América do SulDicas e artigos

Dicas para viajar sozinho pela América do Sul

Lucy Lovell

Não há nada melhor para a alma do que viajar sozinho, e a América do Sul é a escolha de muitos aventureiros solitários. Há muito no que se inspirar e o que explorar nessa região de paisagens espetaculares, cidades vibrantes, comida excepcional e cultura rica.

A perspectiva de viajar sozinho, no entanto, é um pouco intimidadora – não importa o quão experiente nisso você seja. Percorrer esse vasto continente pode ser complicado, mas, com um bom planejamento e seguindo algumas das dicas deste artigo, você aproveitará melhor a sua viagem. Pensando nisso, reunimos algumas dicas para que tire do papel aquele seu plano de viajar sozinho pela América do Sul. Esses toques vão servir tanto para quem está viajando desacompanhado pela primeira vez quanto para aqueles que já são exploradores solitários experientes.

 

Viajantes solitários encontrarão muito o que fazer na América do Sul © Henn Photography / Getty Images

Jantares agradáveis

Participe de um clube de jantar ao compartilhar a mesa e uma boa conversa com moradores locais e outros turistas. É preciso pesquisar um pouco para encontrar esses lugares, mas você verá que valeu o esforço quando experimentar os singulares pratos elaborados por chefs locais. O nome pode variar dependendo do local: em Buenos Aires, busque-os usando a expressão em espanhol puertas cerradas – a Casa Felix é uma boa opção para começar.

Passeios gastronômicos são uma ótima maneira de se conhecer pessoas e a gastronomia local – tudo isso em companhia de um guia da região. Em Bogotá, por exemplo, os guias do A Chef's Tour levam os visitantes a 13 degustações em oito restaurantes, oferecendo-lhes a oportunidade de provar várias iguarias, desde lechona (leitão assado) até a aguardente local.

Participar de aulas de culinária é uma excelente maneira de provar a cozinha local junto a outros gastrônomos. Lima é mundialmente conhecida por sua cena gastronômica, com jovens e criativos chefs liderando o renascimento culinário da região (um bom exemplo é o ótimo pão de fermentação do El Pan de la Chola, que pode ser combinado com a melhor pizza e cerveja artesanal em seu restaurante irmão, La Pizza de la Chola). Se deseja algo mais tradicional, tente o SkyKitchen, onde você aprenderá a preparar alguns pratos clássicos peruanos antes de se deliciar com o resultado do seu trabalho no terraço do restaurante, que tem uma vista da cidade de tirar o fôlego.

 

Conheça outros viajantes ao acampar no Parque Nacional Los Glaciares © Keren Su / Getty Images

Faça amigos em atividades em grupo

Pratique atividades coletivas para fazer amigos enquanto explora a paisagem local. Junte-se a um grupo de gaúchos em um passeio a cavalo na Patagônia, atravessando as icônicas montanhas do Parque Nacional Los Glaciares antes de acampar em um entreposto rural e comer um tradicional assado argentino. Reserve essa aventura diretamente com Nibepo Aike e prepare-se!

Mantenha seus hobbies, como ioga ou corrida, e aproveite esse momento como uma oportunidade para conhecer pessoas novas enquanto se diverte fazendo o que ama. Em algumas cidades, há grupos de corrida gratuitos – dê uma olhada no Facebook para encontrar eventos locais.

Absorva a cultura local

O viajante solitário não precisa ficar de fora da cultura local: procure teatros, salões de dança e salas de concerto. Conheça o exuberante Teatro Colón, em Buenos Aires – onde, em algumas sextas-feiras, há ingressos gratuitos para o ensaio geral das grandes produções de balé – ou o boêmio Teatro Pablo Tobón, em Medellín – que regularmente apresenta recitais de orquestra gratuitos.

Ir a shows é também um modo de experimentar a vida local, e toda cidade tem a sua própria cena musical. Verifique sites como o Indie Hoy, Songkick e Vuenoz para ter acesso à agenda de shows da região.

