Dicas e artigos

O melhor para 2015: 10 regiões imperdíveis

Khumbu, Nepal

É um pouco complicado definir o que, afinal, é uma região. Há trechos de terra com paisagens marcantes, muita cultura ou história – mas as mais intrigantes oferecem algo diferente de seu entorno. Após nos debruçarmos sobre centenas de sugestões de nossos autores, editores e da nossa comunidade on-line, decidimos quais são as melhores regiões. E, com o seu esplendor natural e aniversários imperdíveis, estas 10 opções estão implorando pela sua visita em 2015.

 

1. Península Galípoli, Turquia

 

Centenário da Campanha Galípoli

Foto de Lebazele / Getty Images

 

Impérios, mitos e identidades nacionais têm nascido nessa parte do Egeu por milênios. Próxima à antiga cidade de Troia e a noroeste do Estreito de Dardanelos, com sua localização estratégica, esta península magrinha (conhecida como Gelibolu em turco) já passou por mais invasões do que gostaria, a mais recente  por parte da frota dos Aliados, que atacou Dardanelos em março de 1915, seguida pela invasão por terra das tropas aliadas em múltiplos pontos do território, em 25 de abril de 1915. Os turcos veem esses dois eventos como passos importantes para o seu desenvolvimento moderno, por isso a Turquia está planejando muita pompa e circunstância para comemorar o seu 100º aniversário. O interessante é que esse episódio da História talvez seja ainda mais importante para australianos e neozelandeses, que têm visitado Galípoli cada vez mais nas últimas décadas. Neste próximo ano, espera-se que haja milhares deles por lá, comemorando o envolvimento das tropas da Anzac (os Corpos de Exército Australiano e Neozelandês) no desembarque.

 

2. Parque Nacional Rocky Mountain, EUA

 

Festeje o centenário como se fosse 1915

Foto de Raji Vathyam / Getty Images

 

Picos nevados, campinas forradas por flores selvagens e lagos entre montanhas definem a glória do oeste norte-americano. Aqui você encontrará muitos alces pastando, rios gelados repletos de trutas prateadas, florestas de alta altitude, as árvores “Douglas fir”, uma espécie de conífera do Hemisfério Norte, e a rara ave lagópode-branco. Este é o paraíso dos trilheiros, com 355 milhas de trilhas, entre as quais muitas que levam ao topo do Longs Peak, a famosa montanha “14er” (com 14 mil pés de altitude) do parque. No inverno, você pode experimentar quase todo tipo de atividade de inverno que existe – esqui, trenó e trilhas na neve. Em 2015, o Rocky Mountain celebra o seu centenário. Espere ver palestras e eventos comunitários especiais, além de exibições de arte, concertos temáticos inspirados nas montanhas e um desfile vintage de Ford Model Ts ao longo de sua estrada principal. Venha participar da diversão patriótica em dos parques mais selvagens e emocionantes dos Estados Unidos.

 

3. Toledo, Belize

 

Vá pela estrada de terra antes da chegada do asfalto  

Foto de Joshua Samuel Brown / Lonely Planet Traveller 

 

Com ilhas lindas, selvas protegidas e antigas ruínas maias, não é de espantar que essa pequena nação da América Central receba 300 mil visitantes todos os anos. Toledo fica na ponta da Rodovia Sul (Southern Highway), o que o torna a última fronteira do país, ainda muito atraente para viajantes mais aventureiros. Mas os dias discretos de Toledo estão chegando ao fim, já que foram investidos 8 milhões de dólares em uma rodovia de asfalto – que, quando pronta, integrará a Rodovia Pan-americana – que ligará a Rodovia Sul à Guatemala. Uma vez que o asfalto chegar à pequena vila de Jalacte, a terceira (e única de Toledo) fronteira internacional do país será aberta, ligando os pequenos povoados maias à vizinha Guatemala e a além. Que mudanças isso trará à área é difícil prever, mas é possível que 2015 seja um dos últimos anos de Toledo como um destino alternativo.

