Dicas e artigos

Top secret: as verdades por trás de 10 maravilhas do mundo

Tão bonito que assusta: Moai, Ilha de Páscoa

Jheni Osman

Já visitou um lugar incrível e se perguntou como ele foi construído? A placa apenas lista algumas datas pouco significativas, e até o guia só diz frases prontas, mas você quer mesmo os detalhes sórdidos. Aqui revelamos a engenharia delicada por trás de 10 das mais épicas estruturas do mundo – e um pouco dos fatos pouco conhecidos escondidos nos seus pilares.

1. Taj Mahal, Agra, Índia

Diz a lenda que o líder do Império Mogol ordenou cortar as mãos dos construtores do Taj Mahal após a sua conclusão, para que não voltassem a construir algo tão lindo – mas não há documentos que provem essa história. A elegância desse mausoléu pode ser atribuída à sua inteligente engenharia. Para tornar o Taj Mahal perfeitamente reto a partir do andar térreo, o arquiteto projetou minaretes ligeiramente inclinados para fora, o que também garantiu segurança, pois, no caso de um terremoto, eles cairiam longe do precioso domo do mausoléu.

Faça a viagem: chegue a Agra de trem partindo de Nova Déli (cerca de 2h). O número de pessoas dentro do monumento é limitado, então compre ingressos um dia antes no escritório Archaeological Survey India, conhecido também como Taj Mahal Office pelos condutores de riquixás (www.asi.nic.in). O Taj Mahal fecha às sextas-feiras.

 
Taj Mahal (4x)....Tê Tê, Têtêretê (palavras sábias da música de Jorge Ben)

 

2. Burj Khalifa, Dubai, Emirados Árabes

A construção dessa etérea torre no meio do Deserto Árabe custou 1,5 bilhão de dólares. Com 828 m de altura, é 2,5 vezes mais alta que a Torre Eiffel, e o edifício mais alto do mundo. Para suportar os ventos altos e terremotos, esse super-arranha-céu foi projetado com uma espécie de “pilar central” – três alas a 120 graus uma da outra, ancoradas em um núcleo. Cada ala dá apoio às outras, então, quando o vento bate, a terceira apoia as outras, a primeira e a segunda.

Faça a viagem: o Burj Khalifa fica no centro de Dubai. Compre os ingressos para o mirante na bilheteria do andar térreo do Dubai Mall (www.burjkhalifa.ae/observation-deck/ticket-information.aspx).

 
Vontade de ficar na piscina olhando!

 

3. Moai, Ilha de Páscoa (Rapa Nui), Polinésia

Estas antigas estátuas foram acusadas – entre outras teorias – pelo fim da civilização ilhota da Ilha de Páscoa. Como foram transportadas sobre troncos, elas teriam devastado as florestas e, sem árvores, o solo ficou prejudicado, causando a devastação das colheitas, fome, guerra e canibalismo. Mas imagens feitas por satélites da Ilha de Páscoa, tiradas em 2005, mostram rastros sobre a terra ao redor da pedreira onde essas misteriosas estátuas de 10 m de altura foram esculpidas. Prendendo cordas às cabeças das moai, pequenos grupos poderiam ser capazes de arrastar as estátuas.

Faça a viagem: a LAN Airlines (www.lan.com) é a única companhia aérea que leva a Rapa Nui. Os voos costumam dar overbooking (superlotação), então reconfirme a sua passagem dois dias antes da partida.

4. Stonehenge, Inglaterra

Alienígenas, druidas e um bando de outros seres já foram considerados os construtores oficiais de Stonehenge. Mas por que esse conjunto de “pedras” foi construído? Evidências recentes sugerem que se trata de uma celebração do inverno, e não do verão, como antes se acreditava. A maioria dos monumentos da área está alinhada com o nascer e pôr do sol do meio do inverno e, pelos dentes de porco encontrados ali por perto, sabe-se que porcos eram consumidos como forma de comemorar os dias ficando mais longos. E como foi construído? Em cerca de 2.600 a.C., as diábases (pedras magmáticas) provavelmente vieram flutuando pelos rios das colinas Preseli, no oeste do País de Gales. A datação radiométrica prova que os glaciares não podem tê-las trazido para a Planície de Salisbury 40 mil anos atrás, como já se acreditou um dia. Pode-se notar que o pé de cada pedra foi alavancado dentro de um buraco, e lintéis as ergueram até o lugar certo, com o uso de andaimes.

Faça a viagem: dirija até Stonehenge partindo de Londres (menos de 2h) ou pegue o ônibus que parte de Salisbury (cerca de 40 minutos).

 

Você sabia que Stonehenge aparece em várias obras da literatura, justamente por ser tão misterioso? É o caso em Tess of the D'Urbevilles, de Thomas Hardy

 

5. Torre Eiffel, Paris, França

Construída para a Exposição Mundial de 1889 pelo Monsieur Eiffel, foi ele o primeiro a subir os seus 1710 degraus até o topo. (Após financiar a maior parte do projeto, seu esforço foi rapidamente recompensado, com um lucro de 1 milhão de dólares em ingressos apenas no primeiro ano.) Com 324 m de altura, a Torre Eiffel foi uma antena de rádio útil pela qual os alemães enviavam mensagens codificadas para as suas forças armadas durante a Segunda Guerra Mundial. Atualmente, 50 toneladas de tinta são usadas para repintar a torre a cada sete anos.

