França

Todas em França

‹ Anterior

de 6

  1. (L’A)Kroche

    (metrô Vieux Lyon) Bar/café descolado com DJs tocando eletro, soul, funk e disco, além de bandas.

  2. 72% Pétanque

    Sabonetes com essência de azeite, alguns com chocolate e folhas de tomate, e conservas de dar água na boca enchem o 72% Pétanque.

  3. A Simon

    Uma loja de artigos para cozinha mais moderna do que a E Dehillerin, próxima dali. A Simon tem mais tigelas, panelas e utensílios (assim como recipientes de barro e facas) do que você imaginava que existiam, em duas lojas separadas.  

  4. Ande pelo subterrâneo

    Nas profundezas de Vieux Lyon e Croix Rousse, escuras e sombrias traboules (passagens secretas) ziguezagueiam em meio a prédios e sob ruas até diversos pátios. São 315 passagens que ligam 230 ruas num total de 50km.
    Algumas traboules da velha Lyon datam de tempos romanos, mas a maioria foi construída por canuts (tecelões de seda) no século 19 para o transporte da seda em condições climáticas adversas. Também foram úteis aos combatentes da Resistência durante a Segunda Guerra Mundial.
    As traboules (termo derivado do latim trans ambulare, “passar através”) genuínas ligam uma rua a outra, muitas vezes seguindo caminho até fabulosas escadas em espiral. Passagens que dão para pátios ou becos sem saída não são traboules, e sim miraboules (dois dos melhores exemplos estão no número 16 da rue Boeuf e no número 8 da rue
    Juiverie, ambas em Vieux Lyon). As mais célebres traboules de Vieux Lyon incluem as que ligam os endereços 27 rue St-Jean e 6 rue des Trois Maries; 54 rue St-Jean e 27 rue du Boeuf (aperte o interfone para abrir a porta); 10 quai Romain Rolland e 2 place du Gouvernement; 17 quai Romain Rolland e 9 rue des Trois Maries; e 31 rue du Boeuf e 14 rue de la Bombarde. Entre no mundo subterrâneo de Croix Rousse no número 9 da place Colbert, cruze o
    cours des Voraces – conhecido pela escadaria monumental que ziguezagueia por sete andares – e saia no número 29 da rue Imbert Colomès. Outras incluem as que ligam os endereços 1 place Colbert a 10 montée St-Sébastien e 9 place Colbert a 14bis montée St-Sébastien; e as várias passagens na rue des Capucins – nos números 3, 6, 13, 22 e 23.
    O escritório de turismo de Lyon tem mais informações e inclui traboules em muitos de seus passeios guiados.

  5. Andy Walhoo

    Encontro de Casablanca com Andy Warhol nesse bar de coquetéis moderno e multicolorido, escondido ao norte do Centre Pompidou. Atrai gente descolada com sua house music e atmosfera animada.

  6. Atelier de Passementerie

    (visita guiada adulto/criança €5/3, ingresso combinado com Atelier de Tissage €8/4; metrô Croix Rousse) Oficina que funcionou até 1979. Admire e compre tecidos na butique anexa (entrada franca) a qualquer hora do dia, mas para aprender a história dos teares e vê-los em funcionamento vale a pena reservar horário em uma das visitas guiadas
    vespertinas de 30 minutos.

  7. Au Petit Nice

    (metrô Notre-Dame du Mont–Cours Julien) Barato e animado: cervejas a €2 em um café com disputadas mesas ao ar livre e público jovem e diversificado. (Obs: não é o hotel de mesmo nome.)

  8. Au P’tit Garage

    Praticamente o último bar “de bairro” desse quartier, o Pequena Garagem atrai a freguesia local com rock’n’roll e decoração simples. Ainda é o nosso lugar favorito da rua.

  9. Auberge de Jeunesse

    (montpellier@fuaj.org; dc incl café da manhã €19,60) O albergue da juventude de Montpellier, filiado à Hostelling International, fica próximo à rue des Écoles Laïques. Os quartos comportam de duas a dez pessoas e há um pequeno jardim. Pegue o bonde e desça no ponto Louis Blanc.

  10. Baudon de Mauny

    (c a partir de €150) Os proprietários Alain e Nathalie de Bordas fizeram mágica nessa pousada palaciana, misturando graciosamente seu gosto pelo moderno a um prédio do século 18. Lareiras, portas e janelas de madeira originais dividem
    espaço com móveis modernos e inusitadas luminárias Anglepoise. O resultado é uma pousada cheia de estilo, clean e absolutamente século 21. O estacionamento mais conveniente é o Parking du Corum, a 500m.

  11. Café de Flore

    Os bancos com estofado vermelho, os espelhos e as paredes de mármore desse ambiente art déco não mudaram muito desde os tempos em que Sartre, Simone de Beauvoir, Albert Camus e Pablo Picasso trocavam ideias aqui. Pode-se tomar um drinque no movimentado terraço e observar o movimento da St-Germain, uma das mais elegantes vias de Paris.

  12. Café Populaire

    (pratos principais €14-16; metrô Estrangin–Préfecture) Mesas e cadeiras antigas, livros antigos nas prateleiras e uma bela coleção de garrafas de refrigerante dão ar retrô a esse comptoir (balcão) em estilo jazz anos 1950. Pegue um banco no bar de zinco ou acomode-se em uma mesa com vista para a fabulosa cozinha aberta, onde são preparados especiais simples do dia como gambas à la plancha (pitus fritos servidos na chapa) ou salada de beterraba e coentro.

  13. Carrousel du Louvre

    Construído ao redor da pirâmide invertida de IM Pei, embaixo da place du Carrousel, esse centro de compras contém mais de 30 lojas (10-20h, diariamente), uma variedade de restaurantes e até o teatro Comédie Française Studio Théâtre.

  14. Casa Honoré

    Há um ar de Los Angeles nessa maison d’hôte com quatro quartos, construída em torno de um pátio central com piscina e sombreado por bananeiras. O estilo reflete o amor da proprietária por design contemporâneo (ela tem uma loja no mesmo quarteirão), com o uso de elementos extravagantes como vime preto e um ocasional crânio de vaca, unidos em
    um pacote sensual. Uma queixa: alguns banheiros são isolados por cortinas em vez de portas.

  15. Cathédrale de Notre Dame de Paris

    Este é o coração de Paris – tanto, que as distâncias entre a capital e outras cidades da França é medida a partir da place du Parvis Notre Dame, a praça em frente à Catedral de Nossa Senhora de Paris. A Notre Dame é o ponto mais visitado de Paris e tem entrada gratuita, com 14 milhões de turistas atravessando sua nave todos os anos, não é apenas uma obra-prima da arquitetura gótica francesa, mas também o núcleo da Paris católica por sete séculos.