Estados Unidos, pode estar lendo e se perguntando: “onde?”. Você pode até estar pensando a mesma coisa sendo americano, mas não do meio-oeste. De qualquer maneira, prepare-se para uma região localmente festejada com atrações que concorrem com tesouros nacionais. A Península Superior de Michigan é uma área de impressionante beleza natural e charmosas cidades e vilarejos com cara de Norman Rockwell. Por ser um destino principalmente para residentes do meio-oeste, os preços são razoáveis, o movimento é relativamente pequeno e o clima da área é casual e relaxado. A região é cheia de faróis históricos, tem centenas de quilômetros de praias e margens de lagos, algumas das florestas mais antigas do país e mais de 300 cachoeiras, que variam de lindas a espetaculares. A Ilha Mackinac, onde não circulam carros, é um destino que se destaca: seu interior de 10 km² é cheio de lojas exóticas e lindas vistas.

Este artigo foi publicado em Outubro de 2016 e foi atualizado em Outubro de 2016.