ÁsiaDicas e artigos

O melhor da Ásia e do Pacífico

Lonely Planet

Com uma culinária que aguça os sentidos, florestas e mares que fervilham vida e cidades borbulhando cultura e criatividade – a Ásia e o Pacífico têm muito a oferecer aos seus visitantes. Os especialistas em viagem da Lonely Planet exploraram essa vasta região, passando por suas cordilheiras, ilhas e todo o restante, e encontraram os melhores lugares para se conhecer este ano.

Desde selvas virgens a lagoas que parecem miragens, essas recomendações refletem uma parte do mundo cada vez mais determinada a proteger suas belezas mais valiosas ao mesmo tempo em que marcha com tudo rumo ao futuro.

Experimente isso você mesmo ao viajar para um desses destinos inesquecíveis.

 

A espetacular costa ao sul da Austrália Ocidental vale uma viagem por si só – mas há muito mais para se aproveitar ao sul de Perth © John Crux Photography / Getty Images

1. Margaret River e sul da Austrália Ocidental, Austrália 

Basta apenas dar uma olhada em Meelup Beach para você se perguntar por que não esteve aqui antes: a natureza da Austrália Ocidental se abre, revelando um oceano azul safira, igual à cor de uma garrafa de Bombay Sapphire – tonalidade típica das águas da costa que vai de Margaret River até o sul do estado. Para além da areia das praias, há algumas das vinícolas mais chiques do país, e também cervejarias e restaurantes entre florestas de árvores altas e campos repletos de cangurus.

Os moradores da região sempre acharam que o charme do local compete com a rota turística da costa leste; mas, agora, voos diretos de 17 horas ligam Londres à Perth, deixando a cidade australiana ao alcance da Europa. Além disso, há cobiçados festivais gastronômicos e culturais, como Gourmet Escape, Truffle Kerfuffle e Taste Great Southern. Há também praias maravilhosas, muitas baleias e trilhas costeiras com áreas pavimentadas, tornando-as acessíveis a todos.

 

 

O cume sagrado do monte Ishizuchi-san, conhecido também como “o teto de Shikoku” © Paprikaworks / Getty Images

2. Shikoku, Japão

Há mais de 1.200 anos, os peregrinos dos “88 Templos Sagrados de Shikoku” viajam para a quarta maior ilha do Japão, mas, finalmente, visitantes do mundo todo estão descobrindo esse paraíso – um pouco fora da rota –, devido à oferta cada vez maior de voos internacionais chegando às principais cidades de Takamatsu e Matsuyama.

A popular ilha de Naoshima, no mar interior de Seto, junto com mais 11 ilhas que florescem como centros artísticos, organiza o festival trienal de artes de Setouchi, que vai até novembro de 2019; além disso, essa ilha está passando o seu magnetismo para Shikoku. Os visitantes têm explorado atrações como o “secreto” vale de Iya, os redemoinhos de Naruto, o castelo de Kōchi, os mercados de Hirome, o Dōgo Onsen de Matsuyama e escalado o sagrado monte Ishizuchi-san. Alguns viajantes estão até mesmo vencendo os 1.400km da peregrinação budista ao passar pelos 88 templos.

 

 

Vista aérea da Baía das Ilhas, na Nova Zelândia © Martin Barraud / Getty Images

3. Baía das Ilhas e Northland, Nova Zelândia

Infinitas e extraordinárias praias para surfar e uma miríade de ilhas e florestas com gigantescas árvores são os destaques do extremo norte da Nova Zelândia (Aotearoa) – mas isso é apenas uma parte da história. Northland é o berço cultural e histórico do país – tanto para os nativos Maori quanto para os colonizadores europeus que chegaram depois.

Esses dois grupos se uniram formalmente ao assinarem o Tratado de Waitangi na Baía das Ilhas, e, em 2020, é comemorado o 180º aniversário desse evento-chave na formação dessa nação. Espere animação redobrada nas festividades anuais que acontecem em Waitangi no dia 6 de fevereiro – o Dia Nacional da Nova Zelândia –, incluindo a inauguração de um novo museu dedicado ao Batalhão Maori, que lutou nas duas guerras mundiais.

