EspanhaDicas e artigos

Uma viagem perfeita à Catalunha

Costa Brava

Anthony Ham – Autor da Lonely Planet

Aguce o seu apetite por uma aventura espanhola com tapas em Barcelona, explore as praias escondidas e o litoral que inspirou Salvador Dalí na Costa Brava, perambule pelas ruas da medieval Girona e termine sua jornada num parque nacional alpino. Deixe a Lonely Planet Magazine guiá-lo pelos sabores e atrações mágicos da Catalunha.

1. Barcelona: melhor lugar para tapas

Nas travessas entrelaçadas do Barri Gòtic (catalão para “Bairro Gótico”), tapas são sinônimo de tradição. Os prédios de rocha do bairro mais antigo de Barcelona abrigam bares de tapas que mostram aliança eterna a duas simples verdades. Primeira: escolha os melhores ingredientes, interferindo com eles o mínimo possível. Segunda: as melhores coisas vêm nas menores embalagens.

“Tapas são um evento social”, diz Bego Sanchis, dono da escola de culinária Cook & Taste e guia da minha peregrinação por tapas. “Uma razão para encontrar com os amigos. O papel da comida é aproximar as pessoas.”

Onde comer: No Pla. Para tapas com um toque de mercado, procure este bar numa travessa sossegada do Bairro Gótico.

2. Costa Brava: melhor lugar para praias

Ao norte de Barcelona, além da propagação de concreto que arruína os subúrbios da cidade, a natureza toma conta. Os cabos rochosos da Costa Brava forçam a rodovia principal em direção ao interior, e uma estrada tranquila, quieta e sinuosa atravessa os contornos íngremes da costa. Não demora para que ela chegue na aldeia de Tossa de Mar, onde uma crescente de areia arquea-se em direção a um promontório fortificado por muros e torres do século 14. A pouca distância da praia, barcos de pesca e outras embarcações deslizam suavemente pela baía protegida.

A principal praia de Tossa, Platja Gran, é feita de uma mistura mediterrânea dourada e quase luminosa de areia e pequenos pedregulhos que brilham ao sol. No alto verão, a praia pode ser tomada por um mar de corpos, mas ao norte, ao longo da mesma baía, Platja del Reig e Platja Mar Menuda permanecem mais quietas e mais íntimas.

Onde comer: No Toc al Mar (+34 972 113 232). Numa pequena inclinação sobre a praia em Aiguablava, este restaurante ao ar livre parece uma extensão da praia.

3. Cap de Creus e Figueres: melhor lugar para Dalí

Um cenário austero de rocha, Cap de Creus é a extensão mais ao leste da Espanha continental, lugar onde o mestre da pintura Salvador Dalí encontrou muita de sua inspiração. A paixão de Dalí pela paisagem é contagiante. Cap de Creus é um terreno sobrenatural de rochas estranhamente estriadas e reluzindo com a pátina dos tempos, veios percorrendo-as como rios. Afloramentos entram em foco de repente – bizarras formações rochosas que evocam o senso do absurdo de Dalí. Aqui, uma face pedrosa esculpida pelo vento, ali, a rocha que serviu como musa para a obra-prima de Dalí, O Grande Masturbador.

Onde comer: No Restaurante Cuatro (www.cuatro-restaurant-cadaques.com). Cadaqués, uma bela cidade costeira na península de Cap de Creus, tem vários restaurantes à beira do mar, mas o Cuatro fica um degrau acima.

4. Girona: melhor lugar para Espanha medieval

Coroada por uma catedral que assoma na distância e circundada por muros formidáveis, Girona parece um cenário de filme épico medieval. Esta é uma cidade que realmente sabe como dar um show. A atração histórica estelar é a sua arquitetura – os altos muros de pedra de Girona contém igrejas e antigas catedrais e sinanogas, além de palácios menores, todos datando de diferentes eras do seu passado medieval.

Do outro lado da colina íngreme que sustenta a cidade velha de Girona, uma complexa rede de becos cobertos de pedra se contorcem. Edifícios guardados por altas arcadas e portas ancestrais, adornados com sacadas de ferro forjado, tombam-se até uma das mais bonitas fachadas de rio urbanas de toda a Catalunha. Perambulando por essas passagens, parece que de alguma forma não é assim tão surpreendente a visão de um monge de hábito emergindo das sombras. A misteriosa figura é uma das várias que tomam parte nas numerosas encenações históricas de Girona – um jeito particular de dar vida ao passado medieval da cidade.

Onde comer: No Café Le Bistrot (cafelebistrot.com). Um regresso aos cafés literários da Catalunha do início do século 20, este bistrô serve comida francesa e catalã.

5. Parc Nacional d’Aigüestortes i Estany de Sant Maurici: o melhor lugar para paisagens

Nas profundezas dos Pirineus, onde a Espanha eleva-se para encontrar o resto da Europa, o Parc Nacional d’Aigüestortes i Estany de Sant Maurici é o canto mais bonito do nordeste espanhol. Lagos (“estany” em catalão) e“córregos serpenteantes” (aigüestortes) dão nome ao parque.

Além de Estany de Llebreta, o vale sobe até um planalto sulcado, irrigado por limpos córregos montanhosos e lar de cavalos semi-selvagens. O vale se estreita e sobe parque adentro antes de finalmente alcançar o remoto Estany Llong, a dois mil metros acima do nível do mar e a uma caminhada de 90 minutos além do ponto mais distante onde param os táxis. Aqui, no coração do pico, há uma sensação de se estar entre dois mundos completamente diferentes. Passando as montanhas ao oeste, o clima do Atlântico prevalece, mas ao leste o clima é mediterrâneo.

Onde comer: No El Caliu (elcaliutaull.com). No topo da aldeia de Taull, este estimado restaurante local prepara criativas saladas e pratos montanhosos como cordeiro recheado. 

Este artigo foi publicado em Agosto de 2013 e foi atualizado em Novembro de 2014.

Espanha