América do NorteDicas e artigos

7 lugares e atrações imperdíveis no Canadá

Urso polar

O Canadá é mais que a beleza de suas montanhas gigantes e da costa recortada - O segundo maior país do mundo tem uma variedade infinita de paisagens. Montanhas altíssimas, geleiras brilhantes, misteriosas florestas tropicais e praias remotas estão ali, espalhadas ao longo de seis fusos horários. É o cenário de diversos momentos inspiradores e de uma enorme fauna, tão enorme quanto ursos-polares, ursos-cinzentos, baleias e – o favorito de todos – alces. Saiba o que não pode ficar de fora do seu roteiro canadense.

 

Montanhas Rochosas (Colúmbia Britânica/Alberta)

Foto por: Purestock/ThinkStock

 

O serrilhado de montanhas de pico branco que atravessa a fronteira entre Colúmbia Britânica e Alberta gera tanto admiração quanto adrenalina. Quatro parques nacionais – Banff, Yoho, Kootenay e Jasper – oferecem oportunidades para caminhadas, canoagem e esqui. O trem é outra alternativa popular para conhecer sua grandiosidade – lagos luminosos, montes de flores silvestres e geleiras brilhantes são vistos enquanto os vagões percorrem montanhas e descem por vales rumo leste ou oeste.

 

Toronto (Ontário)

Um caldeirão hiperativo de culturas e vizinhanças, Toronto impressiona pela maravilha urbana. Você prefere jantar no bairro chinês ou no bairro grego? Culinária fusion cinco estrelas ou sanduíche de bacon canadense? Sapatos de grife de Bloor-Yorkville são acompanhados de tatuagens em Queen West. Galerias de arte moderna, excelência em teatro, bares com bandas de rock e febre de hóquei ajudam a compor a megalópole. É, de longe, a maior cidade do Canadá, além de ser a mais diversificada – cerca de metade de seus residentes nasceu em outro país.

 

Vancouver (Colúmbia Britânica)

Foto por: danbreckwoldt/iStock/ThinkStock

 

Vancouver sempre figura nas listas de “melhores lugares onde viver”. Com montanhas para esquiar nos arredores, onze praias que recortam a costa e a densa floresta do Stanley Park a apenas alguns quarteirões dos arranha-ceús do centro, Vancouver é uma convergência harmônica entre cidade e natureza. Além disso, mistura a sofisticação de Hollywood (muitos filmes são rodados no local) com a contracultura independente (uma popular praia de nudismo e a sede do Marijuana Party) e comunidades multiculturais.

 

Churchill (Manitoba)

Foto por: IPGGutenbergUKLtd/iStock/ThinkStock

 

O primeiro urso-polar que você vê de perto é de tirar o fôlego. Imediatamente faz você esquecer os dois dias entediantes no trem, atravessando três fusos horários até chegar à tundra, na borda da baía Hudson. Churchill é o posto avançado e solitário e fica bem no meio da rota de migração dos ursos. Do fim de setembro ao começo de novembro, veículos para a tundra saem em busca das feras de garras afiadas, às vezes colocando você perto o bastante para fazer contato visual. No verão, nade com as belugas.

 

Cataratas do Niágara (Ontário)

Lotadas? Cafonas? Bem, sim. Niágara também é baixa – ela mal chega à lista das quinhentas mais altas do mundo. Mas, convenhamos, quando aquelas quedas-d’água furiosas se curvam, rugindo para dentro do vão, e quando você navega até lá em um pequeno barco coberto de névoa, as cataratas do Niágara são impressionantes. Em termos de volume, nenhum outro local na América do Norte supera sua retumbante cascata, com mais de 1 milhão de banheiras de água caindo por segundo.

 

Cidade velha de Quebec (Quebec)

Foto por: Ingram Publishing/ThinkStock

 

 A capital de Quebec tem mais de quatrocentos anos, e seus muros de pedra, catedrais com torres brilhantes e cafés de esquina tocando jazz estão cercados por um ar de romance, melancolia e excentricidade. A melhor maneira de conhecer é andar pelo labirinto de vias da cidade velha e se perder entre os artistas de rua e os hotéis charmosos, parando de vez para um café au lait, doces de massa folhada ou poutine (batatas fitas cobertas de queijo e molho de carne) para reabastecer.

 

Festival de Jazz de Montreal (Quebec)

Em que outro lugar você pode reunir mais de 2 milhões de amantes de música calmos e respeitosos (sem danças violentas nem bêbados) e assistir aos melhores músicos influenciados pelo jazz mundial, escolhendo entre quinhentos shows, muitos deles gratuitos? Só em Montreal, a segunda maior cidade e coração cultural do Canadá. B. B. King, Prince e Astor Piazzolla estão entre os artistas que se apresentaram nos onze dias do Festival de Jazz de Montreal, no fim de junho. Talvez você queira se juntar a eles depois da apresentação na rua. A diversão nunca termina.

 

Esta matéria faz parte do nosso Guia Canadá

Este artigo foi publicado em Abril de 2015 e foi atualizado em Abril de 2015.

América do Norte

Destaques