 

 

Não saia da Cidade dos Leões sem provar a comida de rua, que recebeu estrelas Michelin (mas se prepare para a fila) © ROSLAN RAHMAN / Getty Images

4. Singapura

Embora o Oscar tenha se esquecido disso, Singapura, a Cidade dos Leões, foi uma das estrelas de 2018, brilhando no blockbuster Podres de Rico, e está bombando mais do que nunca. O ano de 2019 oferece a você a chance de participar do bicentenário da cidade – marco da fundação da Singapura moderna –, mas também de celebrar os mais de 700 anos de sua história rica e diversa.

Comida por aqui é uma obsessão, qualquer que seja seu orçamento. Escolha entre o prato de S$2 de arroz com frango, estrelado pelo Michelin, ou a comida requintada e exuberante do Odette, recentemente coroado como o melhor restaurante da Ásia em uma lista com 50 estabelecimentos. Reserve uma mesa com antecedência e se prepare para a fila. O aeroporto Changi deixará os amantes de arquitetura de queixo caído com a recém-inaugurada Joia futurística e também com a meticulosa restauração do icônico e histórico Raffles Hotel, a ser reaberto em agosto. Resumindo, Singapura está rugindo.

 

 

A lagoa turquesa de Aitutak parece uma fantasia feita no Photoshop, mas é 100% real © Matteo Colombo / Getty Images

5. Ilhas Cook

Uma visita às ilhas Cook, 15 pequenas ilhotas espalhadas em um pedaço azul profundo e refrescante do oceano Pacífico, deve rejuvenescer até os mais exaustos. E os moradores locais da ilha principal de Rarotonga dão boas-vindas aos visitantes que chegam em voos internacionais cada vez mais frequentes para esse paraíso polinésio.

Embora a vida nas ilhas Cook seja muito sossegada, há uma série de aventuras ao ar livre a serem aproveitadas, além de uma diversa vida marinha à espera da visita de praticantes de snorkeling aos seus intocados recifes de coral. Um voo de 45 minutos para o norte de Rarotonga revela a joia que é Aitutaki, sua idílica lagoa turquesa é frequentemente nomeada a mais bonita do mundo, e conhecer mais a fundo as ilhas Cook o leva a lugares explorados por poucos.

 

 

O Vietnã Central oferece muitas experiências inesquecíveis, mas poucas podem competir com uma viagem à Hang Son Doong, a maior caverna do mundo © Geng Xu / Getty Images

6. Vietnã Central

Ladeado pela incansável energia da cidade de Ho Chi Minh e o ambiente histórico e (levemente) mais relaxado de Hanói, a área central do Vietnã é uma das regiões mais diversas do país.

A cozinha vibrante de Hue exibe o legado imperial da cidade, enquanto, ao sul, nas ruas históricas de Hoi An, pratos locais incluem o aromático macarrão cao lầu. Frutos do mar são a estrela na vizinha Danang, cidade na costa do rio Han que se tornou um dos destinos urbanos mais excitantes do Vietnã. Conexões aéreas em muitas cidades da Ásia oferecem fácil acesso a atrações como a ponte Dourada, nas montanhas Ba Na; além disso, explorar as cavernas mundialmente famosas, os agitados rios e as selvagens florestas do Parque Nacional Phong Nha-Ke Bang é essencial para qualquer viajante intrépido e aventureiro.  

 

 

Fiji é maravilhosa de qualquer ângulo, mas é difícil bater esse © Matteo Colombo / Getty Images

7. Fiji

Cachoeiras secretas escondidas em vibrantes selvas, um desfile de peixes em passarelas de corais, deslumbrantes praias intocadas e moradores locais que lhe oferecem um copo da relaxante bebida kava – coisas essas que todo mundo espera nunca mudar em Fiji.

