Chile e Ilha de Páscoa

Todas em Chile e Ilha de Páscoa

‹ Anterior

de 2

  1. Altazor

    Localizado a 500m ao sul da Universidad del Mar (ao sul do centro de Iquique), Altazor oferece cursos de parapente (CH$40.000 por dia, com equipamento e transporte inclusos). Um voo em dupla introdutório custa CH$35.000; cursos de duas semanas também estão disponíveis, assim como acomodações em seu aconchegante hostel (s/c CH$15.000/18.000, sem banheiro CH$10.000/12.000). Experientes em parapente podem alugar ou consertar seu próprio equipamento. Os donos, Philip e Marlene, falam português, alemão, inglês e francês.

  2. Altrapasueños

    Esse espaço de música – a madeira nobre faz dele acolhedor, e o tamanho torna-o ainda mais aconchegante – recebe bandas ao vivo em quase todas as noites da semana, teatro eventualmente e um pianista. Está localizado duas quadras a leste de Mocopulli.

  3. Andes Hostel

    Paredes pintadas de pistache, um tapete com estampa de zebra, sofás retrô e um bar em mosaico dão o charme estilo arte pop nesse hostel com localização central. Vale a pena gastar mais em um apartamento Andes no quarteirão seguinte, especialmente porque você terá acesso à piscina e, possivelmente, a uma sacada.

  4. Artesanías de Chile

    Não só os preços de joias, esculturas, cerâmicas e mercadorias de lã são razoáveis, mas também a maior parte do que pagar vai para o artesão que as fabricou. Procure outros locais em Santiago e por todo o Chile.

  5. Atacama Inca Tour

    Várias agências oferecem sandboard, e muitas vendem passeios da Atacama Inca Tour, que tem pranchas e instrutores qualificados. Passeios regulares, por CH$10.000, saem às 9h e retornam às 12h, ou saem às 16h e retornam às 19h. Envolvem uma aula de duas horas e você ganha um DVD com uma filmagem de sua aventura. Também oferece sandboard seguido de uma pequena caminhada no Valle de La Luna e um pisco por CH$15.000. A oferta mais recente é a festa (das 22h30 até 1h30), com refletores na duna, alto-falantes e DJ. Assim que pegar o jeito, você pode alugar pranchas de várias agências, incluindo Vulcano; custa CH$4.000 por meio dia.

  6. Azul Profundo

    Entre nesse restaurante de cor azul profundo – com uma coleção de telescópios, decoração marítima e bar de madeira vintage inspirados pela estética de Pablo Neruda – e coma frutos do mar frescos e originais. Peça a deliciosa degustação de ceviche e uma rodada de pisco sours; a bandeja colorida (e gigante) talvez seja a refeição mais inesquecível de sua aventura chilena.

  7. Caminhada, corrida e bicicleta

    Os residentes locais correm, caminham e andam de bicicleta ao longo do Río Mapocho (especialmente pelo Parque Forestal), no Parque Quinta Normal e ao longo das ladeiras do Cerro San Cristóbal. Você vai estar na cidade na primeira terça do mês? Junte-se às multidões de ciclistas que passeiam pela cidade sobre duas rodas, como parte do Movimiento Furiosos Ciclistas (www.furiosos.cl). Entre em contato com La Bicicleta Verde (www.labicicletaverde.cl) para mais informações.

  8. Catedral Metropolitana

    Com vista para a Plaza de Armas está a neoclássica Catedral Metropolitana construída entre 1748 e 1800. Os bispos que celebram a missa no suntuoso altar têm motivo para se sentir perturbados; embaixo está a cripta onde seus antecessores estão enterrados.

  9. Club de Jazz

    Um dos clubes de jazz mais tradicionais da América Latina – Louis Armstrong e Herbie Hancock são apenas dois dos famosos nomes que tocaram no local –, esse prédio grande de madeira recebe intérpretes nacionais e internacionais de jazz e blues e integrantes de renomadas bandas.

  10. Hostal Nomades

    Em uma cidade tão boêmia e colorida como Valparaíso, que lugar é melhor para dormir que a casa de um artista? O dono desse simpático B&B é um pintor talentoso; seus trabalhos em grande escala animam as paredes de uma casa antiga que já possui charme suficiente com suas vigas rústicas de madeira e ladrilhos em estilo espanhol. Apesar de funcionar como um B&B, as instalações comunais são dignas de hostel: os hóspedes têm acesso a cozinha, sala de TV, guarda-volumes e empréstimo de livros.

  11. Hotel Cap Ducal

    As ondas castigam as fundações desse prédio art déco, construído para parecer um navio. Escadarias em espiral e corredores levam aos quartos e às vistas do mar dignas de um cruzeiro (os quartos no terceiro andar possuem varanda). Os móveis combinam com o ar de grandeza decadente. O restaurante de frutos do mar no local é um clássico de Viña.

  12. Huerto Azul

    Essa fabulosa loja de sorvetes gourmet desafia você a entrar sem sair com hiperglicemia. Marmeladas artesanais e chutneys, como de figo com merkén (chili mapuche defumado com especiarias) e cebola com merlot, alinham as paredes; uma ampla seleção de barras caseiras de chocolate belga (tentador!) está disposta no balcão; e moradores locais fazem fila para um gelato italiano, também feito no local (experimente o maqui antioxidante, o novo açaí do mundo).

  13. La Piedra Feliz

    Jazz, blues, tango, son, salsa, rock, bebidas, comidas, cinema: não há nada que essa casa na orla não ofereça. No porão, DJs tocam até as 4h no clube noturno La Sala.

  14. Museo a Cielo Abierto

    Vinte murais coloridos e clássicos estão espalhados pelas ruas inferiores desse cerro, formando o Museo a Cielo Abierto, criado entre 1969 e 1973 por estudantes do Instituto de Arte da Universidad Católica. O Ascensor Espíritu Santo (CH$250; 7h-20h30) leva da parte de trás da Plaza Victoria ao centro dessa arte.

  15. Museo Chileno de Arte Precolombino

    A cerâmica primorosa das principais culturas pré-colombianas é a espinha dorsal do melhor museu de Santiago, o Museo Chileno de Arte Precolombino. Junto a dezenas de vasos antropomórficos moldados de forma complexa, exposições incluem a maciça estrela de pedra maia e um fascinante painel têxtil andino. Mais incomuns são as espátulas de madeira para provocar vômito utilizadas por xamãs da Amazônia antes de tomarem psicoativos.