Dicas e artigos

32 costumes românticos inacreditáveis ao redor do mundo

Ponte Milvio

Por Louise Bastock

O amor é mesmo universal – já o romance assume um número surpreendente de formas ao redor do mundo. Nós procuramos nos nossos guias e também nas lembranças dos nossos autores para descobrir alguns dos costumes mais fascinantes do mundo com relação a namoro, amor e casamento, desde fofos a simplesmente sinistros. Se você nunca cortejou seu amado ou amada com uma colher, ganhou o equivalente ao peso dele ou dela em cerveja ou foi a um baile de solteiros, continue lendo...

 


O dia dos namorados mensal da Coreia

Por que comemorar apenas um dia quando você pode comemorar doze? Na Coreia, eles não comemoram o dia dos namorados apenas em 14 de fevereiro (Dia de São Valentim, o Valentine’s Day) – na verdade, o 14º dia de cada mês possui algum tipo de significado romântico. Com dias para os solteiros, para o perdão ou apenas para abraços, sempre há algo para comemorar – independente do seu status de relacionamento.

 

Campeonato Mundial de Carregamento de Esposas

Todos os anos, competidores de diversas partes do mundo se reúnem na cidadezinha de Sonkarjävi, na Finlândia, para participar desse evento bizarro. Com a esposa ou parceira (ser casado não é obrigatório) pendurada no próprio ombro, os participantes precisam passar por vários desafios e o vencedor ganha o equivalente ao peso da parceira em cerveja, assim como glória e reconhecimento.

 

Casamentos em cemitérios na Rússia

O túmulo do Soldado Anônimo e a "Chama Eterna", em Moscou

 

O túmulo do Soldado Anônimo, em Moscou, é um dos destinos mais famosos para festas de casamento. Os convidados tiram fotos e bebem champagne enquanto os noivos demonstram seu respeito depositando flores ao lado do túmulo.

 

Presentes de dentes de baleia

Acha que está difícil pra você só porque você bateu perna procurando o presente de casamento perfeito? E que tal isso – em Fiji, é uma prática comum que, ao pedir a mão de uma mulher em casamento, o pretendente presenteie seu futuro sogro com um tabua (um dente de baleia). Porque, sejamos sinceros, não é amor de verdade a menos que você mergulhe centenas de metros no oceano e fique cara a cara com o maior mamífero do mundo.

 

Noivas raptadas no Quirguistão

Segundo um antigo provérbio quirguiz, lágrimas no dia do casamento são um sinal de felicidade – talvez isso explique por que alguns pais de meninas sequestradas aceitam o casamento forçado (mesmo que a prática seja ilegal desde 1991). Caso a menina escape, e algumas conseguem, leva muita determinação e coragem para aguentar a pressão decorrida disso.

 

O Museu Croata de Relacionamentos Acabados

Essa estranha e maravilhosa exibição no Zagreb, na Croácia, conta com uma esquisita coleção de lembranças amorosas e parafernália aleatória deixada para trás após um término (tudo doado por pessoas do mundo inteiro).

 

Sujar a noiva

Nessa (nojenta) tradição pré-nupcial, a noiva (e por vezes o noivo também) é lambuzada com todo tipo de substância nojenta, de ovo podre a melaço e peixe, e depois desfila pela cidade. Os escoceses acreditam que essa humilhação serve para preparar melhor o casal para a vida a dois.

 

Cadeados do amor na Itália

A ponte Mílvio, em Roma, seus cadeados e suas inscrições declarando amor eterno

 

Inspiradas por “Sou louco por você”, livro de Federico Moccia que inspirou um filme de mesmo nome, muitas pessoas começaram a prender seus próprios cadeados na Ponte Mílvio, em Roma. De acordo com o que se tornou um fenômeno mundial, casais prendem seu cadeado – muitas vezes com inscrições românticas e declarações – e jogam a chave no rio como um símbolo de amor infinito e do compromisso que assumem. Entretanto, esse ornamento amoroso começou a causar uma certa controvérsia, especialmente em Paris. Além de ser um (poético) incômodo para os olhos, os cadeados se tornaram um problema ambiental e devem de ser removidos.


 

Tradição do banheiro em Bornéu

Uma tribo da Ilha de Bornéu, que se gaba de possuir uma das tradições de casamento mais fofas do mundo, também possui um dos costumes que mais embrulham o estômago. Depois de um dia especial, recém-casados não podem sair de casa, nem mesmo para usar o banheiro. Supostamente, esse costume bizarro de supervisão constante e uma dieta restrita trazem sorte ao casamento.

 

O bloqueio de madrinhas da China

Como se o dia do casamento não fosse estressante o bastante, quando o noivo chinês aparece para buscar a noiva, ele se depara com uma barreira de madrinhas bloqueando seu caminho. Depois de obrigá-lo a dar envelopes vermelhos com dinheiro, as madrinhas (e às vezes os padrinhos também) submetem o noivo a uma série de jogos e tarefas físicas – ele é forçado a cantar e passa por uma série de pegadinhas em público para provar seu amor.

