América do Sul

Passeios em América do Sul

‹ Anterior

de 1

Próxima ›
  1. Bairro da Liberdade

    O bairro da Liberdade – a uma curta caminhada da Praça da Sé –  é há tempos o tradicional centro da comunidade japonesa em São Paulo. Embora os imigrantes atualmente venham da China e da Coreia, o bairro ainda está cheio de lojas e restaurantes japoneses, e possui diversas pérolas da cultura asiática escondidas em suas ruas estreitas e agitadas.

    A Praça da Liberdade é a praça principal do bairro, e também onde fica a entrada do metrô Liberdade. Aos domingos, há uma feira ao ar livre. Você poderá visitar várias lojas e comer em restaurantes asiáticos, assim como passear por alguns jardins japoneses (um pouco abandonados), dando uma rápida caminhada na direção sul do bairro pela Rua Galvão Bueno, um dos acessos principais. 

  2. Boipeba

    A sul da ilha de Tinharé, atravessando o estreito rio do Inferno, fica a ilha de Boipeba. O vilarejo de Boipeba, no nordeste da ilha, é tranquilo, rústico e dizem que é o que o Morro era há vinte anos – embora esteja em lenta mudança conforme turistas descobrem esse pequeno paraíso. A costa da ilha é intocada, com mais de 20km de praias lindas e desertas, incluindo a Ponta de Castelhanos, conhecida pelos mergulhos.

  3. Encontro das Águas

    Pouco além de Manaus, o quente e escuro rio Negro se derrama na densa frieza do rio Solimões. No entanto, devido à diferença de temperatura, velocidade e, principalmente, densidade (o Solimões transporta oito vezes mais sedimentos que o Negro), as águas não se misturam, fluindo lado a lado por vários quilômetros. O fenômeno bicolor ocorre em toda a Amazônia, mas em nenhum lugar tão drasticamente como ali. É possível enxergá-lo até mesmo do avião, mas se você for se hospedar em algum hotel na selva, seu barco provavelmente passará por esse encontro das águas. Do contrário, programe um dia de viagem com a Amazon Explorers, que combina uma parada ali com uma visita ao Parque Ecológico Janauary.

  4. Marlim Yatch Tours

    A Marina da Glória tem uma série de estabelecimentos que oferecem passeio de barco, mas a Marlim Yacht Tours é uma das mais bem reputadas. Há diversas opções: 2 horas pela baía de Guanabara (R$60 por pessoa), 4 horas em torno das ilhas Cagarras (R$95 por pessoa) e passeios de veleiro de 3 horas (R$180 por pessoa). Se seu orçamento estiver apertado, a Marlin também oferece escunas, veleiros e lanchas, permitindo que você crie seu próprio itinerário.

  5. Morro de São Paulo

    Bonito como um vilarejo de cartão-postal numa ilha do Mediterrâneo, Morro de São Paulo era o favorito para viagens de fim de semana de turistas e soteropolitanos. Embora seja turístico demais, muitos visitantes não se importam, já que também é um
    paraíso tropical fabuloso, com caminhos de areia, águas calmas e noites à luz de velas. Localizado numa área remota a norte da ilha de Tinharé, o grande atrativo do Morro é seu ritmo lento – carros são proibidos na ilha – e a geografia única: três morros cobertos pela mata no encontro do canal de Taperoá, com seus manguezais, com um claro e raso oceano Atlântico. Durante a alta temporada, o vilarejo se agita, dúzias de vendedores fazem caipirinha de frutas frescas na areia, e dança e música avivam a noite.

  6. Pelourinho

    O destaque da Cidade Alta é o Pelourinho, uma região declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, de prédios
    coloniais coloridos e igrejas magníficas. Ao passear pelas ruas de pedra observando a arquitetura antiga da cidade, você vai perceber que o “Pelô” não é só para turistas. Centros culturais e escolas de música, dança e capoeira dominam esses prédios de tons pastel dos séculos 17 e 18. A área vem recebendo um grande trabalho de restauração desde 1993, graças a investimentos da UNESCO. O Pelô perdeu muito da sua personalidade no processo, mas não se pode negar que a área melhorou – e muito – em segurança e preservação.

  7. Praia da Pipa

    A Pipa é um destino mágico no Brasil – as praias imaculadas cercadas por falésias altas, lagoas encantadoras, bom surfe, águas repletas
    de golfinhos e tartarugas, uma boa lista de pousadas, hostels, restaurantes famosos e ótima vida noturna. Era apenas uma vila de pescadores de difícil acesso quando descoberta por surfistas nos anos 1970, e hoje briga com Jericoacoara pelo posto de cidade
    litorânea mais badalada no Nordeste, atraindo uma multidão animada de Natal, João Pessoa, Recife nos fins de semana e feriados,
    além de um punhado de gringos o ano todo. Seu ambiente relaxado, ecológico e atraente para viajantes independentes não mudou e,
    com sorte, pode ser que Pipa seja muito pequena para que um dia mude, a despeito da quantidade de mesas com guarda-sóis e turistas
    espalhados pela costa. Pipa é mínima, mas pode ser difícil você se localizar na chegada. A praia principal é voltada para o norte. Na ponta leste, a costa se curva um pouco para o sul na praia do Amor. A oeste, a baía dos Golfinhos e depois a praia do Madeiro se curvam um pouco para o norte. A pequena rua principal, av. baía dos Golfinhos, segue por cerca de 2km paralelamente à praia principal e à praia do
    Amor, com pequenas ruas que saem em direção às praias ou ladeira acima para o interior. As ruas do interior de Pipa são, do oeste para o leste, Céu, Bem-te-vis, Gameleira, Mata e Albacora (com a Arara saindo da Albacora). Ônibus públicos e vans de turismo param na ponta oeste da av. baía dos Golfinhos; micro-ônibus param na ponta sudeste da mesma avenida.

  8. Praia de Botafogo

    Embora as águas da baía sejam muito poluídas para nadar, a praia com vista para a Enseada de Botafogo oferece um passeio fotogênico. Estrelas do futebol às vezes jogam na praia, contra o pano de fundo de veleiros na água e do Pão de Açúcar.

  9. Theatro Municipal

    Construído em 1905 ao estilo da Ópera de Paris, o magnífico Teatro Municipal é a casa da ópera, orquestra e balé no Rio. Seu interior luxuoso tem muitos belos detalhes – como a cortina do palco pintada pelo artista italiano Eliseu Visconti, que mostra 75 grandes figuras das artes, como Carlos Gomes, Wagner e Rembrandt. As visitas guiadas de 1 hora de duração são oferecidas
    de terça a sexta-feira (às 12h, 14h, 15h e 16h) e sábado (às 12h e 14h). Também vale a pena vir para assistir aos espetáculos.

  10. Transpantanal

    A única agência da cidade que oferece serviços sérios a pescadores, a Transpantanal oferece pacotes de pesca de sete dias pelos rios Cuiabá, São Lourenço, Piquiri e Paraguai (mínimo 12 pessoas).