Faça a viagem: pegue a linha 6 do metro até Bir-Hakeim ou a 9 até Trocadéro; a linha C do RER vai até o Champs de Mars; os ônibus 42, 69, 82 e 87 levam à Tour Eiffel ou ao Champ de Mars; ou embarque em um dos muitos barcos que navegam o Sena e param em frente à torre.

 
Clichê? Talvez, mas quem não toparia ir agora mesmo?

 

6. Grande Muralha da China, China

Inicialmente construída com rochas e lama, no século 16 o Imperador Jiajing transformou a Grande Muralha em um formidável dragão de pedra. Milhões de trabalhadores foram recrutados do exército ou obrigados a se alistar nessa missão. Trabalharam sem parar na expansão da muralha e na construção de fortes. Registros indicam que um trecho de 3 km foi finalizado em apenas 600 dias por 3 mil homens. E, apesar de sua fama de ser a única construção humana avistável do espaço, a Grande Muralha só é vista lá de cima com uma lente potente, e não muito distante na órbita da Terra.

Faça a viagem: pode-se visitar vários trechos da Muralha. Para Badaling, pegue o ônibus 919 que parte do antigo portão de Deshengmen em Pequim, a cerca de 500 m a leste da estação de metrô Jishuitan; ônibus turísticos partem da praça Tiananmen. As seções Simatai e Jinshanling oferecem uma experiência menos turística.

 

Comeu muito? Aproveite pra perder calorias percorrendo a muralha (brincadeira!).

 

7. Angkor Wat, Camboja

Esta cidade que mais parece um império de templos, com 1 milhão de habitantes, precisou de mais de 300 mil construtores e 35 anos para ser construída (com a ajuda de 6 mil elefantes). A maioria de seus templos levou séculos para ficar pronta, então imagine um enorme como o Angkor Wat, considerado o maior complexo religioso do mundo. Na verdade, o fosso de Angkor Wat é tão vasto, que pode ser avistado do espaço. Cada uma das 3 mil ninfas (apsaras) sedutoras esculpidas nas muralhas do templo é única, e elas ainda exibem 37 penteados diferentes.

Faça a viagem: voe de Bangkok para Siem Reap; ou pegue um táxi, ônibus ou barco (que leva 6h), de Phnom Penh para Siem Reap.

 

Inspire-se em um dos 27 penteados diferentes das ninfas esculpidas!

 

8. Machu Picchu, Peru

No alto de uma montanha andina, a antiga cidade de Machu Picchu foi construída, viveu e silenciou-se em menos de 100 anos – depois, ficou perdida para a civilização por séculos. Durante a sua construção, os incas não usaram roldanas para transportar os blocos de pedra. Em vez disso, acredita-se que eles tenham rolado os blocos encosta acima, já que foram encontradas saliências em alguns deles (sugerindo a marca das mãos dos construtores). Soluções engenhosas foram usadas para prevenir a ação de terremotos: blocos em formato de L encaixados, portas e janelas que se abriam para dentro, e não foi usada argamassa entre os blocos para que, em caso de tremor, eles pudessem se mover sem desabar.

Faça a viagem: há apenas duas opções para se chegar a Machu Picchu: fazendo a trilha ou pegando o trem para Aguas Calientes, onde você compra a sua passagem de ônibus no escritório de turismo na rua principal.

 

Certeza que você encontrará uma lhama por aí!

 

9. Al Khazneh, Petra, Jordânia

Imortalizado em filmes como Indiana Jones, o templo Al Khazneh foi a joia da antiga cidade de Petra, há 2 mil anos. Uma tumba incompleta ali perto sugere que Khazneh foi provavelmente cavado de cima para baixo. Então os buracos vistos nas laterais da fachada são enganosos – foram feitos, provavelmente, por vândalos, para serem usados como “escada”, desfigurando assim as esculturas. 

Faça a viagem: o transporte público para o vizinho Wadi Musa é irregular, então é melhor contratar um táxi ou alugar um carro. Petra e Wadi Musa são bem sinalizados nas estradas do Rei e do Deserto.

 
Não faz você parecer pequenininho?

 

10. Grande Pirâmide de Gizé, Egito

A colossal Pirâmide de Gizé, a única sobrevivente das Sete Maravilhas do Mundo Antigo, foi a mais alta construção do mundo até a finalização da Torre Eiffel, em 1889. Ela foi construída para acolher três câmaras mortuárias, mas para isso foi necessária a força braçal de 30 mil trabalhadores. O que é intrigante é que análises do modo de vida, da tecnologia de fazer pão, de resquícios de animais e de inscrições antigas sugere que esses trabalhadores não eram escravos como antes se acredita, mas sim hábeis especialistas.

Faça a viagem: pegue um taxi ou um ônibus em Heliópolis, no Cairo.

Hum...sem palavras.
 
Para descobrir mais segredos dos mais famosos pontos turísticos da Terra, tanto naturais quanto feitos pelo homem, veja o livro The World'sGreat Wonders (As Maiores Maravilhas do Mundo, ainda sem tradução), escrito por Jheni Osman, publicado pela Lonely Planet em março de 2014.

Este artigo foi publicado em Agosto de 2014 e foi atualizado em Novembro de 2014.