Bruxelas

Todas em Bruxelas

‹ Anterior

de 2

  1. Brussels Bike Tours

    (tour incluindo o alugel da bicicleta €22/25) Esse tour de 4 horas (até 12 pessoas) começa no Hôtel de Ville (Grand Place). A maioria dos visitantes de primeira viagem adoram tanto o passeio quanto as paradas para comidinhas ao longo do caminho (bebida e comida são cobrados a parte). A empresa também oferece um tour a pé da cidade. 

     

  2. Brussels City Tours

    Esse tour cobre tudo, do Atomium a EU, e inclui algumas adoráveis construções art nouveau. Você começa com um tour a pé pelo Grand Place, e logo depois passa para um veículo.

  3. Cervejas

    Supermercados têm uma diversidade de cervejas belgas relativamente baratas. Para opções mais amplas, tente a Beermania (www.beermania.be;Chaussée de Wavre 174; 11-21h seg-sáb) ou a pequena Délices et Caprices (www.thebelgian-beer-tasting-shop.be; Rue des Bouchers 68; 14-20 qui-seg).

  4. Chocolates

    Embora criticado pelos especialistas belgas esnobes, a onipresente Leonidas (www.leonidas.com; por kg €24.30) tem uma relação custo-benefício difícil de competir. Você vai pagar cerca de duas vezes mais no Corné Port Royal (www.
    corneportroyal.be), Galler (www.galler.com), Chocolate Line (www.thechocolateline.be) e Neuhaus (%02-512 63 59; www.neuhaus.be; Galerie de la Reine 25; por kg €52; 10-20h seg-sáb, 10-19h dom), criador dos bombons belgas originais. Ou três vezes mais na exclusiva Pierre Marcolini (02-512 43 14; www.marcolini.be; Rue des Minimes 1; por kg €70; 10-19h dom-qui, até 18h sex-sáb), famosa por usar raras sementes de cacau, sabores experimentais e uma caixa preta fashion como embalagem.

  5. Delirium Café

    O bar principal tem mesas de barril, teto forrado de bandejas e mais de duas mil cervejas internacionais. E o bar ainda tem 25 opções de chope. É associado a um jardim de rum e ao Floris Bar (a partir das 20h), que serve centenas de jenevers (gim holandês), vodcas e absintos. Não é a toa que é animado. Música ao vivo a partir das 22h.

  6. Fin de Siècle

    Dos carbonade (cozido de carne) e frango com cerveja de cereja até mezzes e tandoori, as comidas são tão ecléticas quanto a decoração desse lugar cult de pouca luz. As mesas são rústicas, a música constante, o teto é roxo e os preços convertidos dos
    francos belgas. Para citar o barman, “não tem telefone, nem reservas, nem placas na entrada… fazemos de tudo para colocar
    as pessoas para fora, mas elas continuam vindo”. Filas são comuns.

  7. Galerias St-Hubert

    Primeiro centro comercial da Europa, aberto desde 1847, com arcos neoclássicos envidraçados e ladeados por pilastras de mármore. A oeste, há duas vias encantadoras e coloridas de restaurantes de peixes (Rue Petit e Rue des Bouchers), mas cuidado: muitos deles são notórias armadilhas para turistas.

  8. Heysel

    O passeio de metrô de quinze minutos até o extremo norte de Bruxelas conduz a uma área com centros de convenções, o
    estádio nacional e a curiosa Mini Europe (www.minieurope.com; adulto/criança €14/10,50, com Atomium €23,25/15,25; 10-17h abr-jun e set-dez, 9h30-20h jul-ago), uma recriação dos principais pontos turísticos
    do continente em uma escala de 1:25.

  9. Hôtel Noga

    Esse acolhedor hotel familiar, fundado em 1958, usa modelos de iates para dar ao lobby e à sala de piano uma atmosfera náutica. Fotos em sépia da realeza belga, junto com foles históricos, cartolas e objetos kitsch aleatórios levam a quartos arrumados e limpos, decorados sem luxo especial. O wi-fi é gratuito na primeira hora.

  10. Le Cercle des Voyageurs

    Convide Phileas Fogg para um café nesse encantador bistrô com globos, um mapa antigo no teto e uma biblioteca de viagem. A comida de brasserie global é muito boa, e a música ao vivo é gratuita: piano jazz às terças e música experimental às quintas.

  11. Maison Noble

    Essa esplêndida e refinada pousada de quatro cômodos inclui uma sala de piano neorrenascentista, onde, algumas vezes, acontecem recitais. Os quartos padrão têm grandes duchas, finas roupas de cama, e algumas impressões de Bruegel
    sobre as camas. O público-alvo são os casais gays, mas é muito hetero-friendly.

  12. Manneken Pis

    Essa pequena estátua em uma fonte, de um garoto fazendo xixi alegremente, é um símbolo nacional perfeito da surreal Bélgica. É mais comum a nudez da pequena estátua estar coberta por um traje comemorativo: seu guarda-roupa sempre crescente fica exposto no Maison du Roi (Musée de la Ville de Bruxelles; Grand Place).

  13. Mer du Nord

    Essa peixaria com boa reputação tem fila e oferece lanches rápidos e almoços em mesas externas de metal.

  14. Moeder Lambic Fontainas

    Dezenas de chopes artesanais são servidos em um ambiente mais contemporâneo, em vez de uma reconstrução do velho mundo, com um clima alto astral e música.

  15. Museu Magritte

    (adulto/menor de 26 anos/BrusselsCard €8/2/grátis) Aberto em 2009, esse bonito museu acompanha o desenvolvimento estilístico do mais famoso artista surrealista belga, René Magritte, do colorido estilo cubista de Braque em 1920 passando pela fase Dalí e o período do fim dos anos 1940, emque explorou a pincelada de Kandinsky. Sessões regulares de um documentário de 52 minutos dão uma ideia da vida nada convencional de Magritte. Você consegue desconto na entrada se visitar também os Museus Royaux des Beaux-Arts, ao lado.