 

4. Tasmânia, Austrália

 

Madura para colher

Foto de Tim Phillips / Getty Images

 

Selvagem e dramática, folclórica e descolada, isolada mas acessível: esse estado-ilha, aninhado confortavelmente na base sudeste da Austrália, é intrínseco à história da nação. Foi o lar dos primeiros navios de condenados a desembarcarem na Austrália, e as histórias assombrosas e trágicas dessas chegadas permeiam todo o estado. Apesar disso, a Tasmânia moderna adotou uma atitude renovada e inclusiva, realçada pela revitalização de sua capital portuária, Hobart. O estado já contém toda uma vida de aventuras para o viajante, mas, em 2015, um segundo trecho da trilha dos Three Capes (Três Cabos) será aberto. O segundo estágio dessa trilha litorânea, que margeia a costa por entre a vegetação, ligará Denmans Cove, em frente ao Port Arthur, a Cape Hauy, por meio de um caminho reestruturador, passando por penhascos sobre o mar do Parque Nacional Tasman, onde águias de peito branco dão seus rasantes sobre a água.

 

5. Norte da Noruega

 

Um eclipse total em Svalbard

Foto de Antony Spencer Photography / Moment / Getty Images 

 

A luz no norte da Noruega é sempre fantástica. Mas marque o dia 20 de março na sua agenda e reserve já o voo para testemunhar o eclipse que ocorrerá em 2015. Toda a luz desaparecerá por completo por alguns minutos, quando a Lua se sobrepuser ao Sol, e o lugar perfeito para assistir a esse deslumbrante fenômeno celestial é a gelada e selvagem Svalbard, um arquipélago que fica a meio caminho entre a Noruega e o Polo Norte, onde há mais ursos polares do que pessoas. Se você perder o eclipse agora, só poderá ver outro na Europa em 2026. E, por falar em luz, a alta atividade da aurora boreal continuará em 2015, com ventos solares interagindo com as partículas carregadas do campo magnético da Terra, frequentemente iluminando o céu.

 

6. Khumbu, Nepal

 

A caminhada inesquecível

Foto de Feng Wei Photography / Getty Images

 

Nós nem precisamos vender para você as maravilhas da região montanhosa de Khumbu; é só sussurrar a palavra “Everest”, e todo mundo já para o que está fazendo para prestar atenção. O Everest oferece uma jornada clássica, ao pé de Tenzing e Hillary, por uma área montanhosa de tirar o fôlego, lar do mais alto pico do mundo. Agora que a ascensão dos maoístas do Nepal não é mais uma preocupação, trilheiros podem novamente descobrir os caminhos mais remotos da região. Para uma alternativa à trilha onde ficam as bases de acampamento usuais, experimente a trilha Three Passes, de alta altitude, ou a emocionante expedição pelo pico Mera. Já bastante populares, as trilhas até o Everest ficarão mais e mais movimentadas no futuro. Com a boda de ouro da primeira trilha comercial realizada no Nepal, organizada pelo Major Jimmy Roberts, talvez seja o momento ideal para tirar o pó das suas botas. E por que trilhar o Everest? Bem, nas famosas palavras de Mallory, “porque ele está lá”. E porque a vida acontece agora.

 

7. Cânion de Cobre, México

 

Aventuras acessíveis

Foto de Phil Schermeister / The Image Bank / Getty Images 

 

Nunca faltaram emoções no Cânion de Cobre, mas a sua lista de atrações estará ainda mais longa em 2015. A grande razão para essas mudanças é o novo aeroporto de Creel, que logo passará a operar conexões para Houston e Dallas, nos Estados Unidos, assim como para outros destinos nacionais, como a Cidade do México e Cancún. Tradicionalmente, visitar os cânions sempre foi tarefa para vários dias – indo pela clássica, mas lenta ferrovia Ferrocarril Chihuahua Pacifíco. Agora, os viajantes podem exclamar “uau!” sem antes ter de reclamar com muitos “ai, ai”. Operadoras de turismo criativas iniciarão, em 2015, a viagem de corrida por Tarahumara (corrida longe da rodovia principal com um dos povos indígenas mais notórios da região, o Tarahumara) e pedalada estrada abaixo pela íngreme estrada pavimentada que leva a Batopilas, uma cidadezinha colonial escondida por entre os vales tropicais dos cânions. O parque dos cânions, Parque de Aventura Barrancas del Cobre, realmente lotado de aventuras, está ganhando agora novas fontes de adrenalina: a tirolesa mais longa do mundo, além de bungee jump.

