Dicas e artigos

As estruturas mais icônicas feitas pelo homem

Machu Picchu

O mundo está cheio de construções incríveis, mas e aquelas que se tornaram realmente icônicas, reconhecíveis instantaneamente e que vieram a simbolizar um destino ou mesmo um período?

Vamos fazer um passeio global por essas duradouras maravilhas estruturais – todas elas competidoras ilustres para a sua lista de viagens a fazer antes de morrer:

Taj Mahal, Índia

Esta belezura esteve em construção por 23 anos (1630-1653) e é notável por sua perfeita simetria. O Taj foi encomendado pelo imperador Shah Jahan como um mausoléu para sua esposa, Arjumand Banu Begum (também conhecida como Mumtaz Mahal). Feito de mármore branco, este mausoléu majestoso conta com detalhes intrincados que foram incrustados com a preciosa lápis-lazúli – pilhada no século XIX. Seu exterior reflete as cores variáveis do dia, e a sua beleza numa noite de lua cheia é lendária.

Pirâmide de Quéops, Egito

Para o faraó egípcio Khufu, em 2.560 a.C., a noção de cavar a sua própria cova transpôs-se elaboradamente na construção da Grande Pirâmide. Cerca de dois milhões de blocos de pedra, cada um pesando duas toneladas, foram empilhados para servir como sua tumba. A Grande Pirâmide de Gizé é a atração turística original – incluindo Antônio (amante de Cleópatra) e Napoleão entre os seus vários primeiros visitantes – e é acompanhada por outras três pirâmides e aquela outra atração ilustre, a Esfinge.

Grande Muralha, China

Multidões avançam sobre a Muralha, como vêm fazendo há séculos. Construída no fim do século XV, início do século XVI (usando uma muralha já existente, datando de dois mil anos), ela estende-se por incríveis 6.350km. Apesar de não poder exatamente ser vista do espaço, sua presença serpenteante ao longo das montanhas entre China e Mongólia sempre impressiona – além de ser um tributo à energia maníaca que a humanidade aplica a sistemas de guerra e defesa. As partes turísticas de Badaling não são recomendadas. Em vez disso, tente uma caminhada de Simatai a Jinshanling.

Torre Eiffel, França

Quantos eletricistas são necessários para trocar uma lâmpada na Torre Eiffel? Um time inteiro (quase 10 mil lâmpadas que iluminam a torre de 324m). Construída em 1889 para a Exposição Mundial e para celebrar a Revolução Francesa, a torre de Paris foi projetada por Stephen Sauvestre e batizada em homenagem a Gustave Eiffel — especialista em construção em ferro, cujas obras incluem a Estátua da Liberdade e pontes portáteis vendidas em kits pelo mundo todo.

Chrysler Building, EUA

O arquiteto William van Alen planejou a inauguração da torre do Chrysler Building, em Nova York, e a montou dentro do edifício. Ela é feita de aço inoxidável e teve como modelo as calotas usadas nos carros da Chrysler do fim dos anos 1920. Concluído em 1930, os 77 andares e o pico ornamental do edifício art déco fizeram dele a maior estrutura do mundo na época, não só arranhando o céu, mas perfurando-o com seus 319m.

Big Ben, Inglaterra

“Big Ben” é o nome comum dado para o relógio e o campanário do Palácio de Westminster, em Londres. Reina a especulação sobre qual exatamente foi o Benjamin grande o suficiente para ter-lhe emprestado seu nome. Talvez tenha sido Ben Hall, o Comissário-chefe de Obras quando a torre foi construída em 1888. Ou talvez Ben Caunt, um pugilista peso-pesado profissional – em referência ao seu sino peso-pesado: quase 14 toneladas. A estrutura tem uma ligeira inclinação – aproximadamente 22cm ao noroeste – devido a condições do solo.

Machu Picchu, Peru

A “Cidade Perdida dos Incas”, Machu Picchu (literalmente “velho pico”) repousa numa imponente elevação de 2.350m e é invisível de patamares inferiores. A cidade secreta contém as ruínas de palácios, casas de banho e templos, e acredita-se ter servido como retiro rural para a realeza Inca. Redescoberta em 1911, é provável que a construção desta cidade antiga tenha começado por volta de 1440. Parcialmente construída sem argamassa, as junções precisas não permitem nem um cartão de crédito entre elas.

Monte Rushmore, EUA

Nas Black Hills de Dakota do Sul, este monumento maciço celebra os primeiros 150 anos da história americana. Entalhados na face de uma montanha estão os rostos de 18m de quatro ex-presidentes: Washington, Jefferson, Lincoln e Roosevelt. Criação de Doane Robinson, o conceito original era imortalizar figuras do folclore estadunidense. O escultor Gutzon Borglum (estudante de um tal de Rodin) acreditou que devotar o trabalho de uma vida ao folclore era trivial demais – daí os bustos resultantes, construídos entre 1927 e 1941.

Stonehenge, Inglaterra

Ninguém sabe exatamente porque estas pedras de 50 toneladas foram arrastadas do sul de Gales 5 mil anos atrás. O que se sabe é que teriam sido necessárias cerca de 600 pessoas para mover uma delas mais de um centímetro, e que o complexo foi construído entre 2.500 e 2.000 a. C. Consistindo de um anel de pedras coberto por lintéis, um arco de ferradura interno, um círculo externo e um fosso, Stonehenge provavelmente tinha finalidades tanto astrológicas quanto religiosas.

Angkor Wat, Camboja

Este complexo templário, construído no ínicio do século XII por uma sucessão de reis Khmer, foi parte de um centro administrativo e religioso ainda maior. Construído em homenagem ao deus hindu Vishnu e abandonado no século XV, várias das suas estruturas de pedra foram desde então envoltas por raízes gigantes de figueiras-de-bengala ou cobertas pela floresta circundante. O desenho dos templos parece espelhar arquitetonicamente a constelação Draco em 10.500 a. C., buscando harmonizar Terra e estrelas.

Este artigo foi publicado em Abril de 2013 e foi atualizado em Novembro de 2014.