No entanto, há uma preocupação real se Fiji conseguirá conservar suas belezas naturais devido às mudanças climáticas. Sustentabilidade se tornou uma prioridade. Desde resorts movidos a energia solar que servem alimentos cultivados no local a projetos de restauração de corais e de limitação ao uso de plástico, essa vulnerável nação insular mergulhou de cabeça no ecoturismo. Em 2020, no dia 10 de outubro (o chamado Dia de Fiji), o país comemorará seu 50º ano de independência. Espere pelo menos uma semana de festividades, incluindo lovos (fornos tradicionais feitos em buracos), meke (dança em volta do fogo) e música de ukulele.

 

 

O sol se põe após mais um dia no paraíso… também conhecido como arquipélago de Bacuit, na ilha Palawan © XYZ PICTURES / Getty Images

8. Palawan, Filipinas

Chamada de “a última fronteira” das Filipinas, Palawan surfou uma onda de atenção da mídia até chegar à beira do estrelado internacional. Felizmente, a fama ainda não a alcançou por completo. Esses dias têm sido perfeitos para visitar o local; novas rotas aéreas e estradas aperfeiçoadas tornam mais fácil do que nunca explorar as impressionantes praias e ricas selvas ao longo dos 400km de Palawan, antes dessa ilha, inevitavelmente, desenvolver-se.

A joia da coroa é El Nido, onde gigantescas formações rochosas se erguem para fora da água azul na baía de Bacuit. Novas regras restringem o número de visitantes em pontos mais famosos como a Grande Lagoa, na ilha de Miniloc, assim como a proibição de garrafas de plástico descartáveis em barcos turísticos ajuda a lidar com a poluição marinha. El Nido é um local cheio demais para você? Siga para o sul, rumo ao paraíso mochileiro de Port Barton ou à emergente San Vicente, cujo aeroporto foi recentemente inaugurado.

 

 

A histórica Beijing tem brilhado graças a diversos projetos de modernização ecologicamente conscientes © kool99 / Getty Images

9. Beijing

Voando para o futuro, Beijing está mudando rapidamente à medida que uma nova década se aproxima. A fim de combater a poluição, a cidade lançou um projeto ecológico de aluguel de bicicletas; e a expansão do metrô acontece de modo rápido, a esperança é que esse meio de transporte diminua os engarrafamentos. Conexões de alta velocidade logo levarão passageiros ao extraordinário Beijing Daxing International, projetado por Zara Hadid em forma de estrela do mar, o maior aeroporto do mundo a ser inaugurado no final deste ano; aos novos parques da Universal Studios, que abrirão em 2021; e aos lugares que receberão as Olimpíadas de Inverno de 2022.

Beijing, porém, está se modernizando sem sacrificar sua história, exibida em todo seu esplendor em pontos como a colossal Cidade Proibida, o maior complexo de palácios do mundo, o Templo Lama, a Muralha da China, visível do espaço, e as estreitas e antigas vielas dos hútòngs, onde moradores locais festejam em alguns dos bares mais descolados da cidade.

 

 

É difícil imaginar um lugar melhor para pendurar uma rede do que em ilhas como a Koh Rong Samloem, no Camboja © Rocky89 / Getty Images

10. Camboja

A maior parte das pessoas vem ao Camboja para visitar o icônico templo Angkor Wat, e isso não muda há um milênio. No entanto, em outros lugares, a paisagem turística tem se modificado rapidamente: o skyline da capital, Phnom Penh, está em ascensão, com rooftop bars e restaurantes sofisticados; as ilhas do sul agitam as coisas graças a novos resorts butique e de luxo como Six Senses e Alila Villas; vestígios da era colonial são restaurados em Battambang e Kampot; e, em áreas remotas como Koh Kong e Mondulkiri, a vida selvagem atrai visitantes para rotas desconhecidas. A fim de tornar a viagem mais rápida, novas companhias aéreas conectam Siem Reap à costa sul com hidroaviões conduzindo os viajantes às ilhas.

No final das contas, porém, tudo se resume ao povo cambojano, que comemora duas décadas de paz e não perde tempo em celebrar e compartilhar sua cultura. É esse espírito que deixa uma marca inesquecível na alma.

Este artigo foi publicado em Julho de 2019 e foi atualizado em Julho de 2019.

Ásia