 

O trágico mito do Festival de Casamentos de Imilchil

Tendo como plano de fundo as misteriosas e românticas montanhas Atlas, a lenda conta a história de dois amantes trágicos proibidos de se ver. Num golpe de destino nos moldes de Romeu e Julieta, o casal de coração partido se afoga nas próprias lágrimas, forçando suas famílias a se reconciliarem e criarem o que hoje é conhecido como o Festival de Casamentos de Imilchil. Todo ano, a população local se reúne, em meio a banquetes, paquera e frivolidade, para socializar e, quem sabe, conhecer seu futuro companheiro.

 

A sacada de Julieta em Verona, Itália

A suposta sacada de Julieta, em Verona, atrai apaixonados de todo o mundo

 

Volte no tempo até a história de amor mais importante do mundo. Todos os anos, milhares de visitantes chegam a Verona em busca da Casa di Giulietta, uma casa do século 14 que acredita-se ter pertencido aos Capuleto (não importa que todos fossem personagens fictícios). Os visitantes contribuem com seus grafites amorosos e declarações pelas paredes do jardim, onde certa vez a bela Julieta foi cortejada por seu Romeu.

 

Entre em uma cabana de namoro

Você acha que seus pais eram legais quando você era adolescente? Pense mais um pouco. Em um estilo de criação revolucionário, alguns pais de tribos africanas presenteiam suas filhas com uma “cabana de namoro” para entreter possíveis candidatos longe do olhar paterno. Existe um costume similar no Camboja, onde adolescentes são encorajados a utilizarem essas cabanas para explorar múltiplos parceiros, tanto social como sexualmente, tudo para encontrar o amor verdadeiro.

 

Romance escrito em fígado de galinha

Todos já ouvimos falar em cortar o bolo, mas cortar a galinha? O povo Dauar, na China, tem uma tradição para casais que acabaram de selar o noivado. É preciso dissecar uma galinha e inspecionar seu fígado. Se o fígado estiver saudável, é um bom sinal e já podem marcar a data. Caso contrário, o casal deve continuar procurando pelo fígado profético.

 

Lágrimas de felicidade na China

Com certeza é aceitável chorar um pouco em casamentos, mas começar um mês antes pode ser um exagero. Entretanto, para o povo chinês Tujia, é costume que a noiva comece a chorar uma hora por dia durante todo o mês que antecede o casamento. Um tempo depois, a mãe da noiva se junta a ela, e assim por diante, até que todas as mulheres da família estejam compartilhando as lágrimas habituais. Apesar do choro, essa é uma celebração alegre e dizem que os diferentes sons das mulheres chorando funcionam como uma música.

 

Escolha feminina no Festival Geréwol

Em um evento anual de cortejo, os homens do povo nigeriano de Wodaabe Fula se vestem com fantasias elaboradas, pintam o rosto e cantam e dançam na esperança de conseguir uma noiva. O que faz desse um costume único é que, ao fim da performance, é a mulher que faz a escolha.

 

A boneca-noiva

Essa simples e doce tradição porto-riquenha envolve uma boneca de noiva coberta de talismãs e colocada em cima da mesa principal na festa de casamento. Ao fim da cerimônia, os talismãs são distribuídos para os convidados como amuletos de amor e gratidão.

 

Dia Branco no Japão

No Dia dos Namorados japonês, é a mulher que compra chocolate para o parceiro. Mas não é só isso: um mês depois é o Dia Branco, quando os homens devem gastar com as meninas se seus sentimentos forem recíprocos. É esperado que eles gastem o dobro.

 

Colheres do amor no País de Gales

Uma das (literais) colheres galesas

 

Essa adorável tradição galesa dá todo um novo significado à expressão spooning (“dormir de conchinha” em inglês). O parceiro presenteia sua namorada com uma colher de madeira artesanal, como um símbolo de que ele vai sempre prover por ela. Caso não seja recíproco, a colher deve ser devolvida (climão), mas se a colher funcionar, a amada deve usá-la pendurada no pescoço por alguns dias.

 

Festival Ghadames

A cidade de Ghadames, na Líbia, palco de um verdadeiro festival de casamentos

 

Conforme a colheita se aproxima do fim em Ghadames, na Líbia, a população local corre para o velho quarteirão – listado como Patrimônio da Humanidade – para apreciar uma colheita farta. Com as festividades em curso, espere presenciar várias cerimônias de casamento que acontecem como um rito de passagem para meninos.

 

Baile de Solteiros e Solteiras no interior da Austrália

Uma aclamada tradição australiana, os bailes de Solteiros e Solteiras (B and B Balls) oferecem uma rara oportunidade para jovens interioranos socializarem – essa seria a versão censurada. Conhecido por porres homéricos, artimanhas perigosas e sexo casual, essas festas estão sofrendo pressão de companhias de seguro para que acabem. Mas por trás da poeira e da libertinagem, os bailes estão repletos daquele quintessencial joie de vivre australiano e são vistos como um rito de passagem para os adolescentes do interior, que costumam levar vidas muito reclusas.