Quando for hora de relaxar, não há nada melhor que curtir um filme sozinho. Cinema é parte importante na vida dos colombianos, e aqui, na Colômbia, filmes estrangeiros são frequentemente exibidos no idioma original, mas com legendas em espanhol. O Cine Tonalá é o campeão indie de Bogotá, com uma tela pequena, um bar descolado e um restaurante mexicano – tudo isso espalhado pelos vários andares de uma mansão dos anos 1930 adoravelmente restaurada. Enquanto isso, o Museu de Arte Moderna de Medellín é uma maravilha arquitetônica contemporânea, onde visitantes podem assistir a cinema de vanguarda após apreciar a cuidadosa curadoria de arte moderna do lugar.

 

Hostels são ótimos lugares para conhecer pessoas durante a sua viagem © JohnnyGreig / Getty Images

Durma em segurança

Encontrar um lugar seguro para descansar é sempre prioridade quando você está viajando sozinho. Sendo esse o caso, hostels são a escolha óbvia – são lugares baratos, amigáveis e onde facilmente se conhece pessoas –, mas não são a única opção. Para ter um pouco mais de privacidade, alugue algo no Airbnb (procure pelos locadores superhost para ter mais tranquilidade); assim, você terá o seu próprio espaço e ainda se beneficiará das dicas do seu host que é morador local. Ou, então, reserve a sua estadia com uma família da região. É acessível, inclui refeições e muitas escolas de língua arranjam essas acomodações por um custo extra.

Aprenda a língua

Quem viaja sozinho adora conhecer os moradores da região, e aprender a língua local é a chave para aproximar-se deles. Tente aprender um pouco do idioma no início da sua viagem, frequentando aulas. Você se atentará mais ao sotaque local e logo fará amizade com seus colegas de classe. A Ailola possui escolas por toda América do Sul, incluindo Quito, no Equador, cidade listada como patrimônio da humanidade pela Unesco.

 

Explore as vastas paisagens da América do Sul de carro © Igor Alecsander / Getty Images

Cruzando a América do Sul

A América do Sul está bem conectada por meio de voos locais, mas as passagens podem ser caras. Se quiser economizar dinheiro e tem tempo sobrando, viaje de ônibus. O serviço pode ser bem simples nos países andinos, mas é surpreendentemente confortável em lugares como Argentina, Brasil e Chile. As viagens mais longas podem ser reservadas com antecedência pela internet. Compre o assento de tarifa mais cara – coche-cama equivale ao leito, que conhecemos –, pois a cadeira é totalmente reclinável.

Muitos dos principais pontos turísticos (as maravilhosas paisagens do deserto do Atacama, por exemplo) são mais fáceis de serem visitados de carro. Para se locomover de modo livre e com segurança, alugue um. Esse serviço no Chile é particularmente muito bom, há grandes companhias de aluguel de veículos operando por todo o país. Escolha uma empresa confiável como a europcar.com, que oferece assistência 24 horas e uma grande seleção de pontos para você pegar e devolver o carro. Dependendo da sua nacionalidade e do país em que esteja, talvez você precise de uma Permissão Internacional para Dirigir (PID), além da sua carteira de motorista.

Segurança ao viajar sozinho

A América do Sul é um lugar seguro para se viajar sozinho, mas é preciso manter-se vigilante. Reserve hostels com antecedência, anote endereços e pesquise suas rotas. Desse modo, você andará sabendo o seu destino e não precisar tirar seu celular da mochila, tornando-o um alvo menor para ladrões.

Tome algumas simples precauções para o caso de seus pertences serem roubados – assim, será mais fácil lidar com uma situação estressante. Faça uma cópia do seu passaporte, separe dinheiro em outra conta e mantenha o cartão em lugar seguro. Além disso, descubra o endereço da sua embaixada mais próxima, você nunca sabe quando pode precisar da ajuda dela, especialmente se estiver sozinho.

Este artigo foi publicado em Outubro de 2019 e foi atualizado em Outubro de 2019.

América do Sul

Destaques