América do SulDicas e artigos

Os melhores lugares para esquiar na América do Sul

Bailey Freeman

Ao sul da América do Sul, estão o Chile e a Argentina, países com espetaculares montanhas rochosas, iluminados por praias em sua costa e repletos de lagos turquesa e florestas exuberantes. Não há época ruim para visitar a região, mas planeje a sua visita entre junho e setembro, quando os Andes, que se estendem ao longo da fronteira, estarão cobertos de neve, e se reafirmam como um dos melhores lugares do mundo para a prática de esqui.

A América do Sul oferece diversas opções para aqueles que amam esquiar, com várias pistas que satisfazem suas necessidades e vontades individuais. Selecionamos os melhores lugares para você deslizar com esquis.

 

Esquie pelas grandes pistas de Portillo, Chile © Liam Doran / Ski.com

O melhor lugar para grandes pistas: Portillo, Chile

Durante o inverno, em Portillo há um ciclo de tempestades. Com frequência, elas são seguidas de céu azul e sol, oferecendo condições excelentes para esquiar nas lendárias pistas de sidcountry de Portillo. As pistas que saem dos picos de Roca Jack e Cara Cara mergulham vertiginosamente em direção a uma joia de lago, a turquesa Laguna del Inca. A Super C, cujo acesso é por meio de uma subida de duas horas a partir do teleférico de Roca Jack, mergulha apavorantes 1.500m até a base. Há poucas irregularidades no terreno, então esquiadores intermediários podem descer as pistas difíceis. Além disso tudo, a estação de Portillo nunca fica lotada (seu limite diário é de 450 esquiadores). Caso deseje aperfeiçoar suas habilidades no esporte, inscreva-se no Portillo Superstars Camp, coordenado por Chris Davenport.

 

Traga a família toda para as pistas de Tres Valles © Erlucho / Getty Images

Melhor lugar para famílias: Valle Nevado, Chile

A 90 minutos de Santiago, o Valle Nevado e as estações vizinhas El Colorado e La Parva formam o Tres Valles, uma rede de áreas de esqui ligadas por teleféricos. É possível visitar as três estações com um único ingresso e ter uma experiência ao estilo dos alpes europeus. O Valle Nevado é extenso, com pistas longas e heliski para quem procura uma emoção especial. Quando cansar de esquiar, a base da estação, a cerca de 3.000m de altitude, tem o que todo esquiador internacional espera: pub, spa, lojas, bons restaurantes e diversas opções de acomodações. A pista mais desafiadora da América do Sul não está em Valle Nevado, e esquiadores iniciantes e intermediários nunca ficarão sem escolhas aqui.

 

Aprecie a vista do Volcán Lanín antes de esquiar entre as árvores em Chapelco © Camara Argentina de Esquí de Montaña

Melhor esqui de floresta: Chapelco, Argentina

Parte do apelo de Chapelco é sua localização na região dos lagos, perto da simpática vila de San Martín de los Andes, à sombra do vulcão Lanin. Chapelco possui vales abertos, mas suas melhores pistas são as que serpenteiam pelas florestas de lenga com árvores cobertas de líquens, que parecem ter saído de um conto de fadas e que mantêm a neve especialmente cremosa. Doze teleféricos, incluindo um novo e de alta velocidade que acomoda quatro pessoas e uma gôndola, dão aos esquiadores acesso às 20 pistas de Chapelco, além de suas áreas para backcountry.

 

Depois de um longo dia nas pistas, desça para as fontes termais em Termas de Chillán © Ski.com

Melhor lugar com fontes termais: Nevados de Chillán, Chile

Em Nevados de Chillán, região também conhecida como Termas de Chillán, não é difícil decidir o que fazer depois de esquiar. Isso não significa que você precise apressar o seu dia de esqui. Muitos esquiadores afirmam que Chillán tem a melhor neve dos Andes, mas quando você já tiver esquiado na região, pegue seu equipamento de trilha ou uma carona em um snowcat e busque outras ótimas pistas no topo do vulcão Chillán. Se precisar de um dia de folga, passeie em um snowmobile ou relaxe em uma piscina termal para se livrar das dores musculares.

 

Vá até o extremo sul do continente para uma longa temporada de esqui em Cerro Castor © Camara Argentina de Esquí de Montaña

Melhor lugar para esquiar no início ou fim da temporada: Cerro Castor, Argentina

A estação de esqui mais ao sul do mundo não tem apenas a temporada de esqui mais longa da América do Sul, mas também alguns dos mais modernos teleféricos do continente, além de uma eficaz manutenção da neve, garantindo-lhe boas condições o tempo todo. Localizado na Tierra del Fuego, perto de Ushuaia, o Cerro Castor oferece quase 760m de queda vertical sem altitude, então não é necessário aclimatação. Vales e quedas complementam as pistas abrigadas e o esqui em floresta, e a maioria das pistas tem vista para o Estreito de Beagle – um dos três estreitos navegáveis que conectam o oceano Atlântico ao Pacífico. Hospede-se na cidade para uma ótima experiência gastronômica, boas acomodações e vida noturna agitada; e, então, pegue um ônibus para as pistas, a 30 minutos de distância. A região fica a 3h30m de voo de Buenos Aires, mas vale a viagem.

 

Diversos teleféricos cobrem 1.200 hectares de Cerro Catedral © Camara Argentina de Esquí de Montaña

Melhor lugar com pistas acessíveis por teleféricos: Cerro Catedral, Argentina

Cerro Catedral segue céu acima da região dos lagos da Argentina. Localizado dentro do Parque Nacional Nahuel Huapi, recebeu esse nome devido às grandes torres de granito semelhantes a campanários de igreja. É uma das maiores e mais modernas estações de esqui na América do Sul, com 37 teleféricos cobrindo 1.200ha de pistas, em sua maioria, intermediárias e avançadas – algumas com 1.100m de queda vertical, incluindo pistas de sidecountry e backcountry. Mesmo após um dia inteiro esquiando, a diversão não acaba. Boa gastronomia e hospedagens, compras e vida noturna – tudo isso é abundante aqui, e Bariloche está perto o suficiente para que você tenha ainda mais o que explorar.

 

Deixe as pistas de esqui e enfrente a extensa superfície montanhosa de Las Leñas © Daniel Wolkomirski / Getty Images

Melhor lugar para esquiar fora de pistas: Las Leñas, Argentina

Esquiadores afirmam que Las Leñas tem a melhor superfície montanhosa acessível por teleféricos – quase uma heliski –, então, não se surpreenda se pegar o teleférico com um esquiador de algum filme de Warren Miller. O lugar é famoso devido ao seu terreno radical, mas metade da montanha é para esquiadores de nível intermediário, que preferem relaxar – a grande maioria dos frequentadores da estação. Para quem estiver buscando neve virgem, passeios de catski o levarão até ela. Os vales abertos, as quedas estreitas e os penhascos da região são lendários.

Este artigo foi publicado em Novembro de 2019 e foi atualizado em Novembro de 2019.

América do Sul

Destaques