 

Casamento grego

Conhecidos por seu espírito vivaz, os casamentos gregos são notáveis. Uma tradição particularmente incrível é a primeira dança do casal, quando os convidados prendem dinheiro às roupas dos noivos, fazendo com que eles rodopiem pela pista de dança enroscados em papéis decorativos muito caros. Acredite se quiser, esse costume é considerado uma honra para os convidados.

Além de tudo, a Grécia é um dos cenários mais românticos do mundo

 

 

Tatuagens de henna

Uma característica marcante de comunidades árabes e africanas é o costume das mulheres Swahili de se enfeitarem com intrincados desenhos de henna para as festas de casamento. Eles simbolizam a beleza, feminilidade e valor da noiva, então é ela, naturalmente, quem apresenta os desenhos mais elaborados – com exceção, talvez, da mãe da noiva. Além de seu valor estético, essas tatuagens representam uma característica sensual na cultura Swahili, já que o desenho muitas vezes envolve escrever as iniciais do noivo em uma parte secreta do corpo da noiva.

 

Separação antes do casamento?

O divórcio é um fato comum hoje em dia – mesmo assim, deveria ser a última coisa a vir à sua cabeça no dia do casamento, certo? Mas não na Ucrânia, onde casais muito tradicionais se vingam do cupido com antecedência, para caso haja um divórcio difícil no futuro.

 

Namoro pela televisão na índia

A Índia é um país onde o casamento é reverenciado, então anunciar pretendentes no jornal local e na internet já é comum, mas um novo canal em língua Hindi está indo ainda mais além. O canal Shagun apresenta um novo e deslumbrante programa que é basicamente compra por telefone para solteiros. Se você já sentiu que seu perfil em sites de namoro não lhe faz justiça, será que essa seria uma solução para você?

 

As aves-do-paraíso de Mount Hagen

No meio da selva de Papua Nova Guiné, você encontrará uma impressionante exibição de cor, cacofonia e namoro. Os homens da tribo pintam seus corpos e vestem-se com fantasias exuberantes cheias de penas, na esperança de impressionar pretendentes. As aves-do-paraíso são uma espécie de mimesis espiritual– os homens assumem a forma dos pássaros e também seus rituais de acasalamento, protagonizando um caleidoscópico show de afeição.

 

A árvore faz o meu tipo

Algumas garotas chinesas azaradas nascem durante o período astrológico em que Marte e Saturno estão ambos na sétima casa. O que há de errado com isso, você pergunta? Basicamente, significa que elas são amaldiçoadas. Essas azaradas, conhecidas como Mangliks, trariam uma morte prematura ao marido. A única solução seria que a Manglik se casasse com uma árvore, que seria derrubada depois para que a maldição fosse quebrada.

 

A tradição francesa do vaso sanitário

De acordo com um costume estranho, incrível e completamente nojento, os recém-casados franceses eram obrigados a beber o que sobrou de suas festas de casamento diretamente de uma privada. Eca! Ainda bem, essa tradição não existe mais em sua totalidade, mas não se surpreenda se vir uma noiva ou noivo bebendo chocolate e champagne de uma réplica de vaso sanitário. Que romântico.

 

Surrando o pé do noivo

Na Coreia, é comum que o noivo tenha seu pé chicoteado com peixe e bengala na noite que antecede o casamento. Supostamente, esse ato bizarro de crueldade prova a força e o caráter do noivo.

 

Fugindo para casar na Escócia

Quando o Marriage Act de 1754 tornou ilegal o casamento de pessoas menores de 21 anos, jovens apaixonados ingleses elaboraram um plano brilhante de simplesmente ir até a fronteira com a Escócia, onde a lei não existia. Por ser o primeiro vilarejo no caminho, Gretna Green se transformou no lugar preferido para casais fujões – até hoje, cerca de 5000 casais visitam a cidade todos os anos para casar e reafirmar seus votos.

 

Pular a vassoura

Segundo um costume do extremo sul estadunidense, “pular a vassoura” significa que os recém-casados, de mãos dadas, saltam uma vassoura. O ato simboliza o início da jornada deles para a vida doméstica e uma nova vida juntos. Nascida no período da escravidão, quando as cerimônias e votos dos afro-americanos não eram reconhecidos, essa humilde tradição homenageia uma rica e importante herança afro-americana.

 

Pão salgado para inspirar sonhos românticos

Para celebrar o banquete de St Sarkis, patrono do amor jovem, mulheres armênias solteiras comem um pedaço de pão salgado na esperança de ter um sonho profético que traga o homem com quem se casarão. Não leve tão a sério, mas a ideia é que o homem que aparecer nos seus sonhos levando água é seu futuro amor. O ritual também funciona como um momento de aproximação entre as mulheres da família, que compartilham e interpretam os sonhos umas das outras.

 

 

(Tradução: Milena Martins)

Este artigo foi publicado em Fevereiro de 2015 e foi atualizado em Fevereiro de 2015.