Deli

Túmulo de Safdarjung, Nova Delhi

Apresentando Deli

Deli – com seus ambulantes tenazes e o esmagador tráfego mecânico e humano – pode ser absolutamente confusa para o visitante de primeira viagem. Mas não deixe que primeiras impressões rabugentas obscureçam os pontos positivos dessa metrópole verdadeiramente multidimensional. Enxergue além da superfície empoeirada e logo descobrirá que a capital da Índia está salpicada de joias reluzentes: monumentos antigos vistosos, museus magníficos, uma agenda vibrante de artes cênicas e alguns dos lugares mais gostosos para comer no subcontinente.

No caldeirão cultural vibrante que é Deli, ouve-se uma confusão de idiomas, os mais comuns sendo: hindi, inglês, punjabi e urdu. Em termos de layout, Deli contém dois mundos muito diferentes – o “velho” e o “novo”, cada um apresentando experiências deliciosamente diferentes. A espaçosa Nova Deli foi construída como capital imperial da Índia pelos britânicos; a tumultuada Velha Deli servia como capital da  Índia islâmica. Os visitantes podem mergulhar facilmente em ambas, passando metade do dia imersos em história no dramático  Forte Vermelho, em Jama Masjid e nos bazares de sabor medieval da Velha Deli, e a outra, recuperando-se com cappuccinos espumosos ou coquetéis gelados em um dos novos cafés e bares requintados de Nova  Deli . Além disso, com a recente revolução culinária global de Deli, viajantes famintos podem agora se esbaldar em todos os tipos de comida – desde curries Mughlai de carne e idlis (bolinhos generosos de arroz do sul da Índia), até pizzas crocantes assadas em forno a lenha e sashimis tenros.

Para quem está aqui para pegar o voo para casa, há oportunidades gloriosas de compras de última hora, com produtos artesanais de toda a  Índia – uma verdadeira benção se você se arrepender de não ter comprado aquela colcha cintilante de espelhos bordados no Rajastão , ou aquela pintura Madhubani em Bihar.

Última atualização: 20 de Outubro de 2014