Buenos Aires

Atrações em Buenos Aires

‹ Anterior

de 1

Próxima ›
  1. Casa Rosada

    Observando a fachada cor-de-rosa, em estilo renascentista, desse palácio, dá mesmo para imaginar Eva Péron fazendo discursos da varanda. A Casa Rosada abriga os escritórios do governo argentino e habita o imaginário da América Latina. Sua construção começou em 1862 e, logo depois, o edifício ganhou essa cor – conseguida, pasme, com uma mistura que levava sangue de boi. A entrada é gratuita.

  2. Cementerio de la Recoleta

    Pode-se dizer que esse cemitério seja a principal atração de Buenos Aires e uma atração obrigatória na lista de qualquer turista. Você pode caminhar por horas e horas nessa incrível morada dos mortos, onde inúmeras alamedas são margeadas por impressionantes estátuas e túmulos de mármore. Dê uma olhada nas criptas e não deixe de conferir os caixões empoeirados – que guardam restos mortais, em sua maioria, de membros da elite da cidade. Presidentes, heróis militares, políticos influentes e outros ricos e famosos foram carregados por seus portões. Procure o túmulo de Evita, como fazem todos os visitantes. Há visitadas guiadas em espanhol às terças e sextas às 9h30, 11h, 14h e 16h. A entrada é franca.

  3. Centro Cultural del Bicentenario

    A construção do imponente Correo Central (1928), que ocupa um quarteirão inteiro, estendeu-se por vinte anos. O elegante projeto foi inspirado na sede dos correios de Nova York – o teto com mansardas foi acrescentado posteriormente. O prédio está sendo transformado em centro cultural, com um espaço de concertos para a orquestra filarmônica nacional e capacidade para quase 2 mil espectadores, mas não há data prevista para inauguração. Confira durante sua visita e cruze os dedos.

  4. Eco Yoga Park

    Administrado por simpáticos hare krishnas, esse parque a 1h30 a oeste da capital tem gramados verdejantes, cabañas construídas de forma ecológica e um pequeno restaurante vegetariano que serve ingredientes colhidos na horta. As aulas diárias de ioga são fáceis, e todos podem acompanhá-las. 

  5. Jardín Japonés

    Inaugurado em 1967 e então doado à cidade em 1979 (no centenário da chegada dos primeiros imigrantes japoneses), o Jardín Japonés é um dos jardins mais bem cuidados da capital – e é um excelente lugar para descanso. No interior, há um restaurante japonês e lindos lagos de carpas com belas pontes. A casa de chá é ótima para fazer uma pausa, e há bonsais à venda. A cultura japonesa pode ser vivenciada em exposições ocasionais e oficinas de ikebana, haiku, origami, taiko (tambor japonês), entre outros eventos.

  6. Museo de Armas

    Mesmo quem já serviu às forças armadas provavelmente nunca viu tantas armas. Esse museu labiríntico exibe uma excelente e gigantesca coleção de mais de 3 mil bazucas, lançadores de granadas, canhões, metralhadoras, mosquetes, pistolas, armaduras, lanças e espadas. Há até mesmo máscaras de gás para cavalos. A evolução dos rifles e revólveres é bem documentada e há também uma pequena, porém incrível, sala de armas japonesas. A coleção é imensa, impressionante, organizada e bem sinalizada.

  7. Museo Evita

    Quase todas as grandes personalidades do país têm um museu, e Eva Perón (1919-1952) não seria exceção. O Museo Evita imortaliza a heroína nacional com vídeos, fotos históricas, livros, pôsteres e manchetes de jornais. Entretanto, os objetos mais interessantes são, sem dúvida, suas roupas: vestidos, sapatos, bolsas, chapéus e blusas repousam com orgulho atrás de vidros, engomados e imaculados. Até mesmo carteiras e perfumes de Evita estão em exposição.
    Nosso item favorito é uma foto dela chutando uma bola de futebol – de salto alto. Vá até a esquina se precisar de um descanso. Anexo ao museu, fica o Museo Evita Restaurante, com um pátio maravilhoso, perfeito para relaxar em dias quentes.

  8. Museo Mundial del Tango

    Esse museu, voltado para os fãs dessa arte, fica localizado abaixo da Academia Nacional del Tango. Amplas salas expositivas mostram de discos e fotos antigas a textos pôsteres históricos. Há também alguns sapatos de tango, mas o ponto alto é um dos famosos chapéus de Carlos Gardel.

  9. Palacio San Martín

    Construído em 1912 para a poderosa família Anchorena, essa impressionante mansão é na verdade composta de três prédios independentes que circundam um pátio de pedra. Ela foi projetada pelo arquiteto Alejandro Christophersen e ostenta escadarias de mármore, salas de jantar grandiosas e um jardim com um pedaço do Muro de Berlim. Há ainda um pequeno, porém bom museu, que exibe artefatos pré-colombianos, além de algumas pinturas de artistas latino-americanos.

  10. Plaza de Mayo

    Fundada em 1580 como a primeira praça central da cidade, a Plaza de Mayo é o centro simbólico e físico da história de altos e baixos da Argentina. Seu nome faz referência à Revolução de Maio (1810), que iniciou o processo de independência do país em relação ao poderio da Espanha. Desde então, o lugar já viu de tudo: aplausos para os discursos de Evita, feitos na varanda da Casa Rosada; bombardeios militares em 1955; a marcha das “madres” protestando o desaparecimento de sues filhos.