América do SulDicas e artigos

O básico do Equador: planeje sua aventura perfeita

Hacienda Guayama, Equador

por Greg Benchwick

Quando se trata de aventura, o Equador não tem erro. Há picos andinos altíssimos e vulcões, vastas faixas de floresta tropical amazônica, vilarejos para relaxar e surfar e, é claro, as icônicas e inesquecíveis Ilhas Galápagos.

Se quiser ir de bicicleta e encarar um vulcão, fazer uma trilha para aldeias indígenas isoladas, remar rio abaixo ou admirar macacos, tartarugas e atobás de pés azuis desse ecossistema extremamente diverso, este dicas vão ajudá-lo a planejar sua viagem perfeita a um dos maiores destinos de aventura da América do Sul.

LEIA MAIS: El Nariz del Diablo, uma das viagens de trem mais clássicas pelo mundo

 

Visão geral do Equador

Moeda: Dólar americano

Transporte: Superbarato (cerca de $1 por hora nos ônibus)

Vistos: Visitantes da maioria dos países não precisam de visto para ficar menos que 90 dias

Temporadas: Alta temporada vai de Junho a Setembro

Orçamento diário: $30 (orçamento de mochileiros), $30-$80 (explorador independente médio), $100 e mais (esbanjadores e qualquer um que quiser ir a Galápagos)

 

Roteiros para cada aventureiro

 

Viajante completo

Este roteiro de duas semanas o leva aos maiores cenários do Equador. Quase toda jornada começa na sofisticada capital do país, Quito. Passe pelo menos dois dias se aclimatando com a altitude (2850m), dando uma olhada nas igrejas coloniais e explorando Otavalo, bem ao norte da cidade, para a melhor feira de artesanato do país. Em seguida, siga ao sul para pernoitar em uma das haciendas lindamente reformadas do Parque Nacional Cotopaxi. Tire um dia para passear pelo parque e ver cavalos selvagens e aves migratórias antes de ir novamente para o sul para duas noites em Cuenca, uma linda cidade colonial com ruas de pedras, artes, mercados e comida excelente.

De Cuenca, você pode voltar pela estrada até Quito, parando alguns dias para um descanso tropical, passeios de mountain bike e rafting no agitado polo de mochileiros de Baños, ou siga direto para as Ilhas Galápagos para quatro dias explorando ilha por ilha e fazendo um cruzeiro para observar a vida selvagem. Muitos escolhem terminar sua aventura aqui, perdendo uma viagem para a Bacia Amazônica. Por que não incluir quatro dias para explorar os alojamentos na área externa de Coca no Río Napo?

Foto por: ©Philip Lee Harvey/Lonely Planet 

 

 

LEIA MAIS: Aventuras latino-americanas para toda a família

Explorador cultural

O Equador tem uma notável tapeçaria cultural. É um país plural, com cerca de uma dúzia de grupos étnicos distintos e umas vinte línguas raras. Nas montanhas, você não vai querer deixar de ver as pequenas aldeias Kichwa encontradas no Quilotoa Loop. Ao longo do caminho, você terá a chance de descer para um lago de cratera que – diz a lenda local – não tem fundo, conhecer artistas que impulsionaram a arte naïve a esferas internacionais em Tigua ou apenas se perder em trilhas antigas ao caminhar ou andar de bicicleta de aldeia para aldeia. Há inúmeras feiras de artesanato ao longo do caminho, onde você pode experimentar uma deliciosa comida de rua andina como cuy (porquinho-da-índia) e comprar peças de artesanato local, têxteis e outros.

Foto por: ©Philip Lee Harvey/Lonely Planet 

 

Na Bacia Amazônica, você pode ver a vida selvagem, remar nos rios e aprender sobre as culturas exclusivas de tribos indígenas isoladas, como Huaorani e Shuar, enquanto que, ao longo da Costa Norte, você encontrará grupos grandes de afro-equatorianos. Amplamente marginalizados pela sociedade dominante, afro-equatorianos servem deliciosos pratos de frutos do mar, como guisado de mariscos ao coco, e fazem um chocolate maravilhoso.

Nas cidades grandes de Quito, CuencaGuayaquil, a cultura é intensa. Você não só vai andar pelos resquícios de tempos coloniais nas igrejas impressionantes, passarelas e praças cobertas, como também vai encontrar arte moderna de nível internacional, museus de sucesso (a maioria gratuita!), clubes noturnos repaginados e cenário musical agitado. Também há um festival incomparável acontecendo neste país altamente religioso quase toda semana do ano. Os principais festivais incluem o Carnaval em Fevereiro, a Semana Santa em Março, o Inti Raymi em Junho, o Mamá Negra em Setembro e o Fiestas de Quito em Dezembro.

LEIA MAIS: Guia de Conversação – Espanhol Lonely Planet: Na hora de se aventurar por países hispânicos, não basta confiar no famoso “portunhol”

 

Aventureiro ativo

Foto por: ©Ammit Jack/Shutterstock 

 

O Equador oferece uma carga de atividades impregnadas de adrenalina que vão fazer seu peito arfar e levá-lo ao limite. Para completar tudo isso, fica no topo de um dos vulcões cobertos de gelo mais altos do país. Cotopaxi é a melhor escolha para muitos, enquanto Chimborazo o leva acima da marca de 6000m e lhe dá o direito de contar vantagem a seus companheiros andinistas.

O Equador tem bons locais para surfar, também. Em lugares como MontañitaCanoa e Mompiche, você pode encontrar ondas de 2m, cenários descontraídos de surfe e várias outras atividades divertidas. As ondas são melhores de janeiro a março.

Fora da temporada, você ainda pode preencher sua necessidade de águas claras aventurando-se em um rafting em qualquer um dos rios Classe III e IV do país. Tena é a sua melhor escolha, mas há grandes percursos perto de Macas, Río Blanco, El Chaco e Baños.

Para aventuras em duas rodas em terra firma, há incríveis passeios de mountain bike pelos flancos de Chimborazo e Cotopaxi, além de um passeio cheio de poeira saindo da fronteira dos Andes até a Amazônia em Ruta de Las Cascadas, um percurso de 61km que o leva a uma dúzia de cachoeiras enquanto você desce de Baños até Puyo.

Parece que em todo lugar tem uma tirolesa (peça para ir de cabeça, ao estilo Super-Homem, com os braços estendidos), uma ponte para pular (ou saltar por meio de uma derivação local do bungee jumping conhecida como puenteing) ou uma montanha para escalar. Para observar a vida selvagem, há aves de classe mundial em locais como Mindo, farras na selva Amazônica para vislumbrar macacos, tucanos, botos e jacarés ao longo do Río Napo, biodiversidade impressionante em parques incomuns como o Parque Nacional Podocarpus e, é claro, viagens pelo lugar que revelou A Origem das Espécies: as Ilhas Galápagos.

 

O que levar

Há algumas coisas que você não vai querer esquecer:

  • Vacinas (para visitas à Amazônia)
  • Repelente de insetos
  • Seguro-viagem
  • Roupas: chapéu, agasalho ou jaqueta, jaqueta à prova d’água e de vento, shorts, roupas de banho, camisa leve de manga comprida e calças
  • Tampões de ouvido
  • Lanterna
  • Faca universal

Este artigo foi publicado em Março de 2016 e foi atualizado em Março de 2016.

América do Sul

Destaques