Dicas e artigos

10 razões para viajar para Jeonju agora mesmo

Jeonju

Jeonju está entre os destinos mais populares da Coreia do Sul para os coreanos. Com sua arquitetura histórica e um vibrante cenário gastronômico – a cidade foi nomeada uma Cidade Unesco da Gastronomia em 2012 – é fácil entender por quê. A cidade continua passando despercebida para os estrangeiros, mas, com o boca a boca, isso provavelmente vai mudar em pouco tempo. Veja por quê.

1. Centenas de hanoks

Com telhados de ardósia se curvando suavemente para o céu, paredes de barro caiadas e pátios discretos, os hanoks são as casas tradicionais da elite coreana. Jeonju tem uma das maiores coleções de hanoks do país, literalmente centenas deles dispostas em torno de uma rede de vielas de paralelepípedo conhecidas como Jeonju Hanok Maeul, bem no meio da cidade. Poucos são usados como residências, mas isso acontece porque hoje eles abrigam oficinas, pequenos museus, casas de chá e butiques.

2. É o berço do bibimbap

(Foto: o waffle bibimbap, que foi inventado em Jeonju | Créditos: © JeeHyun K / Getty Images)

O bibimbap, uma tigela de arroz coberto com vegetais, pasta de pimenta e um ovo, é um dos pratos mais célebres da Coreia. É possível encontrar esse prato em uma infinidade de variedades, mas tudo começou aqui. Jeonju não só é o berço do bibimbap como também é o melhor lugar para saboreá-lo: os coreanos dizem que a comida em geral é mais saborosa em Jeonju, onde o prato é servido com geleia de broto de feijão-da-china (uma iguaria local).

3. ... e da dinastia Joseon

Bem... mais ou menos: o fundador da mais longa (e última) dinastia política da Coreia, Yi Seong-gye, veio de Jeonju. Seu retrato e placa memorial são mantidos no palácio, Gyeonggijeon, construído em 1410, alguns anos após sua morte (e mais recentemente reconstruído em 1614).

4. Lá você pode dormir como uma (ex-) realeza

Muitos hanoks foram convertidos em hospedarias, inclusive o hotel de propriedade do neto do último rei da Coreia. Tudo bem, na verdade a experiência é relativamente humilde, já que dormir em um hanok implica dormir em esteiras no chão (que se beneficia do ondol, um piso aquecido especial da arquitetura tradicional coreana). Os viajantes têm uma profusão de escolhas quando se trata de hospedagem: você pode escolher um quarto simples em uma casa mantida em grande parte inalterada ou se espalhar em um quarto equipado com amenidades modernas e reformado com elegância.

5. Um cenário crescente de comida de rua

(Foto: O comérico de comidinhas de rua em Jeonju decolou nos últimos anos | Créditos: © Kangheewan / Getty Images

Não satisfeita com a fama de seu bibimbap, Jeonju tem um animado cenário de comida de rua, considerado por muitos tão popular quanto a vila de hanoks (especialmente entre estudantes e viajantes com o orçamento apertado). A cidade oferece guloseimas clássicas, como os hotteoks (panquecas coreanas) de farinha integral, comida típica de barracas de rua, como lulas fritas, e uma seleção em constante evolução de novas criações. Nas noites de sexta e sábado, você pode se regalar até tarde da noite no mercado noturno.

6. Muitos artistas deixaram sua marca aqui

Um vilarejo dentro da cidade, o Jaman Village nasceu como um bairro pobre erigido depois da Guerra da Coreia. Os artistas deram nova vida ao bairro pintando murais coloridos nas paredes externas das casinhas (uma tendência em alta na Coreia do Sul). Alguns artistas também decidiram firmar raízes aqui, abrindo galerias de arte e butiques.

7. A cidade é louca por makgeolli

(Foto: Jeonju possui muitos bares dedicados ao Makgeolli, vinho de arroz coreano servido em tigelas | Créditos: © Seong Joon Cho / Getty Images)

Jeonju é uma cidade que adora relaxar à noite, mas não só com cerveja e karaokê: moradores de todas as idades se reúnem ao redor de chaleiras de cobre cheias de makgeolli, o vinho de arroz não filtrado tradicional da Coreia. A cidade tem nada menos que sete ruas de vida noturna dedicadas a bares de makgeolli. Melhor ainda, para cada chaleira comprada, uma rodada de comida é servida de graça.

8. Ah, e também tem cafés

Você tem muitas opções entre os cafés de terraço artísticos nas galerias de Jaman, cafés moderninhos no antigo mercado de Nambu-sijang e espaços livrescos em hanoks reformados.

9. Um histórico religioso que dá o que pensar

(Foto: a Igreja Católica Jeondong é uma das mais belas igrejas na Coreia do Sul | Créditos: © Jong-won Heo / Getty Images)

Duas importantes atrações de Jeonju lançam luz na instável história dos cristãos na Coreia: Igreja Católica de Jeondong e a Montanha dos Mártires. A primeira é uma igreja de tijolos vermelhos de 100 anos, construída no local onde católicos coreanos foram executados um século antes; a segunda é o local onde eles foram enterrados, uma encosta marcada com 13 cruzes. A colina é popular para correr e caminhar, especialmente no fim da tarde: o pôr do sol visto do pico da colina é famoso por ser a melhor vista da cidade.

10. E montanhas no horizonte

Jeonju fica no centro de uma bacia fértil cercada por montanhas. Foi uma decisão estratégica que ainda paga dividendos... na forma de excursões convidativas e inúmeras oportunidades de esticar as pernas. As montanhas da região incluem o Naejangsan, famoso pela folhagem no outono, e o Maisan, uma formação estranhamente escarpada que lembra orelhas de cavalo. Com excelentes opções de transporte (sem falar em toda a comida para provar depois), Jeonju é uma base fantástica para explorar todos os cantos ao sul da península que muitas vezes passam despercebidos.

Este artigo foi publicado em Agosto de 2016 e foi atualizado em Agosto de 2016.