AmsterdãDicas e artigos

Tours do Red light district de Amsterdã serão banidos no ano que vem

Annemarie McCarthy

A partir de 2020, os turistas de Amsterdã não poderão mais fazer o tour do famoso red light district.


O Red Light district é uma parte histórica de Amsterdã. Photo by Olena Z/Shutterstock

As novas regras entrarão em vigor no dia 1 de janeiro e irão proteger esse bairro medieval, também chamado de De Wallen, por conta dos efeitos cada vez maiores do excesso de turismo. Embora a área tenha uma reputação hedonista, muitos visitantes não sabem que é também um bairro residencial. Um sistema de licenciamento para guias foi introduzido em 2018 e ajudou, mas agora a cidade está disposta a levar a coisa um passo além.

Esses tours causam problemas como superlotação do bairro, já que com frequência eles param em frente a lugares populares e o Algemeen Dagblad reportou que, nos horários de pico, até 30 grupos por hora chegam a parar na Oudekerksplein. Em uma pesquisa recente, as profissionais do sexo também apoiaram o movimento com 80% dizendo que esses tipos de tours são ruins para os negócios.


A maior parte das profissionais do sexo são favoráveis à proibição. Foto por Anoek De Groot/AFP/Getty

Embora alguns tours de fato façam um esforço sincero para comunicar todo o contexto histórico da prostituição – e algumas ex-trabalhadoras sexuais passaram a trabalhar como guias – o vice-prefeito, Udo Kock, disse ao NOS que já não era apropriado ver “trabalhadoras sexuais como uma atração turística”. A proibição também inclui pub crawls na área.

No ano passado, os vereadores inclusive propuseram retirar completamente o Red Light district da área. Em outras regiões da cidade, também há mudanças em vista: tours organizados agora só podem contar um máximo de 15 pessoas (20 anteriormente) e visitantes terão que pagar uma pequena taxa de entretenimento.

[VÍDEO]

As mudanças vêm em meio a um esforço contínuo de Amsterdã para lidar com o enorme influxo de turistas. Cerca de 19 milhões de pessoas visitaram a cidade em 2018, engolindo a população de 850.000. A taxa de turismo para hospedagem foi aumentada no ano passado e mais restrições foram colocadas sobre o aluguel de Airbnbs. A prefeitura também impediu o surgimento de novas lojas para turistas pela cidade.

Este artigo foi publicado em Abril de 2019 e foi atualizado em Abril de 2019.

Amsterdã