 

8. Flores, Indonésia

 

A próxima grande aventura na Indonésia

Foto de TeeJee / Moment / Getty Images 

 

Comece com os dragões e termine em lindas praias, passando por ótimos mergulhos, florestas tropicais exuberantes e vulcões soltando fumaça. Flores, na Indonésia, reúne muitas atrações em uma ilha, com 380 km de largura de leste a oeste. Com seus novos aeroportos (há vários voos diários partindo de Bali) e estradas melhores (embora as curvas ainda sejam sinuosas), Flores oferece aventura que não acaba mais, sem exigir, no entanto, nenhuma habilidade de sobrevivência. A oeste, Labuanbajo é uma cidadezinha portuária tranquila, feita sob medida para viajantes, mas com personalidade suficiente para dar uma prévia do que virá. O Parque Nacional de Comodo é o lar dos enormes lagartos – comedores de pessoas, inclusive – de mesmo nome (também conhecidos como dragões). Rinca, uma ilha-parque perto de Labuanbajo, acaba de passar por uma boa reestruturação, com nova infraestrutura para visitantes. Mais para o leste de Flores, há novos centros de informação turística e pousadas em vilas e cidadezinhas, como Bajawa e Moni.

 

9. Deserto do Atacama, Chile

 

Céus estrelados

Foto de Gabriel Suzuki / Getty Images

 

O Atacama chamou a atenção do mundo todo quando, em 2010, 33 mineradores chilenos ficaram presos em uma mina subterrânea por mais de dois meses. Após o seu milagroso resgate, Hollywood logo se apossou da história, levando equipes cinematográficas e estrelas de cinema ao deserto em 2014, para filmar The 33 (Os 33). O drama subterrâneo prepara o cenário para outras reviravoltas emocionantes no espaço oposto – o deslumbrante céu azul que ilumina o deserto árido. Em parceria com grandes organizações de pesquisa na Europa, no Leste da Ásia e nos Estados Unidos, o Chile lançou o ALMA (o Atacama Large Millimeter), o maior projeto astronômico em funcionamento. Com fascinantes tours de observação de estrelas saindo todas as noites da vila de San Pedro de Atacama – ponto de partida para a aventura ao ar livre nessa paisagem desértica psicodélica –, nunca houve melhor hora para se aventurar pelo deserto mais seco do mundo.

 

10. Macau, China

 

Diversidade cultural em uma cidade vibrante 

Foto de Peter Stuckings / Lonely Planet Images / Getty Images 

 

Macau destaca-se como uma espécie de Las Vegas da República Popular da China, combinando o glamour do Novo Mundo com um quê de zona proibida de outros tempos. A cultura de cassinos acaba desviando a atenção do verdadeiro charme de Macau: a sua herança portuguesa criou uma fusão culinária, que combina elementos europeus, africanos, indianos e chineses. E onde mais no mundo você poderia levar um incenso como oferenda a um antigo templo budista chinês pela manhã, jogar-se no maior bungee jump do mundo à tarde, jantar em um restaurante estrelado pelo Michelin à noite e ainda beliscar uma comidinha chinesa de rua à meia-noite? Com uma nova malha ferroviária que conectará a península às ilhas em construção, assim como alguns novos e delirantes cassinos, o ano de 2015 promete ser uma virada para Macau. Além de tudo, a finalização da mais longa ponte do mundo, que conectará Macau, Hong Kong e o continente chinês, significa que será mais fácil do que nunca chegar lá.

Este artigo foi publicado em Outubro de 2014 e foi atualizado em Novembro de 2014.